Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Namorados

Internacionalmente o dia dos namorados é tradicionalmente comemorado como Dia de São Valentim, no dia 14 de fevereiro. No entanto, no Brasil celebramos anualmente no dia 12 de Junho, exatamente na véspera do dia de um outro santo da igreja católica chamado Santo Antônio, também conhecido por seus ‘méritos’ enquanto casamenteiro. Este santo português tem sua tradição consagrada como casamenteiro, provavelmente devido a suas pregações a respeito da importância da união familiar em sua época.

Contudo, o fato dessa celebração acontecer em meados do mês de junho não está relacionado com o santo padroeiro dos casamentos, mas antes com uma ação publicitária que retoma ao ano de 1949. Para melhorar as vendas de junho, mês considerado o mais fraco para o comércio, um publicitário de nome João Dória, ligado à Agência Standard Propaganda, lançou a pedido da extinta loja Clipper, uma campanha para melhorar as vendas de junho. A campanha, com o apoio da Confederação do Comércio de São Paulo, consistiu na mudança do dia de São Valentim para o dia 12 de Junho, com o slogan: “NÃO É SÓ DE BEIJOS QUE VIVE O AMOR”.

A propaganda surtiu efeito e as vendas subiram consideravelmente e a Agência Standard ganhou o prêmio de agência publicitária daquele ano. A data foi criada pelo comércio paulista e depois assumida por todo o comércio brasileiro para reproduzir o mesmo efeito do Dia de São Valentim, equivalente nos países do hemisfério norte, para incentivar a troca de presentes entre os "apaixonados".

E é por esta razão que o Brasil não segue o calendário internacional que comemora o Dia dos Namorados no dia de São Valentim. Desde então, 12 de junho se tornou uma data especial, unindo ainda mais os casais apaixonados, com direito a troca de presentes, cartões, bilhetes, flores, bombons... E assim, junho é a época dos apaixonados presentearem seus (suas) parceiros (parceiras) com surpresas agradáveis como demonstração de amor e carinho, sejam elas materiais ou de qualquer outra natureza.

 

Fonte: Thiago de Almeida Psicólogo (CRP: 06/75185) www.thiagodealmeida.com.br
Compilação: Walter de Aguiar Filho, junho/2012 

Matérias Especiais

Ensino – Primeira biblioteca pública

Ensino – Primeira biblioteca pública

Na província, a carência de mestres era justificada pela “pobreza de pessoal e a insignificância dos ordenados com que são gratificados os Professores Públicos – obstáculo permanente ao melhoramento deste tão importante ramo da Administração”.

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Jerônimo Monteiro - Capítulo XVI

Fazia-se o desembarque de passageiros, em escaleres e lanchas pequenas que atracavam às escadas dos navios

Ver Artigo
Jerônimo Monteiro - Capítulo II

Na foto ilustrativa, o casal Francisco de Sousa Monteiro e Henriqueta Rios de Sousa, pais de Jerônimo Monteiro (fim do séc. XIX). APEES — Coleção Maria Stella de Novaes

Ver Artigo
Saudações - Fernando Antonio de Oliveira

Carta endereçada ao escritor Walter de Aguiar Filho, autor do livro "Krikati, Tio Clê e o Morro do Moreno", pelas lembranças que nos traz sobre Vila Velha de outrora e pelo alerta sobre a identidade e cultura do canela-verde. Confira!

Ver Artigo
Estudos sobre a descoberta da Província - Parte VIII (FINAL)

Cristóvão Jaques foi o único que fez reconhecimentos e assentou padrões, conforme estão de acordo todos os cronistas e historiadores, estando por isso provado ser ele o primeiro que reconheceu a costa da província do ES

Ver Artigo
Estudos sobre a descoberta da Província - Parte VII

Com a chegada e desembarque, na província do Espírito Santo, do donatário Vasco Fernandes Coutinho, a 23 de maio de 1535, temos finalizado a notícia dos navegantes que tocaram ou não nas costas desta província

Ver Artigo