Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Praça Costa Pereira

Praça Costa Pereira em 1930 - Foto José Luiz Pizzol

Praça é sempre um nome que remete à lembrança de crianças brincando, monumentos em homenagem a personagens importantes da história, namorados o conversar em bancos, vendedores de bugigangas. Mas no Centro de Vitória, além da memória corriqueira dos logradouros, as praças guardam lembranças especiais para seus moradores.

"A Praça Costa Pereira é o lugar ideal para refletir a cidade, a vida. Não sei, se são as árvores, talvez, o barulho dos passarinhos". Márcia Gáudio, atriz.

A Praça Costa Pereira foi primeiro conhecida como Prainha, depois Largo da Conceição, e entre os anos de 1922 e 1960, como praça da Independência. Mais de dois terços da sua área eram banhados pelo mar, e o aterro foi sendo feito aos poucos. Dos prédios que ladeavam a Costa Pereira se destacavam o Hotel Império, a Casa Madame Prado, a sede do Clube Álvares Cabral, o Café Avenida, a sorveteria Pinguim, o Teatro Carlos Gomes.

Diz Elmo Elton que a partir dos anos 50 a Costa Pereira deixou de ser ponto preferido da sociedade. vulgarizou-se, tornando-se, durante o dia, local de vendedores de bugigangas, e, à noite, de encontros duvidosos.

Hoje, num passeio pela Praça Costa Pereira durante o dia, continuamos a encontrar vendedores de bugigangas. Mas também encontramos vendedores de terrenos no céu, de ervas medicinais e de todas as crendices que o homem possa inventar. Homens e mulheres, jovens e velhos, observam o tempo sentados nos bancos da praça. À noite, vive solitária, abrigando raros casais apaixonados. Porém nas manhãs de domingo a deliciosa presença do chorinho do regional Mestre Flores transforma solitários em solidários.

 

Projeto Adelpho Poli Monjardim
Coleção Elmo Elton 2 - Centro de Vitória
Uma publicação da Secretaria Municipal de Cultura da Prefeitura Municipal de Vitória, ES
Prefeito Municipal: Luiz Paulo Vellozo Lucas
Secretária de Cultura: Cláudia Cabral
Subsecretária de Cultura: Verônica Gomes
Diretor do Departamento de Cultura: Joca Simonetti
Administradora da Biblioteca Adelpho Poli Monjardim: Lígia Mª Mello Nagato
Conselho Editorial: Adilson Vilaça, Condebaldes de Menezes Borges, Joca Simonetti, Elizete Terezinha Caser Rocha, Ligia Mª Mello Nagato e Lourdes Badke Ferreira
Editor: Adilson Vilaça
Projeto Gráfico e Editoração Eletrônica: Cristina Xavier
Revisão: Djalma Vazzoler
Impressão: Gráfica Santo Antônio
Tiragem da 1ª Edição - 1000 exemplares.
Fonte: Centro de Vitória, Coleção Elmo Elton nº2 – PMV, 1999
Texto: Maria Cristina Dadalto
Fotos: Judas Tadeu Bianconi
Compilação: Walter de Aguiar Filho, setembro/2020

Monumentos

Ruínas dos Jesuítas

Ruínas dos Jesuítas

As ruínas estão localizadas onde era a grande Fazenda Araçatiba, que se estendia da primeira cachoeira do Rio Jucu, em Viana até a foz na Barra do Jucu, chegando na Ponta da Fruta

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Forte São Francisco Xavier – Por Seu Dedê

No dia 23 de maio de 1535, o Capitão-mor Vasco Fernandes Coutinho desembarcou em Vila Velha e construiu uma paliçada para defesa dos ataques dos senhores destas paragens

Ver Artigo
Palácio Anchieta

No início da colonização do Espírito Santo os jesuítas começaram a erguer uma igreja e sua residência provisória na Cidade Alta, imediações onde se localiza hoje o Palácio Anchieta

Ver Artigo
A História do Morro do Moreno – Por Seu Dedê

O sítio natural conhecido como Morro do Moreno foi palco de vários eventos importantes da história do Espírito Santo

Ver Artigo
Teatro Carlos Gomes

Principal teatro de Vitória, o Carlos Gomes foi inaugurado a 5 de janeiro de 1927, com a peça Verde e Amarelo, de Patrocínio Filho, representada pela Companhia Tan-Tan

Ver Artigo
Praça Costa Pereira

"A Praça Costa Pereira é o lugar ideal para refletir a cidade, a vida. Não sei, se são as árvores, talvez, o barulho dos passarinhos". Márcia Gáudio, atriz

Ver Artigo