Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Viajantes Estrangeiros ao ES – Moritz Rugendas

Historiemos: Cuidava o Brasil de proclamar a sua independência da corte portuguesa, ou, mais precisamente, em fins do outono de 1821, e Johann Moritz Rugendas fez a sua primeira viagem ao nosso país. Fôra contratado pelo Barão Georg Heinrich von Langsdorff, cônsul-geral da Rússia no Rio de Janeiro, como desenhista da expedição científica ao interior.

É provável que o jovem pintor bávaro se tenha detido no Rio de Janeiro de 1822 até o princípio de 1824, ocasião em que, afinal, a expedição se organizou. Em Minas, ele ter-se-ia separado da comitiva para aventurar-se, sozinho, pelas Alterosas, desenhando paisagens, panoramas de cidades e a mineração do ouro. Penetrando na selva, desenhou, também, os índios do Espírito Santo, onde é ele próprio que informa haver estado, segundo os seus apontamentos biográficos, redigidos para o escritor francês Radiguet: "... Continuei só, minha excursão, visitando as províncias de Minas e Mato Grosso, do Espírito Santo e da Bahia. Penetrei, sozinho, na floresta, seguindo o curso dos rios nas canoas dos índios, passando uma estação inteira com eles, retido às margens do Rio Doce, pela doença dos meus negros e caçadores que eu não queria abandonar e pelas grandes chuvas. É preciso ter uma rija constituição física e moral para suportar todos os incômodos, privações e fadigas, aos quais se é exposto numa dessas viagens. Eu não descansava: desenhei por todo o tempo, enquanto pude dispor de papel e cadernos. Observei os selvagens em suas cabanas, seus costumes, anotando as suas línguas ..."

A bagagem dos quinhentos desenhos que Rugendas levou dessa primeira viagem, para a Europa, perdeu-se em grande parte, na guerra, e outra parte dispersou-se nas coleções particulares. Resta-nos o consolo da existência de dez desenhos, na Biblioteca Municipal de São Paulo, bem como da notícia de existir nos arquivos da Academia de Ciências de Leningrado, sessenta e sete desenhos originais do espólio do Barão de Langsdorff. Subsistem, ainda, algumas pinturas a óleo, pelo menos três, nos palácios em Potsdam e mais duas num palácio em Regensburg, na Europa.

Permanece a curiosidade em identificar os desenhos que Moritz Rugendas executou no Espírito Santo: estariam insertos no álbum: VOYAGE PITTORESQUE DANS LE BRÈSIL — 1827-1834 (VIAGEM PITORESCA ATRAVÉS DO BRASIL), representados nas gravuras dos botocudos e outros índios?! 

 

Fonte: Viajantes Estrangeiros no Espírito Santo, 1971
Autor: Levy Rocha
Compilação: Walter de Aguiar Filho, abril/2016

Curiosidades

Areia de Guarapari vira problema ambiental em Chicago

Areia de Guarapari vira problema ambiental em Chicago

Não é difícil presumir que grande parte do polêmico material enterrado em Chicago tenha sido retirado de Guarapari

Pesquisa

Facebook

Matérias Relacionadas

Viajantes Estrangeiros ao ES – Outros insignes estrangeiros

Não obstante, seria grande a relação dos estrangeiros ilustres que se detiveram no porto de Vitória

Ver Artigo
Viajantes Estrangeiros ao ES – Charles Frederick Hartt

Desceram o rio Itabapoana e pararam no porto de Limeira. Pela praia, seguiram até Vitória, tendo feito importantes coleções nas águas do Itapemirim e em Guarapari

Ver Artigo
Viajantes Estrangeiros ao ES – Jean-Jacques de Tschudi

"No dia seguinte, a comitiva regressou a Vitória, onde o presidente Sousa Carvalho já havia providenciado uma canoa grande e cinco remadores, escravos, para subirem o curso caudaloso do rio Santa Maria, até a colônia de Santa Leopoldina"...

Ver Artigo
Viajantes Estrangeiros ao ES – João Théodore Descourtilz

Existe uma edição em português da "Ornitologia Brasileira ou História Natural das Aves do Brasil", lançada pela Kosmos, em 1944

Ver Artigo
Viajantes Estrangeiros ao ES – Auguste François Biard

Na relação dos principais viajantes estrangeiros ilustres que estiveram em nosso país, no segundo meado do século dezenove, sem muito destaque, inclui-se o nome do pintor francês — Auguste François Biard

Ver Artigo
Viajantes Estrangeiros no ES - Auguste de Saint-Hilaire

Augustin François César Prouvencial, segundo o nome de batismo, ou Auguste de Saint-Hilaire,

Ver Artigo
Viajantes Estrangeiros ao ES – Wied, Freyreiss e Sellow

Pouco antes de iniciarem excursão pelas províncias do Rio de Janeiro, Espírito Santo e Bahia, chegou à Corte, em meados de junho de 1815, Maximiliano Alexandre Philipp, Prinz von Wied-Neuwied

Ver Artigo
Viajantes Estrangeiros ao ES – Jean de Lèry

Dos mais antigos estrangeiros que aportaram à Capitania do Espírito Santo, podermos registrar o clérigo francês reformado Jean de Lèry

Ver Artigo
Viajantes Estrangeiros ao ES – Luiz Dalincourt

O Governo Central nomeou Luiz Dalincourt, então Sargento-Mor do Corpo de Engenheiros, para servir ao Espírito Santo

Ver Artigo
Viajantes Estrangeiros ao ES – Barão de Humboldt

Basilio Daemon refere-se à possível passagem do Barão de Humboldt, no ano de 1800, pelo Espírito Santo

Ver Artigo