Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Pedro Palácios – Por Solimar de Oliveira

Frei Pedro Palácios e os colonos, quadro de Benedito Calixto, do Acervo do Convento da Penha

Ave, condor da fé, que aos píncaros supremos

Elevastes, a arder na religiosa unção,

A igreja espiritual que aos homens diz — amemos!

E o símbolo maior de nossa Religião!

 

Turíbulo de amor todo ideal aí temos,

Circundado da luz de santa emanação,

Marco eterno apontando a todos os extremos

Os caminhos da paz, do amor, da redenção...

 

Suprema encarnação de um gênio de bondade,

Que a tantos corações dando luz e piedade,

Como a um povo de Deus o seu povo conduz..

 

Frei Pedro, o bom, o santo, o taumaturgo ousado,

Foi de fato entre nós o mais iluminado,

Porque o servo mais pobre e humilde de Jesus!

 

 

Cachoeiro, 21 de janeiro 1953

 

Por Solimar de Oliveira

 

Fonte: O Relicário de um povo – O Santuário de Nossa Senhora da Penha, 2ª edição, 1958
Autor da poesia: Solimar de Oliveira
Autora do livro: Maria Stella de Novaes
Compilação: Walter de Aguiar Filho, abril/2018

Convento da Penha

O Legado de Pedro Palácios – Por Guilherme Santos Neves

O Legado de Pedro Palácios – Por Guilherme Santos Neves

É ele a réplica fiel do pobrezinho de Assis em terras brasileiras e, mais particularmente, mais queridamente, em terras capixabas

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Inscrições – Por Maria da Gloria de Freitas Duarte

Em Vila Velha e nos seus arredores são encontradas várias inscrições, históricas ou não, como as que registramos

Ver Artigo
História da Festa da Penha

A Festa da Padroeira dos capixabas sempre foi o principal acontecimento religioso de Vila Velha. Segundo a Lei nº 7, de 12/11/1844, o dia da Festa da Penha passou a ser considerado feriado em toda a Província do Espírito Santo

Ver Artigo
Todos os motivos nos levam à Festa da Penha

Desde 1570 comemoramos a Festa da Penha oito dias após a Páscoa. Ela é a festa cristã pioneira da América

Ver Artigo
Campo de Piratininga na história do Convento

Os franciscanos compraram o campo de Piratininga, por 5$000, a Da. Catarina de Vide, viúva de Manuel de Vide, o compadre e amigo de Anchieta

Ver Artigo
As Terras do Convento – Por Nobertino Bahiense

O documento de doação feita pela Governadora da Capitania do Espírito Santo, Da. Luísa Grinalda, desde a longínqua data de 6 de dezembro de 1591

Ver Artigo