Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Rendas – Despesas – Dívidas na Província do ES

Tabela elaborada com base na transcrição do original existente na Memória Estatísticada Província do Espírito Santo escrita no ano de 1828 por Ignácio Accioli de Vasconcellos

Arrecadando 23:378$000, o Espírito Santotinha seus gastos, para 1827-28, calculados em 48:121$413. (XV)

Perduravam, como se vê, os déficits, raramente superados nos séculos precedentes. Para aliviá-los, determinara o imperador – pela provisão de nove de fevereiro de 1826 – fossem entregues aos cofres da província as sobras dos rendimentos de Campos que, em 1827, totalizaram 8:933$629 e – por ato de catorze de novembro de 1826 – se consignasse, mensalmente, em favor dos cofres espíritosantenses,a quantia de 4:000$000. Entretanto, “pela estreiteza do comércio”,andava atrasadíssimo o pagamento da mesada, provocando, isso facto, o acúmuloda dívida passiva, que aumentava sempre. (XVI)

 

NOTAS

XV -

RENDAS PÚBLICAS

As fontes donde dimanam as rendas públicas são as seguintes:

Ver foto abaixo da matéria.

Andam por administração os artigos (a) (b) (c) e parte de (n) na forma das leisconcernentes a cada um.

Nunca foram administrados, nem arrematados os artigos (o) (p) (q) (r) (s) (t) (u) (z) (y)mas cobrado na Junta da Fazenda conforme as leis concernentes a cada um.

As suas aplicações são as seguintes:

Ver foto abaixo da matéria.

Ver foto abaixo da matéria.

INÁCIO ACIÓLI, Memória.

Tabela elaborada com base na transcrição do original existente na Memória Estatísticada Província do Espírito Santo escrita no ano de 1828 por Ignácio Accioli de Vasconcellos.Vitória, Arquivo Público Estadual, 1978 [Nota do editor].

XVI –

Ver foto abaixo da matéria.

INÁCIO ACIÓLI, Memória.

Tabela elaborada com base na transcrição do original existente na Memória Estatísticada Província do Espírito Santo escrita no ano de 1828 por Ignácio Accioli de Vasconcellos. Vitória, Arquivo Público Estadual, 1978 [Nota do editor].

 

Fonte: História do Estado do Espírito Santo, 3ª edição, Vitória (APEES) - Arquivo Público do Estado do Espírito Santo – Secretaria de Cultura, 2008
Autor: José Teixeira de Oliveira
Compilação: Walter Aguiar Filho, maio/2018



GALERIA:

📷
📷


História do ES

Panorama do ES em 1862

Panorama do ES em 1862

Brás Rubim descreve, em forma de verbetes, suas impressões do Espírito Santo em 1862

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Quarto Minguante – Marcondes de Souza e Bernardino Monteiro

O período de 1912 ao começo de 1920 corresponde ao princípio e ao fim da crise internacional, oriunda da primeira guerra, que rebentou em julho de 1914 e teve armistício em novembro de 1918

Ver Artigo
Jerônimo Monteiro – Urbanismo em Perspectiva

O volume de terra, material escasso na ilha de Vitória; para aterrar o banhado, não preocupou o governo de Jerônimo Monteiro 

Ver Artigo
As guerras imperiais e seus reflexos no Espírito Santo – Por João Eurípedes Franklin Leal

O Ururau era em brigue de transporte, armado com seis bocas de fogo, que próximo a barra da baía de Vitória combateu por hora e meia um barco argentino o “Vencedor de Ituzaingu”

Ver Artigo
O recrutamento do Ururau - 1827

Gravíssimo incidente abalou o Espírito Santo quando da passagem, pelo porto de Vitória, do brigue de guerra Ururau, em 1827

Ver Artigo
Finda o Governo do Primeiro Donatário - Por Mário Freire

Confiou o governo a Belchior de Azevedo, como Capitão, com os poderes e a jurisdição que o donatário exercera: firmou esse ato na "vila de N. S. da Vitória"

Ver Artigo