Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Monumento ao Expedicionário

Monumento ao Expedicionário - Foto: Walter de Aguiar Filho, setembro/2011

Monumento: em homenagem aos integrantes da Força Expedicionária Brasileira, mortos na Campanha da Itália. Representa um soldado com a mão no peito prestes a tombar, atingido por uma bala, este soldado está equipado com roupa de campanha e um fuzil em punho.

Inscrições: “A memória dos que tombaram para que a Pátria permaneça livre e eterna”. Na face oposta, a relação nominal de todos eles.

Localização: Praça João Clímaco, em frente ao Palácio do Governo.

Ato Inaugural: 8 de setembro de 1951, e que parte dos festejos comemorativos do IV Centenário de Vitória, em homenagem aos capixabas integrantes da F.E.B., mortos na campanha da Itália – 1944 e 1945.

Outras Inscrições: Povo e Governo.

3º Sargento Aquino Araújo. Cabo Ailsom Simões, Soldados Adílio J. dos Santos, Altino M. da Vitória, Benjamim T. de Lima, Benone F. Gouvêa, Gentil G. de Oliveira, Manoel dos Reis, Manoel Furtado, Pedro M. de Souza.

 

Introdução do Catálogo dos Monumentos Históricos e Cultural da Capital – Vitória – ES

 

A história deixou, há muito, de ser o simples registro de fatos, onde a curiosidade humana se deliciava em leituras empolgantes ou os espíritos buscavam ilustrar-se para exibições a agrupamentos de amigos. Transformou-se em vasto campo de pesquisas sobre a evolução, configurando-se entre as fontes mais preciosas de elementos científicos, relacionados com a sociologia, com a política, com a economia e tantas outras disciplinas em que o homem é o elemento central.

A idéia de emoldurar numa obra os monumentos de uma cidade, referindo-se a importância de sua existência, é um esforço que visa somente enriquecer os recursos dos estudiosos.

Em relação aos monumentos contemporâneos, as apreciações ou a simples descrição identificadora constituem um valioso subsídio para gerações vindouras, nem sempre suficientemente esclarecidas, quanto as origens de fixação do fato, na nudez dos elementos construtivos, acompanhados de legendas, por vezes, pouco expressivas.

O que mais nos chamou a atenção para editar esta obra, é o descaso, o desconhecimento total da população quanto à origem destes monumentos.

Vários são os monumentos e marcos erguidos pelos capixabas para perpetuar as suas datas e feitos históricos e homenagear os seus grandes vultos do passado. As estátuas e monumentos de Vitória não são muitos. O povo diariamente passa próximo aos mesmos e poucos são os que param para observá-los. Assim sendo, seria necessário um esclarecimento a população em relação a história das pessoas que são representadas, pois por traz das carinhas simples que apresentam muitos bustos e estátuas se esconde um grande passado histórico.

A edição deste catálogo contendo os monumentos históricos e culturais da capital, terá a finalidade de recuperar a nossa memória cultural, levando uma fiel informação a toda população desta cidade.

Willis de Faria

 

Fonte: Catálogo dos Monumentos Históricos e Cultural da Capital – Vitória – ES
Autor: Willis de Faria (o catálogo foi por ele doado à Casa da Memória em 27-03-93)
Foto: Sérgio Lobos Martins e Flávio Lobos Martins Filho
Capa: Eugênio G. Herkenhoff
Compilação e foto atual: Walter de Aguiar Filho, setembro/2011



GALERIA:

📷
📷


Monumentos

Fortificações - Estado da Capitania em 1682

Fortificações - Estado da Capitania em 1682

Mandou V.S. fundar o forte S. Francisco Xavier a entrada da Barra em sitio muito conveniente pêra este effeito e de melhor segurança com o qual não he possível poder passar embarcação sem grande risco.

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Monumento a Domingos Martins

Seu busto de bronze amparado pela liberdade, representada por uma figura de mulher, também de bronze, sobre um pedestal de granito, está localizado na Praça João Clímaco

Ver Artigo
Monumento a Florentino Avidos

Presidente Avidos governou o Estado no quatriênio 1924 – 1928

Ver Artigo
Praça Oito de Setembro

O cronista Eugênio Sette, dizia que "... a Praça Oito parece uma mulher dama muito vivida, muito experimentada, que não arrepia carreira, nem se encabula com uma piada mais grosseira. Já viu tudo. E, por isso, aguenta firme, consciente do seu papel."

Ver Artigo
O Teatro Carlos Gomes de Vitória - Por Gabriel Bittencourt

O Carlos Gomes era, até pouco tempo, o único teatro de Vitória em funcionamento; mas não é a nossa primeira sala de espetáculos

Ver Artigo
O Itabira e o Frade e a Freira - Por Gabriel Bittencourt

O Itabira: esguio monólito que os cachoeirenses fizeram símbolo da cidade, e os intelectuais de sua Academia de Letras transformaram-no no seu escudo e emblema

Ver Artigo