Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Rua Imaculada Conceição (ex-ladeira da Tapera) - Por Elmo Elton

Rua Imaculada Conceição (ex-ladeira da Tapera)

A ladeira começava na Rua da Lapa, atual Thiers Veloso, e terminava no caminho de São Francisco, hoje rua Dom Fernando. Nela os franciscanos, chegados a Vitória em 1589, tiveram residência e capela provisórias, antes de darem início à construção do Convento. Frei Antônio dos Mártires, que, em fins de 1590 ou começo de 1591, obtivera licença de sua Ordem para edificar um monastério em Vitória, faleceu, logo depois, isto é, em 1592, sendo seu corpo sepultado na capela provisória da Tapera, ali seus restos mortais ficaram até 1601, quando transladados para o Convento de São Francisco, inaugurado naquele ano, com missa celebrada a 2 de agosto, no altar do orago. Os mesmos padres mantiveram, por muito tempo, alojamento de escravos na referida artéria, daí ser a mesma também conhecida por ladeira da Senzala.

De chão batido, íngreme e tortuoso, o capim crescendo junto das construções de taipa, a ladeira, depois dos anos 50, já neste século, foi alargada, ganhou calçamento de paralelepípedos, passando a denominar-se Rua Imaculada Conceição, — padroeira da província sul da Ordem Franciscana no Brasil.

 

Fonte: Logradouros antigos de Vitória, 1999 – EDUFES, Secretaria Municipal de Cultura
Autor: Elmo Elton
Compilação: Walter de Aguiar Filho, outubro/2017

Bairros e Ruas

Praia da Costa - década de 1950

Praia da Costa - década de 1950

Na foto pode-se observar o antigo Rio da Costa bastante caudaloso que vai serpenteando o Convento da Penha antes de ser retificado, quando ocorreu a grande enchente na década de 1960

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Praça João Clímaco (ex-praça Afonso Brás) – Por Elmo Elton

Em 1910, Jerônimo Monteiro, quando o logradouro tinha o terreno inclinado, para aplainá-lo, construiu-se um muro de arrimo, coroado por balaustrada, fronteiro à atual Rua Nestor Gomes

Ver Artigo
Como nasceu a Vitória – Por Areobaldo Lellis

Circundada por montanhas desabitadas, os seus extremos eram ligados, a partir das Pedreiras, hoje Barão Monjardim

Ver Artigo
Rua 13 de Maio (ex-rua do Piolho) – Por Elmo Elton

Esse caminho, sinuoso passou a ser a Rua do Piolho, que, já neste século, trocaria de nome para rua Treze de Maio

Ver Artigo
Rua 23 de Maio

Era considerada, até os anos 40, como ponto nobre da cidade. Teve belas residências, destacando-se sobretudo a Vila Oscarina, palacete de propriedade de Antenor Guimarães

Ver Artigo
Ponta da Fruta – Por Edward Athayde D’Alcântara

Até os anos 40 era pequena e conhecida ainda como vila de pescadores e era considerada área rural do município

Ver Artigo