Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Rua Marcelino Duarte – Por Elmo Elton

Galeria do Ed. Palácio do Café e loja Elmo, localizadas a frente da Rua Marcelino Duarte, anos 70

Começa onde antes funcionou o Eden-Parque. sendo mais conhecida como rua do Teatro Glória, estendendo-se até a Barão de Itapemirim, sendo cortada ao meio pela avenida Jerônimo Monteiro. Das casas comerciais de que dispunha esta artéria citam-se a Casa Madame Prado, de modas, o Café Avenida, a Casa Busato, de móveis, também o Clube de Regatas Álvares Cabral, todos dando frente para a Praça Costa Pereira, tendo existido, em dependência térrea do Teatro Glória, o Café Glória, sempre muito procurado, embora sem cadeiras para os freqüentadores, novidade na época.

A artéria surgiu com a abertura da Avenida Capixaba, em decorrência da demolição dos prédios que formavam a Rua Pereira Pinto. (Pereira Pinto tem seu nome batizando outra artéria da cidade, nos terrenos da antiga Chácara do Moniz.)

O patrono, Marcelino Pinto Ribeiro Duarte, foi, na opinião de Afonso Cláudio. "o primeiro e mais notável dos poetas espírito-santenses, no decurso da primeira metade do século XIX". Nasceu na vila da Serra (ES), a 18 de junho de 1788, falecendo em Niterói (RJ), a 7 de junho de 1860.

Ordenou-se padre, sem ter nenhuma vocação para o exercício religioso, conforme bem o comprovam as suas atitudes, ao longo da vida. Deixou o Espírito Santo, por questões políticas, já que inimigo ferrenho do governador Francisco Alberto Rubim, a quem satirizou, difamando-o sempre. O Imperador Pedro II agraciou-o com o grau de cavaleiro das Ordens de Cristo e da Rosa e, quando de seu falecimento, a municipalidade de Niterói deu-lhe o nome a uma das ruas dessa cidade. Patrono da cadeira n° 1 da Academia Espírito-santense de Letras.

 

Fonte: Logradouros antigos de Vitória, 1999 – EDUFES, Secretaria Municipal de Cultura
Autor: Elmo Elton
Compilação: Walter de Aguiar Filho, novembro/2017

Bairros e Ruas

Rua Dois de Dezembro (ex-rua do Beco) – Por Elmo Elton

Rua Dois de Dezembro (ex-rua do Beco) – Por Elmo Elton

Tinha começo em frente à Loja Maçônica Ordem e Progresso, onde se construíra um chafariz, e terminava no largo da Matriz, quase paralela à José Marcelino

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Os nomes de ruas do bairro São Pedro – Por Geert A. Banck

Muito interessante é o caso da rua do Grito, uma inversão política da liderança comunitária, o povo foi sempre oprimido, mas agora chegava  a hora da “nossa” independência, do “nosso” grito: do “grito do povo”

Ver Artigo
Avenida Jerônimo Monteiro (ex-rua da Alfândega)

Atualmente, é a principal artéria central de Vitória. Chamou-se, antes, Rua da Alfândega, sendo que, em 1872, passou a denominar-se Rua Conde D'Eu

Ver Artigo
Avenida Florentino Avidos (ex-rua do comércio)

A primitiva rua do Comércio, que data do século XVII, tinha começo na General Osório e ia até o cais Schmidt

Ver Artigo
Movimento que desenha a cidade – Jardim da Penha

Desse modo, são menos comuns os movimentos urbanos que refletem sobre a qualidade da paisagem urbana, o desenho, o volume das construções

Ver Artigo
Escadaria Maria Ortiz (ex-ladeira do Pelourinho) – Por Elmo Elton

Maria Ortiz era filha de Juan Orty y Ortiz e Carolina Darico, nasceu em Vitória em 1603, tendo falecido na vila em 1646

Ver Artigo