Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Rendas – Despesas – Dívidas na Província do ES

Tabela elaborada com base na transcrição do original existente na Memória Estatísticada Província do Espírito Santo escrita no ano de 1828 por Ignácio Accioli de Vasconcellos

Arrecadando 23:378$000, o Espírito Santotinha seus gastos, para 1827-28, calculados em 48:121$413. (XV)

Perduravam, como se vê, os déficits, raramente superados nos séculos precedentes. Para aliviá-los, determinara o imperador – pela provisão de nove de fevereiro de 1826 – fossem entregues aos cofres da província as sobras dos rendimentos de Campos que, em 1827, totalizaram 8:933$629 e – por ato de catorze de novembro de 1826 – se consignasse, mensalmente, em favor dos cofres espíritosantenses,a quantia de 4:000$000. Entretanto, “pela estreiteza do comércio”,andava atrasadíssimo o pagamento da mesada, provocando, isso facto, o acúmuloda dívida passiva, que aumentava sempre. (XVI)

 

NOTAS

XV -

RENDAS PÚBLICAS

As fontes donde dimanam as rendas públicas são as seguintes:

Ver foto abaixo da matéria.

Andam por administração os artigos (a) (b) (c) e parte de (n) na forma das leisconcernentes a cada um.

Nunca foram administrados, nem arrematados os artigos (o) (p) (q) (r) (s) (t) (u) (z) (y)mas cobrado na Junta da Fazenda conforme as leis concernentes a cada um.

As suas aplicações são as seguintes:

Ver foto abaixo da matéria.

Ver foto abaixo da matéria.

INÁCIO ACIÓLI, Memória.

Tabela elaborada com base na transcrição do original existente na Memória Estatísticada Província do Espírito Santo escrita no ano de 1828 por Ignácio Accioli de Vasconcellos.Vitória, Arquivo Público Estadual, 1978 [Nota do editor].

XVI –

Ver foto abaixo da matéria.

INÁCIO ACIÓLI, Memória.

Tabela elaborada com base na transcrição do original existente na Memória Estatísticada Província do Espírito Santo escrita no ano de 1828 por Ignácio Accioli de Vasconcellos. Vitória, Arquivo Público Estadual, 1978 [Nota do editor].

 

Fonte: História do Estado do Espírito Santo, 3ª edição, Vitória (APEES) - Arquivo Público do Estado do Espírito Santo – Secretaria de Cultura, 2008
Autor: José Teixeira de Oliveira
Compilação: Walter Aguiar Filho, maio/2018



GALERIA:

📷
📷


História do ES

O fazedor de pontes: Breve notícia histórica

O fazedor de pontes: Breve notícia histórica

Devemos a ele, especificamente, a construção das três pontes que contribuíram de maneira mais acentuada para o escoamento de três pontos-chave para o desenvolvimento do Espírito Santo: a ligação da capital ao continente; a ligação entre as margens da cidade de Santa Leopoldina, a mais progressista cidade capixaba da época; a ligação entre as margens do Rio Doce, na época a última fronteira da civilização no rumo do norte do território

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Ano de 1558 ainda – Por Basílio Daemon

Fernão de Sá, desembarcou à margem do rio Cricaré, hoje São Mateus, unindo-se logo às forças que o donatário Vasco Coutinho enviara a auxiliar as de Mem de Sá   

Ver Artigo
Ano de 1554 e 1555 – Por Basílio Daemon

Partiu para Portugal o donatário Vasco Fernandes Coutinho, deixando em seu lugar, para administrar a capitania, D. Jorge de Menezes 

Ver Artigo
Ano de 1550 – Por Basílio Daemon

A Alfândega, pelas investigações que fizemos, e como adiante se verá, no século XVII parece-nos ter sido estabelecida no local em que existe a casa de propriedade do Sr. Firmino de Almeida Silva 

Ver Artigo
Ano de 1539, 1540, 1547 e 1549 – Por Basílio Daemon

A escritura de doação foi firmada ainda em 1540, no entanto apenas em 1549 o monarca assinaria a carta de confirmação dela a pedido de Duarte de Lemos   

Ver Artigo
Doação da Ilha de Vitória a Duarte de Lemos

Mais uma vez a história do Espírito Santo traz “novos” fatos que favorecem o fim da cobrança da taxa de marinha na Ilha de Vitória

Ver Artigo