Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Rua Dr. João Santos Neves (ex-rua do Ocidente) – Por Elmo Elton

Rua João Santos Neves, quando ainda era chamada de Rua Misael Pena, 1911.

Chamou-se, a princípio, Rua da Caridade, depois ficou conhecida como rua do Ocidente. No início deste século, recebeu o nome de Misael Pena. Em 1945, com o falecimento, do Dr. João dos Santos Neves, que ali residiu por muitos anos, em prédio demolido recentemente, a artéria rebatiza-se com o nome desse ilustre médico. Dando frente para o referido logradouro, existiu, antes, o Hospital da Caridade, instituído em 1817, depois passando à denominação de Santa Casa de Misericórdia, em colina doada pela Sra. Maria de Oliveira Subtil, sendo o mesmo entregue à inspeção da Irmandade da Misericórdia, que datava de 1545. O presidente Francisco Alberto Rubim, que governou a província de 12 de junho de 1812 a 12 de setembro de 1819, quando transferido para o Ceará, deu inteiro apoio à benemérita instituição, "confirmando-lhe doações e privilégios para cobrança de taxas sobre vendas de tábuas e gêneros alimentícios".

A Lei n° 10, de 14 de novembro de 1844, declarou pertencer à Santa Casa o imposto de despacho marítimo. A 5 de maio de 1857 ali se realizou a primeira operação cirúrgica, levada a efeito em Vitória, com a amputação da perna esquerda de Fabiano, escravo alforriado. O paciente foi cloroformizado, sendo a operação realizada, com êxito, pelo Dr. Carlos Teixeira de Souza Fernandes, nomeado médico da província, pela Lei n° 2, de 8 de julho de 1855.

A 30 de maio de 1910 efetuou-se reunião, sob a presidência do provedor Valdemiro da Silveira, para discutir-se definitivamente sobre a necessidade da construção de novo prédio da Santa Casa, visto que o existente já não mais satisfazia as exigências da população. O morro onde o mesmo se assentava recebeu um corte, de modo a propiciar a construção de novos pavilhões, procedendo, a 17 de setembro de 1910, ao lançamento da pedra fundamental do edifício maior. Esse edifício, com artística escadaria, era dos mais importantes da cidade, sofrendo, nos últimos anos, diversas modificações, alterando-se. Inclusive, sua primitiva fachada.

A rua Dr. João dos Santos Neves, quando chamada Misael Pena, dispunha de excelentes residências, sendo que, no lugar das mesmas, distribuídas quase todas, agora se erguem novos edifícios, dentre os quais a Igreja Metodista de Vitória.

 

Fonte: Logradouros antigos de Vitória, 1999 – EDUFES, Secretaria Municipal de Cultura
Autor: Elmo Elton
Compilação: Walter de Aguiar Filho, novembro/2017

Bairros e Ruas

Os Bairros de Vitória - Por Adelpho Monjardim (1949)

Os Bairros de Vitória - Por Adelpho Monjardim (1949)

Dos edifícios importantes que a circundam, notam-se os da Alfândega e do Banco de Crédito Agrícola do Espírito Santo S/A. A face para o mar defronta-se com o Cais do Porto, seus guindastes e os grandes navios atracados

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Praça João Clímaco (ex-praça Afonso Brás) – Por Elmo Elton

Em 1910, Jerônimo Monteiro, quando o logradouro tinha o terreno inclinado, para aplainá-lo, construiu-se um muro de arrimo, coroado por balaustrada, fronteiro à atual Rua Nestor Gomes

Ver Artigo
Como nasceu a Vitória – Por Areobaldo Lellis

Circundada por montanhas desabitadas, os seus extremos eram ligados, a partir das Pedreiras, hoje Barão Monjardim

Ver Artigo
Rua 13 de Maio (ex-rua do Piolho) – Por Elmo Elton

Esse caminho, sinuoso passou a ser a Rua do Piolho, que, já neste século, trocaria de nome para rua Treze de Maio

Ver Artigo
Rua 23 de Maio

Era considerada, até os anos 40, como ponto nobre da cidade. Teve belas residências, destacando-se sobretudo a Vila Oscarina, palacete de propriedade de Antenor Guimarães

Ver Artigo
Ponta da Fruta – Por Edward Athayde D’Alcântara

Até os anos 40 era pequena e conhecida ainda como vila de pescadores e era considerada área rural do município

Ver Artigo