Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Seis horas, à beira-mar

Vitória, seis horas.

Sento-me à beira-mar e ponho-me a cismar.

Os navios no cais dão-me liões de partida, mas onde chegar?

Se pegar o Angelik, na Grécia vou parar.

O Net Loyd, com certeza me levará ao Panamá.

Posso, no entanto, embarcar no Monrovia e aportar em Dakar.

Subir o continente africano, ir rever o legendário Marrocos e, quem sabe, encontrar o Milson Henriques em Rabat.

Deixo de olhar o mar e um outro oceano contemplo: carros, ônibus e transeuntes a passar.

Bela Aurora, que bom é esperar!

Vale Encantado, onde será?

El Dorado, quantos morreram sem o encontrar...

Boa Vista, é só olhar.

Jardins são vários: América, da Penha, Camburi, Limoeiro. É só querer passear.

Mata da Serra, Vista da Serra, Laranjeiras e até Marajá.

Ah! Cantinho do Céu, é lá que eu quero, se merecer, depois de morto ficar.

Pitanga, Caçaroca, Bubu, Jacaraípe, Capuaba, sonoridades américo-africanas que só me fazem, do passado, lembrar.

Serra Dourada, quanta riqueza ainda por achar!

Carapina, Campo Grande, extremos progressistas que ainda vão se encontrar.

Bairro República, Castelo Branco, história recente, nem é bom lembrar.

Araçás, Manguinhos, sabor de infância, vidas sonhar.

Vejo um último: Bairro Universal, e penso na história e em Vitória, cidade antes presépio, hoje quase metrópole, abrigando todas as diferenças. Onde dará?

Seis e trinta. Chega a lancha e é hora de o Canal cruzar. Encontrar a família, olhar o Convento, pedir a bênção à Virgem da Penha e, após um dia de trabalho, na paz de Deus, descansar.

Amanhã é um dia de outra vez a Vitória voltar.

Fonte: Crônica de Francisco Aurélio Ribeiro, publicada em seu livro Das cidades e suas memórias: crônicas de viagens. 1995

Você pode ler essas e outras crônicas de Francisco Aurélio Ribeiro comprando o livro em nossa Loja virtual Morro do Moreno, basta clicar no livro abaixo. Você recebe em sua casa e o frete é grátis!

Livro Das cidades e suas memórias
de Francisco Aurélio Ribeiro
R$ 20,00

LINKS RELACIONADOS:

 Francisco Aurélio Ribeiro
>> Jardim da Penha  
>> Convento da Penha 


Matérias Especiais

O largo do cuspe – Por Serafim Derenzi

O largo do cuspe – Por Serafim Derenzi

O edifício velho, mas nobre, foi indicado para sede da Academia de Letras, museu, pinacoteca, enfim, para atividades culturais que a cidade reclama

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

A Cidade em outros tempos

Bondes, lanchas, manguezais e catraeiros nos remetem há uma época que creio não retornará. Vou citar alguns fatos e nomes de alguns personagens

Ver Artigo
Mercados e Feiras

Entreposto de vida nas cidades. Os mercados e feiras fazem a ligação, do campo para a cidade, do pão nosso de cada dia. É onde a cidade vai buscar o seu alimento...

Ver Artigo
Vitória da Bossa

O mundo inteiro sabe que o nascimento da Bossa Nova se deu na Zona Sul do Rio, mas poucos se dão conta de que Vitória exerceu papel de coadjuvante na criação do movimento

Ver Artigo
A lenda do judeu pescador

O judeu, natural do Algarve, era católico, e atribuía a sua boa sorte à devoção de São Tiago e Santa Marta, cujas imagens mantinha num oratório

Ver Artigo
Festejos de Natal: Reis

O Reis foi introduzido em Vila Velha pelo Padre Antunes de Sequeira. Filho de Vitória, onde nascera a 3 de fevereiro de 1832

Ver Artigo