Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

A Dívida Externa do Espírito Santo

Grupo de autoridades com S. Excia. Capitão João Punaro Bley, e o representante do Banco Francez e Italiano, no Palácio do Governo, após a escritura de liquidação da dívida do ES com esse banco

O Governo do Exmo. Sr. Capitão João Punaro Bley, caracterizando-se, em demasia por inúmeros empreendimentos que fazem o melhor conceito de sua Administração, pode apresentar ainda ao Espírito Santo, entre os seus maiores benefícios, o pagamento das dívidas externas do Estado, o que bastaria para consagrá-lo como um espírito-santense dos melhores, defensor que é da nossa economia pública, orientando sempre para um sentido político superior, libertando o tesouro estadual de obrigações enormes, acrescidas de juros que sacrificariam por muito tempo ainda todo o trabalho de uma população inteira, canalizando o nosso curo para o exterior por empréstimos onerosos contraídos pelo Governo anterior a Revolução. Saneando, portanto, as finanças do Estado, liquidando as dívidas do Espírito Santo junto ao Banco Italo-Belga, ao London Of Bank e ao Banco Allemão Transatlantico, ainda decorrentes das transações, motivou um abatimento de 10.173:128$200 para o Tesouro Estadual na liquidação geral das dívidas, fato que teve a maior repercussão até mesmo fora do Estado.

 

Fonte: Revista Annuário do Espírito Santo, 1937
Compilação: Walter de Aguiar Filho, dezembro/2017

História do ES

Quadro Geral da Província do ES – Por Saint-Hilaire

Quadro Geral da Província do ES – Por Saint-Hilaire

Muitas palavras que usam não seriam compreendidas às margens do Tejo ou do Minho, nem mesmo no Rio Grande do Sul ou em Minas Gerais

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Marcelino Champagnat

Marcellin Champagnat, aportuguesado para Marcelino Champagnat nasce a 20 de maio de 1789, em Marlhes, aldeia de montanha no Centro-Leste da França, no início da Revolução Francesa

Ver Artigo
A PMES na Guerra do Paraguai: há 150 anos – Gelson Loiola

O enviar do efetivo da companhia de Polícia para a guerra, foi autorizada pela Assembleia Legislativa Provincial  mediante a aprovação e sanção da Lei nº 3, de 4 de maio de 1868

Ver Artigo
A Viagem do Imperador Pedro II à Província do Espírito Santo

Aos 35 anos de idade, estava ele no auge da vitalidade, naquele verão de 1859/1860

Ver Artigo
As expedições e as suas conclusões - Por Estilaque Ferreira dos Santos

Não se pode deduzir que antes desta doação a capitania já teria sido “descoberta” e explorada pelos navegantes portugueses

Ver Artigo
A História da Revolução de 1817 – Texto de 1917

Historiadores se deixaram levar pelas simpatias individuais e escreveram as suas narrativas eivadas de apreciações inexatas

Ver Artigo