Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Curiosidades Espírito-santenses - Por Eurípides Queiroz do Valle - I

Pintura de Hans Nobauer - Ilha de Vitória, ES

Vitória está entre as mais antigas capitais do litoral brasileiro. Foi fundada em 1549. O primeiro donatário e colonizador da Capitania não se sentiu seguro no primitivo local escolhido para sede do Governo – a bela planície de Vila Velha. Eram constantes as incursões destruidoras dos índios. Escolheu então, local mais abrigado e de mais fácil defesa, E deu preferência ao que encontrou no flanco sul de uma grande ilha fronteira ao continente. Local realmente abrigado, cercado de altas montanhas e onde o acesso só poderia ser feito por mar. E nessa ilha começou a construir a nova sede a que deu o nome de Vila Nova. E Vila Nova para distinguir da primitiva que passava a ser Vila Velha. Os selvagens, porém, não esmoreceram. E passaram a atacar também Vila Nova. Espreitavam o que se fazia de dia, para durante a noite e de surpresa, destruírem o que podiam. Os colonizadores resolveram então, lhes dar combate decisivo. Prepararam-se. E esse combate se travou no dia 8 de setembro de 1551 onde foram definitivamente batidos e expulsos. E Vila Nova passou, desde então, a chamar-se Vila da Vitória, não só em regozijo pelo triunfo alcançado como por ser o dia de N. Senhora das Vitórias. E assim nasceu e assim se batizou a capital espírito-santense. E naquele semicírculo apertado pelas montanhas foi se desenvolvendo a cidade. O casario começou a galgar os morros. Os mangais foram aterrados. O próprio mar teve que recuar. E a cidade continuou a crescer. Era necessário porém, fugir ao cerco para desenvolver-se. E só havia, para isso, duas saídas. Ambas pela orla marítima. Conseguiu, porém, expandir-se esgueirando-se, do lado norte pelo Forte de São João, e pelo lado sul pela então cidade de Palha, hoje Vila Rubim. Ambos, locais estreitos e apertados entre o mar e a montanha. E assim, conseguiu fugir ao estrangulamento a que estava condenada. E por essas duas passagens pode desenvolver-se e prolongar-se. De um lado, flanco norte, através dos hoje florescentes bairros de Forte de São João, Jucutuquara, Gurigica, Lourdes, Horto, Suá, Praia Comprida e Maruípe. Do outro lado (flanco sul), pelos arrabaldes de Vila Rubim, Caratoíra, e Santo Antônio. Todos, a bem dizer, na orla marítima. Uma ampla estrada completa o circuito da ilha, ligando entre si, os arrabaldes extremos de Maruipe e Santo Antônio, numa extensão aproximada de 14 quilômetros. A ilha de Vitória denominou-se, primitivamente, Ilha de Santo Antônio, por ter sido descoberta, no dia 13 de junho, dia consagrado a esse santo. Passou depois, a chamar-se Duarte de Lemos por ter sido doada a esse colonizador português, companheiro de Vasco Fernandes Coutinho e, hoje, por extensão, Ilha de Vitória. Os índios lhe deram o lindo nome de Guananira, que significa “ilha do mel”.

 

Fonte: Torta Capixaba (ensaios, crônicas, poesias...), 1962
Autor: Eurípides Queiroz do Valle
Compilação: Walter de Aguiar Filho, dezembro/2012 

Curiosidades

O Encilhamento

O Encilhamento

A euforia do ganho fácil com ações tomou conta do Rio de Janeiro – e ficou conhecida como “Encilhamento”, nome tirado da gíria das corridas de cavalo

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Viajantes Estrangeiros ao ES – Barão de Humboldt

Basilio Daemon refere-se à possível passagem do Barão de Humboldt, no ano de 1800, pelo Espírito Santo

Ver Artigo
Tropeiros percorrem em 20 dias 650 quilômetros de história

Ao longo de 20 dias, um grupo de 13 capixabas está revivendo parte da história do Brasil Colônia ao refazer os passos de Dom Pedro pelo interior do Estado

Ver Artigo
Pedra da Onça - Por Seu Dedê

Localizada à margem esquerda do canal da Costa, braço sul. De frente ao Shopping Praia da Costa 

Ver Artigo
Ponga de Bonde – Por Edward Athayde D’Alcântara

Existe uma diferença entre carona e ponga

Ver Artigo
Praia da Sereia - A origem do nome

A origem do seu nome remonta aos primeiros anos do século XX, quando chegaram a Vila Velha, vindos do Rio de Janeiro, alguns construtores para construir o Terceiro Batalhão de Caçadores

Ver Artigo