Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Década de 1910 – Um projeto de água para Vila Velha

Região da caixa de água do Cercadinho, Vila Velha - Foto: José Tatagiba

Havia um porém. Vila Velha precisava ampliar seu abastecimento de água. Por isso, o então diretor de Agricultura, Terras e Obras do Estado, Antônio Francisco de Athaíde, em 30 de julho de 1910, encaminhou projeto para Jerônimo Monteiro, propondo:

“A água de Vila Velha será recebida na linha adutora acima do sítio Guaymum, passando em Porto Velho e Porto de Argolas e daí pela linha de bondes até aquela cidade que prospera.” A proposta foi aceita. Em mensagem à Assembleia Legislativa, de 23 de setembro do mesmo ano, Jerônimo Monteiro informou: “Tomei a deliberação de fazer a canalização d’água para a Vila do Espírito Santo pelo Continente e diretamente do encanamento geral para aquele local, servindo na passagem os povoados de Argolas e Porto Velho.”

Assim, foi construído o reservatório de água para a Sede da cidade no Morro do Cercadinho.

Qualidade da água do Rio Duas Bocas

Foram analisadas tanto a água de Duas Bocas como a do Jucu, consideradas de boa qualidade pelo mestre Daniel Henninger, da Escola Politécnica do Rio de Janeiro. A análise foi feita por Theodor Peckolt e Gustavo Peckolt. A água de Duas Bocas apresentou- se límpida, transparente, incolor, sem cheiro e de sabor agradável.

O exame científico não detectou vegetais microscópicos (Dermídeas, Leptornites, Saprophitas ou outras, muito menos algas brancas) nem bactérias. Revelou-se, ainda, que a porcentagem dos elementos da água de Duas Bocas era de água potável, segundo o Congresso Internacional de Bruxelas e de acordo com a tabela do Laboratório Municipal de Paris.

A barragem no Rio Pau Amarelo

Outra pequena barragem no Rio Pau Amarelo foi concluída em 1918. Está situada a montante e a cerca de 3 Km da barragem maior que foi construída em 1951. Como não foi submersa pelas águas represadas da barragem maior, permite visitação pública com caminhada ecológica muito agradável.

 

Fonte:  Das Fontes e Chafarizes às Águas Limpas – Evolução do Saneamento no Espírito Santo – Cesan, 2012
Autor: Celso Luiz Caus
Compilação: Walter de Aguiar Filho, janeiro/2019

História do ES

A Dívida Externa do Espírito Santo

A Dívida Externa do Espírito Santo

Juros que sacrificariam da todo o trabalho de uma população inteira, canalizando o nosso curo para o exterior por empréstimos onerosos 

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

O incêndio no Mercado da Vila Rubim

Vinte toneladas de fogos de artifício e barris de pólvora que estavam estocados em três andares da Casa Sempre Rica explodiram

Ver Artigo
O Ensino e a primeira biblioteca pública do ES

Criado em 1843, só a vinte e cinco de abril de 1854 foi instalado o Liceu da Vitória

Ver Artigo
Nas Vésperas da Independência – Por Mário Freire

A última barreira do Siri, próxima à foz do Itapemirim, havia sido o extremo norte da fazenda, doada aos padres em 1702

Ver Artigo
Após a Independência - Por Mário Freire

Dissolvendo a Constituinte em Novembro de 1823, Pedro I incumbiu o Conselho de Estado de organizar um projeto de Constituição

Ver Artigo
Pródromos da Independência Nacional

Domingos José Martins – Filho de Joaquim José Martins e de D. Joana Luisa de Santa Clara Martins, nasceu em Caxangá, hoje Itapemirim

Ver Artigo