Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Rua Dom Fernando – Por Elmo Elton

Rua Dom Fernando, anos 60 - Foto: Acervo Jorge Bernardino, Fotos Antigas do ES (FB)

Antes era estreitíssimo o caminho, ou melhor, apenas picada aberta em terreno acidentado, que quase esbarrava com a ladeira da Tapera, chegando até o Convento de São Francisco. A rua, tal como hoje se encontra, estreita e tortuosa, foi aberta pelo engenheiro Moacyr Avidos, quando prefeito municipal de Vitória, partindo a mesma de frente do antigo convento e terminando na Praça Misael Pena. Seu traçado e pavimentação se fizeram para que por ela passasse a linha do bonde circular, ligando o centro à parte alta da cidade. Para sua melhor preservação, isto é, a fim de evitar desabamentos de terras do morro de São Francisco, construiu-se, ao longo da calçada, do lado direito, uma sólida murada de pedra. Hoje, não mais o bonde, mas carros e caminhões lhe movimentam o tráfego, ali se construindo vários edifícios residenciais.

O patrono, Dom Fernando de Souza Monteiro, nasceu na fazenda Monte Líbano, em Cachoeiro de Itapemirim, em 1866. Foi o segundo bispo da Diocese do Espírito Santo, no período de 1902 a 1916, ano em que faleceu, no Rio de Janeiro, a 23 de março. Foi sepultado na capela do Colégio do Carmo, em Vitória. Patrono da cadeira n° 8 da Academia Espírito-santense de Letras. A historiadora Maria Stella de Novaes escreveu-lhe substanciosa biografia, sob o título Um Bispo Missionário, obra premiada pela Academia Brasileira de Letras (Prêmio José Veríssimo), em 1952.

 

Fonte: Logradouros antigos de Vitória, 1999 – EDUFES, Secretaria Municipal de Cultura
Autor: Elmo Elton
Compilação: Walter de Aguiar Filho, janeiro/2017

Bairros e Ruas

Rua Dois de Dezembro (ex-rua do Beco) – Por Elmo Elton

Rua Dois de Dezembro (ex-rua do Beco) – Por Elmo Elton

Tinha começo em frente à Loja Maçônica Ordem e Progresso, onde se construíra um chafariz, e terminava no largo da Matriz, quase paralela à José Marcelino

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Praça D. Luiz Scortegagna (ex-largo da Matriz) – Por Elmo Elton

O largo da Matriz não tinha calçamento, era de chão batido. Desaparecidas as ruas 2 de Dezembro e Domingos Martins, a área, antes exígua, se ampliou 

Ver Artigo
Primeiros moradores do Farol de Santa Luzia

Os primeiros moradores da região do Farol de Santa Luzia, na Praia da Costa, Vila Velha, foram...

Ver Artigo
Rua Dois de Dezembro (ex-rua do Beco) – Por Elmo Elton

Tinha começo em frente à Loja Maçônica Ordem e Progresso, onde se construíra um chafariz, e terminava no largo da Matriz, quase paralela à José Marcelino

Ver Artigo
Rua Cristóvão Colombo (desaparecida) – Por Elmo Elton

Da antiga Cristóvão Colombo resta um trechinho de nada, ao lado da Barão de Monjardim, sendo que uma escadaria, ao término da extinta rua, tem, agora, o nome do descobridor. A escadaria, estreita, em rampa íngreme, dá subida para o morro do Vigia

Ver Artigo
Movimento que desenha a cidade – Jardim da Penha

Desse modo, são menos comuns os movimentos urbanos que refletem sobre a qualidade da paisagem urbana, o desenho, o volume das construções

Ver Artigo