Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

O regime das terras no Período Revolucionário

Getúlio Vargas no Convento da Penha

 Durante o Período Revolucionário

 

Com a vitória do movimento revolucionário de 3 de outubro de 1930, por não estar o Brasil vivendo dentro das garantias estabelecidas pela Constituição de 1891, o Senhor Chefe do Governo Provisório baixou o Decreto nº 19.398, de 11 de novembro de 1930, que, então, investiu o Governo mencionado no exercício das funções e atribuições não só do Poder Executivo, como também nas do Poder Legislativo, até a reorganização constitucional do País.

Foi, pela razão exposta, que, em 27 de abril de 1931, o Governo Provisório baixou o Decreto nº 19.924, dispondo sobre terras devolutas, competência que lhe foi reconhecida até o momento da volta do País à sua vida constitucional.

Vai, em seguida, o Decreto referido:

 

Decreto n. 19.924, de 27 de abril de 1931.

Dispõe sobre as terras devolutas.

O Chefe do Governo Provisório da República dos Estados Unidos do Brasil:

Atendendo a que cabe aos Estados o domínio das terras devolutas, em virtude do art. 64 da Constituição de 24 de fevereiro de 1891;

Atendendo a que essas terras tem sido, muitas vezes e em muitos lugares, invadidas ou até usurpadas, mediante artifícios fraudulentos e criminosos, inclusive a simulação de títulos antigos de propriedade, frustrando-se as garantias de que o Código Civil revestiu os bens públicos;

Atendendo a que urge facilitar e fortalecer a ação dos Estados na reintegração e na defesa dessa parte de seus patrimônios e, ao mesmo tempo, orientar e promover o bom aproveitamento dessas terras, de conformidade com os altos interesses nacionais.

DECRETA:

Art. 1º - Compete aos Estados regular a administração, concessão, exploração, uso e transmissão das terras devolutas que lhes pertencem, excluída sempre (Cód. Civil, arts. 66 e 67) a aquisição por usucapião, e na conformidade do presente decreto e leis federais aplicáveis.

Art. 2º - Na concessão de terras devolutas, observadas as regras que a legislação respectiva consignar, se procurará sempre facilitar e estimular a formação de pequenas propriedades, e a sua ocupação efetiva e cultura, pelos concessionários respectivos.

Art. 3º - Nenhuma concessão de terras devolutas se fará a sindicato, empresa ou sociedade estrangeira, ou a estrangeiro não domiciliado na localidade, sem autorização prévia do governo Federal.

Art. 4º - Toda concessão será publicada na folha oficial do Estado, com indicação minuciosa de suas condições e dos característicos da terra.

Art. 5º - Os títulos expedidos pelo Estado e as certidões autênticas dos termos lavrados em suas repartições administrativas, referentes à concessão de terras devolutas, valerão, qualquer que seja o preço da concessão, para os efeitos da transcrição do Registro de Imóveis, depois da publicação exigida pelo art. 4º.

Art. 6º - No curso de qualquer processo judicial referente a terras devolutas, em que seja parte a Fazenda Nacional ou Estadual, poderá o juiz, ou tribunal competente, sempre que se evidencie ato fraudatório, ou a falsificação ou falsidade de documentos, declaração ou depoimento, produzido nos mesmos autos, decretar, de plano, a prisão administrativa, até 30 dias, do responsável ou responsáveis, sem prejuízo de procedimento criminal a que serão estes submetidos ulteriormente.

Parágrafo único – Da decisão sobre prisão, em tais casos, caberá, com efeito suspensivo, recurso para o Tribunal Superior, ou embargos perante o mesmo Tribunal.

Revogam-se as disposições em contrário.

Rio de Janeiro, 27 de abril de 1931, 110º da Independência e 34º da República.

(a) Getúlio Vargas

(b) Oswaldo Aranha

(Diário Oficial de 1º de Maio de 1931)

 

Fonte: Sesmarias, 1988
Autor: Vicente da Silva Loureiro
Compilação: Walter de Aguiar Filho, outubro/2013

Matérias Especiais

A mata virgem - François Augusto Biard, 1858

A mata virgem - François Augusto Biard, 1858

Essa parede era, de fato, a igreja, mas apenas a fachada; se de perfil não passava de um alto muro de três pés de espessura, de frente era mesmo uma fachada

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Britz - Por Milson Henriques

De qualquer modo vamos ao agradável labor de rememorar os que eu freqüentava, lembrando que havia também as boates Buteko, Cave, Aux Chandelles, Porão 214,...

Ver Artigo
Morro Inhoá

No pé do morro Inhoá, havia a edificação onde originalmente funcionou a primeira fábrica de sabão

Ver Artigo
A fonte de Inhoá

Desde a época do Primeiro Donatário, Vasco Fernandes Coutinho, já se bebia água da fonte de Inhoá

Ver Artigo
A santa da Praia é Rita - Sandra Aguiar

A comunidade contou logo com uma paróquia, a Santa Rita, cuja primeira sede data de 1935

Ver Artigo
A Cidade em outros tempos

Bondes, lanchas, manguezais e catraeiros nos remetem há uma época que creio não retornará. Vou citar alguns fatos e nomes de alguns personagens

Ver Artigo