Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

O genial Vitor Meireles no Convento da Penha no ano de 1871

Primeira Missa - Autor: Vitor Meirelles - óleo sobre tela, 1861

Os pincéis mágicos que imortalizaram as grandes telas históricas de "A Primeira Missa no Brasil", "A Passagem de Humaitá", e "A Batalha de Riachuelo", também estiveram na Penha, manejados pelo genial Vitor Meireles.

Havia o Convento sofrido sérias avarias conseqüentes dos raios que sobre ele caíram, num desafio espetacular da natureza embravecida contra a santidade de seus nichos e de seus altares. Foi preciso socorrer-se das artes para que fosse restabelecida a integridade de sua beleza.

Corria o ano de 1871 e com ele também corria Vitor Meireles para corresponder ao apelo que lhe fora feito.

Não foi propriamente uma visita, mas certamente a oportunidade que se oferecia ao grande mestre da pintura, ao Miguel Ângelo brasileiro, não podia ser melhor. E assim veio, com a alma em festas e o coração palpitante de felicidade, para deixar no tradicional santuário a marca indelével e inconfundível de seu gênio, revivendo em pinceladas inimitáveis — naqueles traços muito seus, característicos e inigualáveis — a história admirável do secular Convento.

Ali deixou Vitor Meireles dez maravilhosas telas. Mais tarde, porém, um sacrilégio surgiria, para fazer desaparecer seis delas. Arrebatadas por mãos criminosas e cobertas de novas pinturas por mãos ignorantes, o que é fato é que o nosso patrimônio artístico se viu, privado da maioria desses grandes quadros.

Restaram quatro e esses, felizmente, lá se encontram e foram renovados pelo Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, sob as vistas dedicadas e competentes de Edson Mota e a perícia técnica dos Drs. Paulo Barreto e Eduardo Teckler, sob as ordens do Diretor do Serviço, Dr. Rodrigo de Melo Franco de Andrade. 

 

Fonte: O Convento da Penha, um templo histórico, tradicional e famoso 1534 a 1951
Autor: Norbertino Bahiense
Compilação: Walter de Aguiar Filho, março/2017

Convento da Penha

A lenda de Frei Pedro e Nossa Senhora

A lenda de Frei Pedro e Nossa Senhora

A maneira como Nossa Senhora passou a ser a padroeira do Espírito Santo, venerada como Nossa Senhora da Penha, é contada numa comovente lenda conhecida por todos os vila-velhenses.

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Inscrições – Por Maria da Gloria de Freitas Duarte

Em Vila Velha e nos seus arredores são encontradas várias inscrições, históricas ou não, como as que registramos

Ver Artigo
História da Festa da Penha

A Festa da Padroeira dos capixabas sempre foi o principal acontecimento religioso de Vila Velha. Segundo a Lei nº 7, de 12/11/1844, o dia da Festa da Penha passou a ser considerado feriado em toda a Província do Espírito Santo

Ver Artigo
Todos os motivos nos levam à Festa da Penha

Desde 1570 comemoramos a Festa da Penha oito dias após a Páscoa. Ela é a festa cristã pioneira da América

Ver Artigo
Campo de Piratininga na história do Convento

Os franciscanos compraram o campo de Piratininga, por 5$000, a Da. Catarina de Vide, viúva de Manuel de Vide, o compadre e amigo de Anchieta

Ver Artigo
As Terras do Convento – Por Nobertino Bahiense

O documento de doação feita pela Governadora da Capitania do Espírito Santo, Da. Luísa Grinalda, desde a longínqua data de 6 de dezembro de 1591

Ver Artigo