Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Melhores pesqueiros do ES

Guarapari, mercado de peixes

Para quem gosta de pescar com vara e anzol, o Espírito Santo é o lugar certo - onde a maré sempre está para peixe.

Mesmo sofrendo com a explosão imobiliária e a ação predatória das redes de arrasto que dizimam cadumes de peixes, principalmente filhotes, alguns pesqueiros do Estado conseguiram resistir ao tempo e, hoje, são fontes de diversão para os capixabas. Como dizem os pescadores, é difícil voltar para casa com o isopor vazio.

Um bom exemplo de pesqueiro no ES é a Praia da Itaipava, na cidade de Itapemirim. Ali, os peixes ficam bem próximos da areia (nas primeiras valas) - não requer arremessos longos para se obter bons resultados.

Os amantes da pesca de praia geralmente se divertem com varas mais leves. Mas isso não quer dizer que não podem fisgar peixes mais pesados - basta usar equipamentos apropriados para arremessos longos.

Outro bom pesqueiro capixaba é a Praia do Riacho, entre Guarapari e Meaípe, onde é possível pescar um peixe mais pesado quase na espuma da onda. Barbudos, corvinas e pampos são comuns no local. Mas como várias pedras estão próximas à praia, não é surpresa se algum peixe deste habitat morder a isca. A melhor hora para a pesca é exatamente quando a maré começa a encher. A praia é relativamente funda e dependendo da época do ano tem fortes correntes laterais. Um arremesso mais forte atinge grandes profundidades.

Poucos pesqueiros resistiram tanto ao tempo (e à ação predatória) como a Praia de Camburi, em Vitória. É, sem dúvidas, um dos melhores pesqueiros do Estado. Em Camburi, encontram-se os mais variados tipos de peixe, como roncador, cabeça-dura, orvina, barbudos, entre outros.

Links Relacionados:

>> Aprenda a escolher um bom peixe 
>> Panela de barro 
>> Escolhendo panelas capixabas   
>> Panelas de barro enfeitadas
>>
 
Vale do Mulembá 
>> A lenda do judeu pescador 
>> Peixes catalogados em 1862 no ES
>> Moqueca Capixaba 

Especiais

Guerra, Guerra

Guerra, Guerra

Vila Rubim. Dia 17 de agosto de 1942. Alta noite, o servente de banco Joaquim Pirajá é acordado por um tropel que sobe a ladeira. Vai verificar que barulheira era aquela. São os saídos do comício da Praça Oito

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Arejamento Intelectual – Nestor Gomes (1920-1924)

Toda vez em que o progresso sacode uma cidade, há um ressurgimento de cultura

Ver Artigo
Vitória - Por Francisco Aurélio Ribeiro

Extra-oficialmente, consagrou-se a canção “Cidade Sol”, de Pedro Caetano, como o hino afetivo ou emocional de Vitória e, a partir daí, não mais se referiram à nossa bela capital como “Cidade presépio” mas, sim como “Cidade sol”

Ver Artigo
Parabéns, Vitória!

A cidade de Vitória, capital do Espírito Santo, comemora mais um aniversário no dia 8 de setembro de 2007, completado 456 anos de delícias, encantos e tradições

Ver Artigo
Turismo, cultura, cinema e bons negócios - Luiz Tadeu Teixeira

O cinema é capaz de juntar todos estes itens que compõem a nossa tão desconhecida identidade num produto só e difundi-lo pelo mundo 

Ver Artigo
Legalização do Jogo

Guarapari e Domingos Martins – por representarem o litoral e a montanha, estamos abrindo uma oportunidade de debate, sem a reabertura indiscriminada do jogo em todo o país

Ver Artigo