Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

A Cruz do Campo em Vila Velha – Por Maria Stella de Novaes

Anchieta - O cortejo fúnebre

A lenda histórica da Cruz do Campo, relaciona-se com a derradeira viagem de Anchieta, de Reritiba a Vitória. Viera de canoa e devia assumir a direção da Casa Colegial, enquanto não chegasse o Superior Pe. Pedro Soares. Tivera a companhia do Pe. Jerônimo Rodrigues, até Guarapari. Na altura de Vila Velha, porém, ao passar diante de uma pedra, sobre a qual se erguia uma Cruz, num maciço de alvenaria, seu pedestal, teve a surpresa de encontrar-se com outro viajante, o seu compadre e amigo Manuel de Vide, que se dirigia, em sentido contrário, para Reritiba.

A Cruz assinalava o aparecimento de dois cadáveres, naquele ponto. Manuel de Vide era proprietário do sítio denominado Campo de Piratininga, vendido, posteriormente ao Convento da Penha, pela quantia de 5$000, negócio feito pela viúva de Vide.

Encontro de compadres tem sempre conversa. Entretiveram-se, por isso, com as notícias e, na despedida, ponderou Anchieta que, no mesmo local, se reuniriam, de novo, dentro de pouco tempo; mas, em silêncio. De Vide, porém, jamais poderia supor que, decorridos apenas alguns meses, ali encontraria, de fato, um cortejo imenso e fúnebre, que transportava, inânime, o corpo do seu querido compadre, para ser inumado, em Vitória. Conta-se que desejou, com insistência, inteirar-se da realidade cruel; por isso, foi-lhe permitido abrir o ataúde. E a Cruz do Campo, lugar bem conhecido, em Vila Velha, ficou, assim, na História e na Lenda, relacionado com a vida exuberante e bela de Anchieta, no Espírito Santo.

 

Fonte: Lendas Capixabas, 1968
Autora: Maria Stella de Novaes
Compilação: Walter de Aguiar Filho, outubro/2015

Folclore e Lendas Capixabas

A tristeza do Urubu – Por Maria Stella de Novaes

A tristeza do Urubu – Por Maria Stella de Novaes

Na grande família dessas aves, nascera um lindo rebento, portador de uma pena branca, frisada e bela, no peito

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

As Timbebas - Edward Athayde D’Alcântara

A Prainha era um berçário de mariscos; ali, você colhia com fartura o burdigão

Ver Artigo
Crendices, Orações e Benzimentos

As orações, rezas, benzimentos, e responsos eram muito usados pelos nossos antepassados. E nesse gênero também, o nosso folclore é rico

Ver Artigo
Praia do Suá - Malhação do Judas

Realizada no Sábado de Aleluia, durante a Semana Santa, a zombaria atrai hoje Sábado de Aleluia e porrete!

Ver Artigo
Festa de São Pedro - José Carlos Mattedi

A Festa de São Pedro é, depois da Festa de Nossa Senhora da Penha, o mais popular festejo religioso do Espírito Santo

Ver Artigo
O Judeu Pescador ou Lenda de Brás Gomes - Por Maria Stella de Novaes

Brás Gomes, o pescador, desejoso de preparar-lhe um oratório, ou lugar adequado, conservava-o numa caixa de madeira, que lhe servia de banco, em sua casa

Ver Artigo