Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando desde 2000 a Cultura e História Capixaba

Prefácio do Livro do Gabriel Bittencourt - Por Renato Pacheco

Capa do Livro: Gabriel Bittencourt, 1985

Gabriel Augusto de Mello Bittencourt, licenciado em história pelo Centro de Estudos Gerais da Universidade Federal do Espírito Santo, e ora em vias de conclusão do seu curso de Mestrado pela Universidade Federal Fluminense, apresenta ao público estudioso de nossos fastos, estes "Alguns Aspectos da Independência no Espírito Santo".

Os estudos históricos em nosso Estado têm se caracterizado — em geral — por histórias globais, e muitas vezes incompletas, fruto mais de compilação que de pesquisa de fontes.

Em boa hora, o promissor especialista inicia com esta monografia novo rumo de nossa historiógrafa — em vez de arar superficialmente o solo, ele o perfura em busca de suas mais profundas riquezas.

Revela notar, como ponto alto deste trabalho, o correto uso das fontes primárias — foi colhê-las o Autor no Arquivo Nacional do Rio de Janeiro e no Arquivo Público Estadual de Vitória, sem desprezar, todavia, os que antes dele — Daemon, Stella de Novaes, Teixeira de Oliveira principalmente — tinham versado o mesmo assunto.

Conquanto trate da independência, o primeiro capítulo do trabalho, com muita acuidade, dá uma visão geral da então Capitania e das dificuldades que teve ela de enfrentar para sobreviver. E, o povo, embora economicamente desvalido, soube, politicamente, dar seu grito de justiça ferida, unindo-se aos brasileiros do Rio de Janeiro, no momento de nossa emancipação.

Prefacio este ensaio com satisfação, pois entendo, com Capistrano de Abreu (Ensaios e Estudos, 1a série, Rio, 1975, p. 91), que estou diante de historiador capaz de arrancar "das entranhas do passado o segredo angustioso do presente, e liberte-nos do empirismo crasso em que tripudiamos" (meu é o grifo).

Excelente estudo o que vem a público. Merece ser lido e discutido.

Vitória, 29 de outubro de 1977.

Renato José Costa Pacheco

 

 

Introdução do Livro - Por Gabriel Bittencourt (autor)

Alguns aspectos da Independência no Espírito Santo foi o tema escolhido para um trabalho escrito objetivando a consecução de parte dos créditos necessários para finalização do primeiro semestre do Curso de Pós-Graduação em História, na Universidade Federal Fluminense. Como resultado de uma pesquisa feita por um iniciante em Curso de Mestrado, evidentemente, traz algumas falhas, bem como não foi nossa intenção apresentar um trabalho que esgotasse o tema, em prazo tão exíguo de pesquisa. Apenas à guisa de uma contribuição e devido à escassez de trabalhos na área é que decidimos pela publicação deste estudo.

Nosso objetivo ao propormos o presente texto baseou-se na deficiência da historiografia local e na consequente necessidade de obras para melhor interpretação da formação da sociedade capixaba, que já não mais aceita estudos concentrados nas áreas políticas e atrofiados aos setores socioeconômico.

Tal proposta assume maior proporção se atentarmos para uma das tendências atuais da historiografia brasileira que privilegia a micro história, objetivando reconstruir o próprio quadro da nossa formação, tão completo quanto possível, questionando o passado ao nível exigido pela sociedade atual.

Logo, a concepção do nosso trabalho é um estudo sobre o Espírito Santo durante o período 1820-1824, da importância significativa do processo da Independência no Espírito Santo, em uma abordagem transcendental aos limites regionais, procurando detectar-se a conjuntura e estrutura que o gerou.

Muitas pessoas ajudaram a tornar possível este estudo e/ou contribuíram para sua realização. Particularmente gostaria de agradecer ao Dr. Ron L. Seckinger, Professor de História da Universidade de North Carolina, USA, a orientação da pesquisa de fontes primárias e do trabalho monográfico, a Elmo Elton pela revisão do texto, e a Marcello e Cybelle de Ipanema pelo incentivo e apoio.

O auxílio financeiro veio do Programa Institucional da Capacitação de Docentes (PICD), convênio UFES/CAPES, que me possibilitou realizar no Estado do Rio de Janeiro o Curso de Pós-graduação em História, a nível de Mestrado.


 

BIBLIOGRAFIA PESQUISADA

 

 1. Fontes primárias.

 

1.1. Manuscritas.

 

- ARQUIVO NACIONAL — RIO DE JANEIRO. Correspondência do Presidente da Província. Ministério do Reino-Espírito Santo. v. 1 1808-1820. IJJ9 356.

