Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Pomeranos

Festa folclórica de descendentes de europeus - Pomeranos

Os pomeranos, ou pomerânios, foram os mais numerosos alemães que vieram para o Espírito Santo.

A Pomerânia, situada no norte da Europa, na região do mar Báltico, estava sob o domínio da Prússia.

Esses imigrantes se localizaram na região serrana de Santa Leopoldina e Domingos Martins, dando origem, mais tarde, ao Município de Santa Maria de Jetibá.

Os primeiros pomerânios que aqui chegaram acompanhavam um grupo de imigrantes alemães. Eram poucos, não chegavam a uma dezena.

A situação na Europa dificultava-lhes a vida. A Pomerânia era uma região de conflitos constantes, e estava sob o domínio da Prússia, como já dissemos.

O Brasil, necessitado de mão-de-obra, acolhia os imigrantes europeus para impulsionar as lavouras.

De 1858 a 1859, chegou um novo grupo de pomerânios. Mais tarde, por volta de 1933, desembarcaram mais de dois mil no Porto de Vitória.

De início, localizaram-se nas terras que lhes tinham sido destinadas pelo governo brasileiro, em Santa Leopoldina e em Santa Isabel. Mais tarde, espalharam-se por Pancas, São Gabriel da Palha e Vila Pavão.

O isolamento das áreas urbanas, a dificuldade de comunicação, o idioma diferente, a falta de ferramentas adequadas aos trabalhos da lavoura, foram uma constante nos problemas enfrentados pelos colonos, vindos das diversas regiões européias.

O governo brasileiro, enfrentando crises econômicas, não pôde, na verdade, dar maior colaboração aos colonos necessitados de ajuda e proteção.

A Igreja Luterana foi a base de sustentação e união dos pomerânios. Ocupava, por assim, dizer, o lugar do governo. Além de servir de escola, prestava assistência médica e social, colaborava diretamente com seus membros.

Pelo fator de isolamento nas montanhas, muitos hábitos e costumes das suas terras de origem se impuseram no modo de vida pomerânio.

Alimentavam-se do brote (uma mistura de inhame, batata doce e milho) e, em vez do arroz, comiam a canjica de milho.

Conservavam o idioma e os dialetos do seu país. Os cânticos nas igrejas e todo o cerimonial eram realizados na língua alemã.

Durante a Segunda Guerra Mundial, o governo brasileiro decretou a proibição do uso de qualquer língua que não fosse a portuguesa. Foi um transtorno para os colonos estrangeiros. Eles foram obrigados à adaptação de uma nova situação, procurando inclusive pessoas que falavam o português para ensinar nas escolas. Eles próprios passaram a usar a língua portuguesa, com sotaque carregado, misturando palavras e frases com os dialetos dos seus países.

A relação com a terra, o conhecimento agrícola, a disposição pelo trabalho e, principalmente, o espírito comunitário foram os fatores de sobrevivência e, depois, do desenvolvimento da comunidade pomerânia. Enfrentaram desafios sem conta, mas transformaram áreas da mata virgem em terras férteis e produtivas.

Hoje o território pomerânio é formado por um conjunto de vilas e núcleos rurais que têm como eixo principal a cidade de Santa Maria, antigo distrito que se emancipou de Santa Leopoldina em 1988.

A região é cortada pelo Rio Santa Maria da Vitória.

 

Fonte: Espírito Santo - História de suas Lutas e Conquistas, 2002
Autora: Neida Lúcia Moraes
Compilação: Walter de Aguiar Filho, agosto/2013 


LINKS RELACIONADOS:

 Imigração no ES
 Imigrantes Libanese

Imigração no ES

Tiroleses

Tiroleses

Em meados de 1800, mais ou menos 1857, austríacos da região do Tirol se instalaram no Município de Santa Leopoldina

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Imigrantes Italianos – Venda Nova dos Imigrantes

A classe operária não tinha perspectivas de melhoria se continuasse a viver na Itália. Sabe-se que diversas famílias que colonizaram Venda Nova (Falqueto, Caliman e Zandonadi). A vinda para a América os fascinava.

Ver Artigo
Colonização Polonesa no ES

Com a construção da ponte sobre o Rio Doce, em Colatina, uma das soluções encontradas pelo Governo Estadual foi fomentar a imigração para povoar aquela região

Ver Artigo
Emigrantes Portugueses de Origem Judaica - Ester Abreu

A autora fala a respeito das diásporas judaicas, os percalços desse povo para conservar seu estilo de vida e religião e da presença desse povo no Espírito Santo, oriundos de Portugal

Ver Artigo
Fotógrafo Cilmar Franceschetto pesquisa comunidade italiana

A beleza do biótipo de influência italiana é tema permanente no trabalho de antropologia visual de Cilmar Franceschetto

Ver Artigo
Imigrantes deixaram portugueses para trás

Na opinião de Renato Pacheco, lusos perderam o bonde da história e foram suplantados por uma cultura mais forte, que fez o desenvolvimento do Estado

Ver Artigo