Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Nova Itaparica

Praia de Itaparica - Foto: Francisco Erisberto

Na década de 70, Nova Itaparica, em Vila Velha, fazia parte de uma grande fazenda, conhecida como Baixada Guaranhus. Foram os donos da terra que fizeram os primeiros loteamentos do bairro. A imobiliária Nova Itaparica ficou responsável pela venda dos lotes e também inspirou o nome do bairro.

No final da década de 80, os primeiros moradores começaram a chegar. Uma trilha dava acesso ao local. Os primeiros moradores fizeram uma trilha, porque não dava para passar entre o brejo. Por causa da grande formação de água na região, essa trilha logo desapareceu e os moradores tiveram que aterrar as ruas para poderem terminar de construir suas casas. Podia-se pegar peixe na rua, além de sapos e rãs.

De acordo com relatos de moradores, a região começou a mudar com a pavimentação das principais ruas do bairro, a Sérgio Cardoso, que foi asfaltada em meados da década de 90, e a do Canal, calçada em 2000. A partir daí, o comércio começou a se estabelecer no bairro e a prefeitura atendeu a uma antiga solicitação: o calçamento das 17 ruas que compõem Nova Itaparica, com previsão de inauguração para agosto de 2007.

Em 2000, o bairro foi registrado pela Prefeitura de Vila Velha e hoje, possui 1.160 residências e 5 mil moradores. O bairro está situado a 700 metros da Praia de Itaparica e faz divisa com Guaranhus, Ilha dos Bentos, Novo México e Parque das Gaivotas.

 

Fonte: Jornal A Tribuna - 18/07/2007
Compilação: Walter de Aguiar Filho, julho/2008

Bairros e Ruas

Rua Duque de Caxias - Por Elmo Elton

Rua Duque de Caxias - Por Elmo Elton

Chamou-se, a princípio, rua do Ouvidor. Em 1872, dois anos após o término da Guerra do Paraguai, recebe nova designação: a de rua Duque de Caxias

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Como nasceu a Vitória – Por Areobaldo Lellis

Circundada por montanhas desabitadas, os seus extremos eram ligados, a partir das Pedreiras, hoje Barão Monjardim

Ver Artigo
Rua 13 de Maio (ex-rua do Piolho) – Por Elmo Elton

Esse caminho, sinuoso passou a ser a Rua do Piolho, que, já neste século, trocaria de nome para rua Treze de Maio

Ver Artigo
Rua 23 de Maio

Era considerada, até os anos 40, como ponto nobre da cidade. Teve belas residências, destacando-se sobretudo a Vila Oscarina, palacete de propriedade de Antenor Guimarães

Ver Artigo
Ponte da Fruta – Por Edward Athayde D’Alcântara

Até os anos 40 era pequena e conhecida ainda como vila de pescadores e era considerada área rural do município

Ver Artigo
Cercadinho – Por Edward Athayde D’Alcântara

Ao arredor, encosta do Morro Jaburuna (morro da caixa d’água), ficava o Cercadinho

Ver Artigo