Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Formigas bordadeiras atraem 6 mil pessoas por ano

Fotos: Thiago Coutinho

As formigas bordadeiras, que habitam um santuário em São Lourenço, na Serra, hoje já não trabalham mais, porém, já deixaram inúmeras mensagens em folhas das árvores do local, através de perfurações e atraem 6 mil pessoas por ano ao local.

Conhecidas como o fenômeno das formigas bordadeiras, essas mensagens, tanto em desenhos ou em frases, foram enviadas por Maria, mãe de Jesus, segundo a crença de muitos cristãos.

As primeiras manifestações nas folhas foram vistas em 1996. Porém, 2014 foi o ano da última mensagem enviada, de acordo com a voluntária da Associação Nossa Senhora das Lágrimas, responsável pelo santuário, Cristina Altoé.

“Desde 1996 foram muitos desenhos litúrgicos, como o cálice, cruz, terço e também passagens bíblicas. Temos tudo arquivado e o interessante é que, mesmo não tendo nenhum processo humano na conservação, há folhas lá de 20 anos, em perfeito estado.”

Cristina contou que, em 2005, foi identificada a primeira mensagem em forma de frase, que foi um salmo. “A partir daí, ela começou a enviar frases inteiras, em passagens bíblicas. Em julho de 2014, a última mensagem chegou, dizendo que tudo estava concluído. O que ela tinha que nos passar, já havia sido enviado”, disse.

A Associação Nossa Senhora das Lágrimas foi constituída para colher e apresentar aos visitantes toda a obra, em forma de folhas. São 500 visitantes, em média, por mês, de todos lugares do mundo.

“Recebemos excursões de fora da Serra, de muitos municípios do Espírito Santo, além de turistas de outros estados como Minas Gerais. A obra do fenômeno é conhecida internacionalmente e já recebemos também turistas da Holanda, Portugal e Estados Unidos” contou a voluntária.

Desde 2014, algumas folhas ainda caem com formas, mas não com mensagens, segundo informações de Cristina.

Um livro chamado de “Cartas de Maria Santíssima para o Mundo” foi feito agrupando todas as manifestações contidas na obra.

Fenômenos começaram em 1996

HISTÓRIA

Em 1996, os fenômenos começaram a surgir nas folhas das árvores de casa localizada na Rua Aldary Nunes, 162, em São Lourenço, na Serra.

Seis anos depois, em 2002, fiéis interessados em ver de perto os desenhos de Nossa Senhora, que seriam feitos por formigas, começaram um intenso movimento de peregrinação à residência onde ocorriam os fenômenos, em forma de mensagens.

Em 2005, um médico estudioso realizou estudos que mostraram nos resultados que as perfurações eram feitas por formigas, e não por objetos.

Imagens nas folhas teriam relevado a tragédia do furação Katrina, nos Estados Unidos, e também outras tragédias.

VISITAS

A cantora Elba Ramalho visita a casa ocasionalmente, quando vem ao Estado. Além dela, o padre Antônio Maria também já conheceu a obra.

Atualmente, uma média de 500 pessoas visitam o santuário, administrado pela Associação Nossa Senhora das Lágrimas.

Entre os 6 mil visitantes por ano, estão pessoas de várias partes do mundo, como Holanda e Portugal, e também de outros estados, como Minas Gerais.

Aos interessados em conhecer o santuário e a exposição das folhas, o espaço fica aberto ao público de segunda a sexta, das 13 às 16 horas, e também nos feriados.

O único final de semana em que a casa abre é no 3º sábado de casa mês, às 13h, com missa às 15 horas.

Fonte: Associação Nossa Senhora das Lágrimas

 

Fonte: Jornal A Tribuna, 08/05/2016
Autora: Bárbara Becalli
Compilação: Walter de Aguiar Filho, maio/2016

Curiosidades

O Século XIX e a Fronteira com Minas Gerais

O Século XIX e a Fronteira com Minas Gerais

Não se avaliava o incalculável prejuízo oriundo do leviano auto assinado pelo mineiro de Mariana, a serviço no Espírito Santo

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Viajantes Estrangeiros ao ES – Barão de Humboldt

Basilio Daemon refere-se à possível passagem do Barão de Humboldt, no ano de 1800, pelo Espírito Santo

Ver Artigo
Tropeiros percorrem em 20 dias 650 quilômetros de história

Ao longo de 20 dias, um grupo de 13 capixabas está revivendo parte da história do Brasil Colônia ao refazer os passos de Dom Pedro pelo interior do Estado

Ver Artigo
Pedra da Onça - Por Seu Dedê

Localizada à margem esquerda do canal da Costa, braço sul. De frente ao Shopping Praia da Costa 

Ver Artigo
Ponga de Bonde – Por Edward Athayde D’Alcântara

Existe uma diferença entre carona e ponga

Ver Artigo
Praia da Sereia - A origem do nome

A origem do seu nome remonta aos primeiros anos do século XX, quando chegaram a Vila Velha, vindos do Rio de Janeiro, alguns construtores para construir o Terceiro Batalhão de Caçadores

Ver Artigo