Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Curiosidades de Colatina

Fonte da Foto: Site Cultura Colatina

Primórdios: A fundação de Colatina data de 1833. As primeiras povoações foram no Arraial da Barra do Santa Maria, hoje bairro Colatina Velha, onde surgiu a área urbana, Mutum de Boapaba e ainda Barracão de Baunilha. Os imigrantes eram italianos em sua maioria.

História: Em 1857, com a chegada de Nicolau Rodrigues dos Santos França Leite, foi criada a colônia de Francilvânia, ma margem esquerda do Rio Doce. Mas, devido aos constantes ataques dos índios botocudos, muitas colônias só se desenvolveram a partir do último decênio do século dezenove.

Indígenas: Em 9 de dezembro de 1899, Colatina virou sede do distrito. Naquela época a região pertencia a Linhares. Os índios do grupo Botocudo, nação Gê ou Tapuia, primeiros donos da terra, resistiam a qualquer tentativa de colonização branca naquela área. Vários combates foram travados na região, até que, devido à superioridade das armas de que dispunham os homens brancos, a população indígena local foi praticamente dizimada.

Mata Atlântica: Naquela época toda área da região era coberta pela Mata Atlântica. Aos poucos, a vegetação nativa foi dando lugar a povoamentos, pastoreio e agricultura. No decorrer de um século, uma grande área foi devastada. No Século XX, a extração de madeira também castigou bastante a vegetação nativa da região.

Destaque: Com a instalação, em 1906, da Estrada de Ferro Vitória a Minas, o município assumiu importante posição econômica, superando Linhares, cuja posição geográfica não mais correspondia às exigências do Governo.

Imigrantes: Como a maioria das cidades brasileiras, os aspectos sócio-econômicos e culturais de Colatina se formaram a partir da imigração de europeus. No final do século dezenove e início do século vinte, italianos e alemães chegaram à cidade para morar e trabalhar. Com a introdução da agricultura e pecuária, a cidade se tornou sustentável. O crescimento gerado proporcionou sua emancipação em 1921.

Campanha: Em 26 de maio de 1916, o coronel Alexandre Calmon e o médico Pinheiro Júnior compuseram uma chapa e foram derrotados por Bernardo Monteiro, na disputa pela presidência do Estado. Chefiaram então um movimento revolucionário, em que proclamavam Colatina a nova capital do Espírito Santo, instalando o governo em Colatina.

Desenvolvimento: Em 1928 iniciou-se o desenvolvimento urbano, com as cosntruções do Hospital Sílvio Avidos, a Ponte Florentiino Avidos e a estrada de ferro. Na década de 50, Colatina começa a colher resultados significativos ao se tornar o maior produtor mundial de café. O processo de industrialização teve início nos anos 70 e colocou a cidade no rol das maiores economias do Estado.

Trem: Desde 1975 os trilhos da estrada de ferro não fazem parte da paisagem do centro da cidade, mas sim uma avenida repleta de árvores. A ponte Florentino Avidos continua ocupando lugar de destaque nos cenários local e estadual.

 

Fonte: A Gazeta (22/08/2007)



GALERIA:

📷
📷


Curiosidades

Estado vai monitorar água da chuva

Estado vai monitorar água da chuva

Para conter a erosão e enchentes, pesquisadores vão descobrir a quantidade de água que infiltra até o lençol freático

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Tropeiros percorrem em 20 dias 650 quilômetros de história

Ao longo de 20 dias, um grupo de 13 capixabas está revivendo parte da história do Brasil Colônia ao refazer os passos de Dom Pedro pelo interior do Estado

Ver Artigo
Pedra da Onça - Por Seu Dedê

Localizada à margem esquerda do canal da Costa, braço sul. De frente ao Shopping Praia da Costa 

Ver Artigo
Ponga de Bonde – Por Edward Athayde D’Alcântara

Existe uma diferença entre carona e ponga

Ver Artigo
Praia da Sereia - A origem do nome

A origem do seu nome remonta aos primeiros anos do século XX, quando chegaram a Vila Velha, vindos do Rio de Janeiro, alguns construtores para construir o Terceiro Batalhão de Caçadores

Ver Artigo
Viajantes Estrangeiros ao ES – Wied, Freyreiss e Sellow

Pouco antes de iniciarem excursão pelas províncias do Rio de Janeiro, Espírito Santo e Bahia, chegou à Corte, em meados de junho de 1815, Maximiliano Alexandre Philipp, Prinz von Wied-Neuwied

Ver Artigo