Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Padre, poeta, pré-barroco

Busto do Padre José de Anchieta localizado no pátio da Igreja Nossa Senhora de Assunção em Anchieta, ES

Catequista, gramático, poeta, considerado a figura máxima do pré-barroco brasileiro, o padre Anchieta – Apóstolo do Brasil – era espanhol da Ilha de Tenerife (Canárias), mas viveu parte de sua vida no Brasil, inclusive no Espírito Santo. Veio para Anchieta onde fundou o primeiro povoado. Uma igreja em homenagem a Nossa Senhora da Assunção foi construída logo nos primeiros tempos.

Estudou Humanidades em Coimbra e foi convidado para integrar à Companhia de Jesus em 1551. Depois fez parte da comitiva do segundo governador geral do Brasil, Duarte da Costa, que chegou à Bahia em 13 de julho de 1553. Enviado para a Capitania de São Vicente, fundou o Colégio Piratininga. Aprendeu a língua tupi e construiu uma choupana, que servia de colégio, igreja, hospital, despensa e moradia dos jesuítas. Compôs uma gramática e um vocabulário tupi e traduziu para o mesmo idioma o catecismo. Isso facilitou o ensino cristão às crianças indígenas.

Na revolta dos tamoios contra os portugueses, Anchieta foi feito refém e ficou meses como prisioneiro. Na prisão, escreveu o seu Poema à Virgem, em latim. Em 1595 sua Arte de Gramática da Língua Tupi foi publicado em Coimbra. No Espírito Santo, onde passou os últimos dias de sua vida, estrearam oito das 12 peças teatrais que escreveu, com fins catequéticos, em português, castelhano e tupi. Outra obra famosa é o Poema a Mem de Sá.

Anchieta viveu 44 anos no Brasil, dos quais oito foram dedicados ao Espírito Santo, onde morreu no dia 9 de junho de 1597, aos 63 anos. Seu corpo foi levado pelos ìndios de Reriritiba até Vitória, percorrendo 80 quilômetros a pé durante três dias. Ele foi sepultado na igreja de São Thiago, onde atualmente é o Palácio Anchieta, que abriga seu túmulo de forma simbólica.

 

Fonte: A Gazeta 26 de setembro de 1994

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Palavras que vieram da África

A influência do negro na nossa cultura foi bastante expressiva. Os hábitos e costumes africanos penetraram no nosso cotidiano

Ver Artigo
Epidemias e Ameaças - Por Serafim Derenzi

Os franceses, que ameaçaram a costa em 1551, voltaram em 1558 ao Porto de Vitória, onde dormiram 

Ver Artigo
A febre amarela no Espírito Santo em 1850

A Providência Divina vela certamente sobre a população desta Província que, sem o seu auxílio, estaria hoje extinta por falta de recursos da medicina

Ver Artigo
Varíola, cólera, fome em meados do Século XIX no ES

Já em fevereiro de 1855, um ofício do barão de Itapemirim falava em mais de mil vítimas 

Ver Artigo
Porto de Cachoeiro foi marco de crescimento

“Mas o transporte fluvial era tão importante, que a sede da colônia veio para o porto das embarcações, o Porto de Cachoeiro, que hoje é Santa Leopoldina”

Ver Artigo