Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

NOVA PONTE

Cacau Monjardim

A atual geração de administradores capixabas está na obrigação de saldar uma velha dívida com o desenvolvimento da próspera área fisiográfica de Vitória, iniciando imediatamente a motivação da opinião pública e o debate que nos permita construir uma nova ponte ligando Vitória a Vila Velha.

A tradicional ponte Florentino Ávidos não suportará por muito tempo a crescente demanda de tráfego e, principalmente, o aumento brutal da tonelagem transportada pelas grandes viaturas. O assunto, por isto mesmo, levando-se em conta outros projetos do mesmo porte levaram 10 anos sendo vendidos e discutidos, antes que pudessem, friamente, ser colocados na prancheta, deve assumir a primeira linha dos debates técnicos, na busca da imagem pública que o consolidará.

A construção, portanto, de uma ponte sobre o canal se afigura como a grande e inadiável solução para a integração econômica da área fisiográfica de Vitória, favorecendo a criação de modernos núcleos populacionais, interligando, ainda, as áreas industriais do Continente e Carapina, formando a estrutura do que poderemos convencionar de Grande Vitória, futuro de uma associação de imensos espaços de Vila Velha com o planalto de Camburi, sede natural de implantação siderúrgica do maior parque do hemisfério sul.

No entender dos técnicos existem três alternativas para a construção da nova ponte:

- A primeira poderá situá-la, com menor braço de mar a transpor, à altura do Penedo. Esta hipótese, aliás, já está sendo analisada pela equipe do DER;

- A segunda, credora do entusiasmo maior dos técnicos, seria a construção da ponte partindo das imediações do Salesiano o seu acesso, passando pela Ilha da Fumaça, com fixação na Ilha das Pombas e daí sobre o canal até o Continente, nas imediações da Penitenciária;

- A terceira hipótese, partiria do morro de Bento Ferreira em lance até o morro do Gravatá, na enseada de Jaburuna, no Continente.

Temos, ainda, a considerar que a ponte sobre o canal, a exemplo do que ocorreu com a ponte Rio-Niterói deve estar situada 45 metros acima do nível do mar, por exigência da Marinha, já que obedecida esta, ficaria plenamente liberado o curso dos navios que demandam ao Porto de Vitória.

O custo da obra, segundo técnicos, deverá oscilar entre quatro e cinco bilhões de cruzeiros velhos.

O importante, para mim e para aqueles que defendem a imperiosa e inadiável construção de uma nova ponte, é fazer com que as autoridades sejam motivadas e que a opinião pública fique conscientizada de que a sua imediata construção é a solução para a Grande Vitória.

 

Março de 1967

 

 

Fonte: Capixaba, sim.(hoje mais do que ontem) - Vitória,ES/2006, segunda edição.
Autor: José Carlos Monjardim Cavalcanti - Jornalista e Publicitário 
Compilado por Walter de Aguiar Filho em abril/2011

Matérias Especiais

Cai avião no Exército

Cai avião no Exército

O serviço de vigilância no Morro do Moreno (posto semafórico) e na Pedra do Atalaia era feito das cinco às dezessete horas, diariamente

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Edificações de Vitória

Preservando a memória do Centro, Vitória guarda também o Teatro Carlos Gomes, a sede do Palácio Anchieta, o Mercado da Capixaba, o Teatro Glória, o Arquivo Municipal, o Palácio Domingos Martins

Ver Artigo
Museu de Arte Moderna do Espírito Santo

Endereço por muitos anos do prédio da Secretaria de Administração, o museu foi o primeiro imóvel inaugurado na gestão de Florentino Avidos como presidente do estado do Espírito Santo

Ver Artigo
Posfácio do livro Parabéns Pra Você – Por Cariê Lindenberg

Por fim, o que mais me marca em Maria é a sua determinação, força de vontade e grande fibra

Ver Artigo
Páginas soltas – Por D. Maria Lindenberg

Noventa anos significam uma vida repleta de bons e de maus momentos. De triunfos e de derrotas

Ver Artigo
Depois de Carlos – Por D. Maria Lindenberg

O domingo de 19 de agosto de 1990 deveria ser igual a qualquer outro

Ver Artigo