Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Rua Cristóvão Colombo (desaparecida) – Por Elmo Elton

Prospecto e planta da Villa da Victoria e Planta da barra, final do Século XVIII, ainda contendo a Rua Cristóvão Colombo destacada em linha amarela no mapa.

Datava do começo do século XVIII. Tinha início na Rua do Rosário e terminava na Rua Barão de Monjardim. Tortuosa, de sobrados e casas baixas, desapareceu quando das obras do Batalha, para alargamento da área onde se construiu a avenida Capixaba. Nesta artéria passavam os bondinhos puxados a burro, cuja linha, inaugurada em 1907, alongava-se da Rua do Comércio até o Forte de São João. Os bondes, em números de três, chegaram a Vitória, no paquete Olinda, por encomenda da empresa Carril-Suá, sendo o coronel Aristides Navarro o empresário de tal melhoramento.

A iluminação a gás, inaugurada a 16 de novembro de 1878, tinha seu gasômetro instalado nessa artéria, daí que muito procurada pelos usuários, sobretudo quando das suspensões de fornecimento do produto.

Da antiga Cristóvão Colombo resta um trechinho de nada, ao lado da Barão de Monjardim, sendo que uma escadaria, ao término da extinta rua, tem, agora, o nome do descobridor. A escadaria, estreita, em rampa íngreme, dá subida para o morro do Vigia.

 

Foto abaixo da matéria:

Fonte: Logradouros antigos de Vitória, 1999 – EDUFES, Secretaria Municipal de Cultura
Autor: Elmo Elton
Compilação: Walter de Aguiar Filho, outubro/2017



GALERIA:

📷
📷


Bairros e Ruas

Logradouros antigos de Vitória – Por Serafim Derenzi

Logradouros antigos de Vitória – Por Serafim Derenzi

LARGO DA MATRIZ — hoje Catedral, com a elevação do Estado a Bispado. Praça fronteira ao templo, onde se situava pequeno cemitério

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Praça João Clímaco (ex-praça Afonso Brás) – Por Elmo Elton

Em 1910, Jerônimo Monteiro, quando o logradouro tinha o terreno inclinado, para aplainá-lo, construiu-se um muro de arrimo, coroado por balaustrada, fronteiro à atual Rua Nestor Gomes

Ver Artigo
Como nasceu a Vitória – Por Areobaldo Lellis

Circundada por montanhas desabitadas, os seus extremos eram ligados, a partir das Pedreiras, hoje Barão Monjardim

Ver Artigo
Rua 13 de Maio (ex-rua do Piolho) – Por Elmo Elton

Esse caminho, sinuoso passou a ser a Rua do Piolho, que, já neste século, trocaria de nome para rua Treze de Maio

Ver Artigo
Rua 23 de Maio

Era considerada, até os anos 40, como ponto nobre da cidade. Teve belas residências, destacando-se sobretudo a Vila Oscarina, palacete de propriedade de Antenor Guimarães

Ver Artigo
Ponta da Fruta – Por Edward Athayde D’Alcântara

Até os anos 40 era pequena e conhecida ainda como vila de pescadores e era considerada área rural do município

Ver Artigo