Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando desde 2000 a Cultura e História Capixaba

Homero Massena - Notícia do Jornal A TRIBUNA (01/08/1938)

Capa de A TRIBUNA de 01/08/1938

Um grande pintor brasileiro e a sua próxima exposição. Notícia do Jornal A Tribuna, 1ª página. Vitória, 1º de agosto de 1938.

Há mais de três meses, encontra-se nesta capital o consagrado pintor brasileiro H. Massena. Poucas são as pessoas que sabem disso, porque o artista, simples e modesto, não sabe fazer cabotinismo. Vive para a sua arte, sonhando e pintando os aspectos mais interessantes da natureza.

Prêmio de viagem à Europa, em Paris, conviveu com os maiores mestres, aperfeiçoando-se. Tendo notícias das nossas belezas naturais, Massena veio ao Espírito Santo em busca de novas paisagens. E pintou quarenta telas que são quarenta maravilhas, todas da terra capixaba.

No próximo sábado, no salão térreo da Bolsa Oficial do Café, vai ser aberta a exposição do talentoso artista, o que constituirá um grande acontecimento.

O que empolga na arte de Massena é a realidade do natural. Não usa de artifícios e “camouflages”, para realçar os quadros. Pinta o que vê, em desenhos felizes e coloridos cheios de vida.

As telas que vimos nos impressionaram bastante. Em todas se nota a mão de um verdadeiro mestre na arte de Pedro Americo.

Aguardemos, pois, a exposição de Massena.

 

Fonte: Catálogo do Museu Atelier Homero Massena
Pesquisa: Walter de Aguiar Filho na Biblioteca Pública Municipal de Vila Velha,2001

 

 

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

UMA FEIRA, COM AMOR - Por Luiz Sérgio Quarto

Vá, mesmo que não tenha vivido no interior. Mas vá com a seguinte condição: a de expor o seu interior. Feito isso, será bem-vindo. Ou melhor: festejado

Ver Artigo
Cienfuegos no bar do Valfredo na Vila Rubim - Por Gilson Soares

O relógio na parede do Bar da Vila marcava meio-dia. Era a hora. O bando de bêbados inventou de enumerar em coro, sob a batuta de Cienfuegos, as batidas do velho relógio 

Ver Artigo
Bananas, Curiós e Peroás - Por Marien Calixte

Ali chegavam as canoas vindas de Caçaroca, Jucu, Tanque, Cariacica, via rio Marinho. Também vinham do rio Santa Maria.

Ver Artigo
Bota Muito - Por Cariê Lindenberg

Era um ritual quase religioso: frequentar o botequim do mercado da Vila Rubim apelidado pelo pessoal de, "Bota Muito", por razões que acredito óbvias

Ver Artigo
Frases de Caminhão - Por Eurípedes Queiroz do Valle

As 10 mais espirituosas Frase de Caminhão do Espírito Santo, 1971

Ver Artigo