Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando desde 2000 a Cultura e História Capixaba

Ofícios reservados do príncipe regente D. Pedro I, 1822

Dom Pedro I - Príncipe Regente

Ofícios reservados do príncipe regente D. Pedro I ao governo provisório e ao comandante das Armas desta província, recomendando para haver todo o cuidado nas propostas e nomeações de militares e funcionários públicos, daqueles somente que aderissem à causa da Independência do Brasil, que então se tramava e de que eram sectários os membros do governo provisório

[1]

Convindo nas atuais circunstâncias que os empregos e postos militares sejam ocupados por pessoas que além de outras partes tenham especialidade os mais firmes sentimentos de adesão à causa do Brasil, manda o príncipe regente, pela Secretaria de Estado dos Negócios da Guerra, que a Junta Provisória do governo da província do Espírito Santo recomende positivamente ao comandante das Armas dela, que em todo o caso de informação, tenha sempre em vista como requisito essencial e objeto em que interessa à causa pública deste reino o exame e conhecimento dos sentimentos dos pretendentes, informando sobre este objeto com a mais escrupulosa individuação.

Palácio do Rio de Janeiro, 21 de junho de 1822. — Joaquim de Oliveira Álvares.

— Cumpra-se e registre-se. — Vitória, 9 de julho de 1822. — Nunes.

[2]

Sendo nas atuais circunstâncias indispensável conhecer escrupulosamente as pessoas que se votam com sinceros sentimentos a favor da causa sagrada da reunião e independência do Reino do Brasil, pelos quais se tornarão mais dignos de qualquer emprego público; manda Sua Alteza Real, o príncipe regente, pela Secretaria de Estado dos Negócios do Reino, que o Governo Provisório da província do Espírito Santo, quando tiver de informar sobre a justiça de qualquer pretensão, informe também sobre a adesão do pretendente à referida causa da união e independência deste Reino.  E há outros sim por bem, que o mesmo Governo faça constar reservadamente às diferentes autoridades esta real determinação, para que igualmente a executem nas informações que fizerem subir a Sua Alteza Real.

Palácio do Rio de Janeiro, em 27 de junho de 1822. – José Bonifácio de Andrade e Silva. – Cumpra-se e registre-se. – Vitória [...] de julho de 1822. – Nunes

 

Nota: 1ª edição do livro foi publicada em 1879
Fonte: Província do Espírito Santo - 2ª edição, SECULT/2010
Autor: Basílio Carvalho Daemon
Compilação: Walter de Aguiar Filho, setembro/2018

Matérias Especiais

A santa da Praia é Rita - Sandra Aguiar

A santa da Praia é Rita - Sandra Aguiar

A comunidade contou logo com uma paróquia, a Santa Rita, cuja primeira sede data de 1935

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Dicionários - Os 10 mais populares por Eurípedes Queiroz do Valle

2) Dicionário Histórico, Geográfico e Estatístico da Província do Espírito San­to. Dr. Cesar Augusto Marques, Tip. Nacional. Rio. Ed. 1878  

Ver Artigo
Comarca e seus Patronos - As 10 mais antigas

O Patrono da de Vitória é o jurista parlamentar Presidente José Mello Carvalho Moniz Freire

Ver Artigo
Banda de Música - 10 mais antigas

3) Sociedade Musical Lira de Ouro. Da cidade de Cachoeiro de Itapemirim. Fundada em 6 de novembro de 1917   

Ver Artigo
Constituições Espírito-Santense - As 10 regularmente votadas

O Interventor espírito-santense, então o Dr. Jones Santos Neves, sem perda de tempo, nomeou uma comissão de 3 juristas

Ver Artigo
A trajetória musical de Tina Tironi

Nascido em 1946, Marco Antônio Tironi viveu até os cinco anos de idade em Paul, município de Vila Velha — Espírito Santo, para depois residir em Vitória (Centro)

Ver Artigo