Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Uma mensagem de Natal

Natal, Mamãe Noel

O que originou esse editorial de Natal foi uma simpática Mamãe Noel que circulava pelo Centro de Vila Velha hoje (5/12/2007), fazendo tranquilamente suas compras em um supermercado local. E nada de comprar nozes ou outras frutas de uma Natal que não é nosso. Ela escolhia com muito gosto umas belas bananas.

Vendo uma figura tão desconcertante para o nosso dia-a-dia, é que nos surpreendemos pelo inusitado e poético. O que te balança mais? Uma decoração de shopping, com todo planejamento e apuro estético ou a imagem da nossa simples senhorinha, Mamãe Noel de Vila Velha? A mim, toca mais a bela senhorinha. Nós já nos acostumamos com o espetáculo que os shoppings reservam para o final de ano. É bonito, mas ficou banal...

A Mamãe Noel de Vila Velha me traz de volta o sentido de Natal, ao colocar uma roupa vermelha e um gorro vermelho e se transformar em puro encantamento. Ela amolece nossos corações, enternece nosso olhar. Dá vontade de chegar perto, abraçar, dar parabéns e agradecer. Porque sua imagem remete a uma gostosa infância, a tempos de mais simplicidade. Me lembra um coral de Natal bem cantado, que nos emociona com as vozes de cada participante, com cada nota mais aguda que se ouve. Me lembra as luzes da cidade, das casas, que, mesmo com uma luzinha queimada, mostra o espírito de Natal do seu morador. Me lembra até de tempos que não vivi, como década de 20, 30, com apresentações da Lapinha encenadas na Prainha, em Vila Velha.

Não queria ser saudosista, mas nossa querida Mamãe Noel abriu meus olhos, ainda em tempo, para o verdadeirto sentido de Natal, para o que Jesus veio nos trazer com seu nascimento, que é a compaixão, a simplicidade, o não-julgamento de atitudes dos outros, o bem-querer. O ato de presentear as crianças, os nossos parentes e amigos também é muito bom, afinal, quem não gosta de ganhar presente, de ser lembrado? Mas nesse Natal, façamos com que todos entendam que a troca de presentes tem um significado muito maior.

 

Mônica Boiteux, dezembro/ 2007

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

O 1º Clube Carnavalesco de Vitória

Funda-se neste ano de 1874, nesta capital, uma sociedade com o título Clube Recreio Carnavalesco, com o fim de oferecer a seus sócios distrações

Ver Artigo
A História do Carnaval no Brasil - Por Haroldo Costa

Defendo com ardor e a mais profunda convicção que o nosso Carnaval representa hoje a mais fiel tradução das nossas heranças, contradições, perplexidades e perspectivas

Ver Artigo
A História do Carnaval

Foi em fins do século XIX e início do séc. XX que o carnaval do Brasil começou a conquistar fisionomia própria: nessa época já declinava o carnaval europeu

Ver Artigo
A maior tentação do poeta é ser poeta (para Otinho)

Poetas são exímios jogadores de esperteza. A palavra é sua peça de xadrez, seu dominó. Ao contrário dos que blasfemam, o poeta não é nuvem, nem inútil. O poeta tem corpo, é coisa sólida, pois seu poema é o corpo, mesmo quando morto, e seu poema é a alma de quem o lê

Ver Artigo
Casas antigas guardam histórias e mistérios (1ª parte)

No centro da cidade, casas quase centenárias a abandonadas causam medo e desconfiança 

Ver Artigo