Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Iluminação das ruas de Vitória no século XIX

Vitória no século XIX - Acervo: Carlos Henrique Gobbi

A primeira notícia sobre a iluminação das ruas de Vitória vem-nos através do orçamento de 1832, em que se consigna a verba de 600$000, por ano, para iluminação. José Tomás de Araújo,em 1937, inaugura esse serviço com 40 lampiões a azeite de peixe, distribuídos principalmente pelas esquinas e edifícios públicos. O custeio e a fiscalização foram postos em hasta pública e arrematados por Manoel Felix Maia a 4$550 por foco, mensalmente. Em 1865 substitui-se o azeite pelo querosene, já com outros contratantes. Em 1879, o futuro Barão de Monjardim, em exercício de Presidente, inaugura a iluminação a gás, e agora, o concessionário é Manuel da Costa Madeira, estendendo o benefício a várias residências. No começo da escadaria de acesso à igreja do Rosário, viam-se até pouco tempo passado, ainda, arcos de gambiarra desse sistema de iluminação. O gasômetro ficava na antiga Rua Cristóvão Colombo. Do gás, passou-se ao querosene e desse, à eletricidade.

 

Fonte: Biografia de uma Ilha, 1965
Autor: Luiz Serafim Derenzi
Compilação: Walter de Aguiar Filho, outubro/2012 

Bairros e Ruas

Ilha dos Bentos

Ilha dos Bentos

 No local ainda existe um córrego parcialmente coberto por manilhas. A parte descoberta é protegida por pequeno muro gabião

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Bairro Glória – Por Edward Athayde D’Alcântara

O Bairro Glória era conhecido como “A Fábrica” por ter ali recebido a transferência da fábrica de bombons Garoto

Ver Artigo
Rua Nestor Gomes (ex-ladeira do Chafariz)

No governo de Florentino Avidos, a área foi urbanizada, pondo-se abaixo todos os casarões antigos ali existentes 

Ver Artigo
IBES 70 ANOS

O Ibes já foi um projeto mais ambicioso, em número de unidades projetadas, prevendo espaços para equipamentos comunitários, o primeiro desse estilo no Estado

Ver Artigo
Escadaria Maria Ortiz

Ao tentar alcançar a parte alta da vila, subindo estreita rampa, conhecida como ladeira do Pelourinho, os corsários foram surpreendidos pela jovem Maria Ortiz

Ver Artigo
Escadaria Bárbara Lindenberg – Por Elmo Elton

Ficou conhecida como ladeira das Colunas, sendo que, após a visita de Dom Pedro II ao Espírito Santo, em 1860, passou a denominar-se ladeira do Imperador

Ver Artigo