- AN.RJ. Id. v. 2. 1821-1823. IJJ9 357.

 - ARQUIVO PÚBLICO ESTADUAL DO ESPÍRITO SANTO. Livro 21 Registro de correspondência expedida pelo Governador da Capitania a diversos. 1818-1820. Seção Governadoria.

- APE. ES. Livro 22. Registro de correspondência expedido pelo Governo da Província a diversos. 1824-1825. SG.

- APE, ES. Livro de Registro de correspondência dos Presidentes de Província. 1822-1825. SG.

1.2. Impressas.

- ARMITAGE, John, História do Brasil, notas e prefácio de Eugênio Egas. São Paulo. Martins, 1972.

- RIO DE JANEIRO (Cidade) ARQUIVO NACIONAL. As juntas governativas e a Independência. Rio de Janeiro. Arquivo Nacional Conselho Federal de Cultura, 1973 3. v.

— Id. As câmaras municipais e a Independência. Rio de Janeiro, AN/CFC, 1973 1 v.

 

2. Fontes secundárias.

 

2.1. Sobre o Espírito Santo.

 

- DAEMON. B. C., Província do Espírito Santo, sua descoberta, história cronológica, sinopse e estatística. Vitória, Tipografia do Espírito-santense, 1879.

- MARQUES, C. A., Dicionário histórico, geográfico e estatístico da Província do Espírito Santo. Rio de Janeiro. Tipografia Nacional, 1879.

- NOVAES, M. S. — História do Espírito Santo. Vitória. FEES, (s/d).

- OLIVEIRA, J. T. — História do Estado do Espírito Santo. 2 ed. Vitória. FCES. 1975.

 

2.2. Gerais.

 

- HOLANDA, S.B. (dir.) História geral da civilização brasileira. 3 ed. São Paulo, DIFEL, 1970.

- MOTA, C.G. (org.) 1822: Dimensões. São Paulo, Perspectiva, 1972.

- FURTADO, Celso - Formação econômica do Brasil. 14 ed. São Paulo, Nacional, 1976.

- PRADO JÚNIOR, C. - História econômica do Brasil. 19 ed. São Paulo, Brasiliense, 1976.

- RODRIGUES, José Honório, - Independência: revolução e contra-revolução. Rio de Janeiro, F. Alves, 1975.

- CALMON, Pedro, História do Brasil. 7 v. Rio de Janeiro, José Olympio, 161.

- SODRÉ, N. W. - Formação histórica do Brasil. 9 ed. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1976.

- ROCHA POMBO, História do Brasil. São Paulo, Melhoramentos, 1948.

- RODRIGUES, José Honório, Teoria da História do Brasil. Introdução metodológica, São Paulo, Companhia Editora Nacional, 1969.

- Id. A pesquisa histórica no Brasil.

 VIANNA, Hélio, História do Brasil. São Paulo, Melhoramentos, 1967. 3 ed. 2 v.

 

Fonte: Espírito Santo - Alguns Aspectos da Independência 1820/1824 - 2ª Edição - Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo,1985
Autor: Gabriel Bittencourt
Compilação: Walter de Aguiar Filho, maio/2022

Especiais

Pelé na Praia da Costa!

Pelé na Praia da Costa!

Veja a foto de quando Pelé esteve na Praia da Costa, na década de 60, na pedra do Clube Libanês

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Bibliotecas - As 10 mais importantes

1) A Biblioteca Pública do Estado. Fundada em 16-6-1855, pelo Presidente da Província Dr. Sebastião Machado Nunes.

Ver Artigo
Atividades Pioneiras - As 10 mais importantes

2) Advogados no Tribunal. Partiu da Constituição Espírito-santense de 1892 a prerrogativa dada hoje aos Advogados de participarem da composição dos Tribunais   

Ver Artigo
A origem da Praia da Costa

Ao tomar posse da Capitania do Espírito Santo em 1535, Vasco Fernandes Coutinho reservou para si uma área que veio a ser conhecida como " Fazenda da Costa".

Ver Artigo
As Conjunturas - Por Gabriel Bittencout

Espírito Santo - Alguns Aspectos da Independência 1820/1824    

Ver Artigo
Apresentação do Livro do Gabriel Bittencourt - Por José Honório Rodrigues

O professor Gabriel Augusto de Mello Bittencourt foi meu aluno no Mestrado de História da Universidade Federal Fluminense

Ver Artigo