Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Fortificações - Estado da Capitania em 1682

Forte Piratininga - Arquivo Tarcísio Bazzarella

Informação que dou a V. S. [Francisco Gil Araújo] do estado em que fica esta capitania no breve tempo que nela assistio:

Já dey a V.S. relação do miserável estado em que estava a fortificação desta praça quando Deus o trouxe e elle, he bem que o torne a fazer do que a deixa no breve tempo em que nella assistio e não o farey só do que toca á fortificação, mas também do muito que fica augmnetada.

Estava o Forte Nossa Senhora do Monte Carmo, sómente em alicerces e muita parte arruinada. Com grande dispêndio o aprefeiçoou V.S. acabando e brindo lhe amêas para catorze peças com fortíssima muralha de nove palmos de grosso e oito de alto e tem húa fermoza praça em sy, cuja largura he de 183 palmos e da porta athé a ultima ponta de diamente 120, lageada o necessário com dois telheiros para o resguardo da artilharia e fica ao presente com cuatro peças e cuatro pedreiros com suas carretas novas e o mais necessário. O Forte de S. Joam que edificou o capitão João Ferrão de Castello Branco o achou V.S., tão arruinado que não estava capax de poder resistir a qualquer invasão, porque alem da ruína, estava a artilharia sem reparos; entre a plataforma que tinha e o primeiro fortim, fazia húa rua inútil.

Redificou o V.S. fortessimamente unindo a em hum só terrapleno, abrindo lhe mais torneiras pala parte do mar na muralha que acrescentou; e pela parte da villa vay fechar o mesmo fortim em altura que cobre a escada que V.S. lhe mandou fazer.

Neste fortim que estava inutil, está hoje artilharia e assim elle como a plataforma tudo lageado com os seus telheiros pêra resguardo assim da artilharia como dos soldados donde ficam oito peças cavalgadas. Tinha mais este Forte um eirado que estava cahido e entulhado, está hoje perfeitamente acabado de vigame junto, ladrilhado e com betume por cima pêra resguardo da madeira.

Estas Fortalezas ficam distantes da Barra, a de S. João meia legoa pouca mais a de N.S.do Carmo na marinha desta villa em que ficava a entrada sem impedimento algum e a villa do Sprito Santo sem defença.

Mandou V.S. fundar o forte S. Francisco Xavier a entrada da Barra em sitio muito conveniente pêra este effeito e de melhor segurança com o qual não he possível poder passar embarcação sem grande risco. A forma delle he de laranja, o diâmetro de 80 palmos e a circumferencia de 240, a muralha he fortíssima pois nace entre grandes penedos com doze palmos e nos mesmos continúa athé o pavimento do lageado e dahy sobe em nove de groço em dez amêas, toda a praça lageada com um grande telheiro, e sua casa de pólvora; pode ser socorrida em qualquer conflicto e de prezente fica com oito peças cavalgadas.

Na primeira relação que dey a V.S. se vê haver somente nesta praça dezessete soldados de Infantaria, dois artilheiros e hum condestável; hoje se contam trinta e três soldados, seis artilheiros e o condestável, então se socorriam aquelles poucos, apenas tinha, sinco socorros pela falta de effeito por andar a renda mui diminuta; hoje com os mais que V.S. acrescentou são mais socorridos, então não rendiam os effeitos mais que 255$000 rs. Deste se tiravam os gastos da Câmara com que ficava cousa muy limitada, aplicou V.S. todo o seu cuidado em acrecentar e vemos que subiu esta a perto de 400$000 rs. [...] Tinham estas villas quatro companhias de ordenanças e estas sem ordem, hoje ficam divididas em nove com boa disposição; na villa da Victoria ficam cinco, na do Sprito Santo duas na Viila Nova húa e outra que v.s. ordenou dos homens pardos, com que fazem as nove.

Este he o estado em que V.S. deixa a capitania em tão breve tempo tão aventajada do ínfimo em que a achou; estava incapax de defença, hoje fortificada com três fortalezas das melhores do Estado com dezessete soldados e dois artilheiros estava esta praça, hoje fica com trinta e três, seis artilheiros e hum condestável. Quatro Companhias tinha somente e hoje nove; duas villas atenuadas a da Victoria e do Sprito Santo, hoje redificados [...] em vinte e sete de julho de 1682. O Provedor Manoel de Moraes.

 

Fonte:Textos de História Militar do Espírito Santo - Vitória/2008
Compilação: Getúlio Marcos Pereira Neves - Coleção João Bonino Moreira, vol. 3

 

 

LINK RELACIONADO:

>> Forte de Piratininga

 

 

 

 



GALERIA:

📷
📷


Monumentos

Monumento ao Ano Internacional da Paz

Monumento ao Ano Internacional da Paz

O professor e historiador Willis de Faria, preocupado com uma reportagem publicada em jornal de Vitória, que falava sobre a indiferença do povo capixaba...

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Patrimônio ambiental: aspectos na Grande Vitória

A necessidade de intervenção no espaço físico, social e cultural levou a Fundação Jones dos Santos Neves a elaborar o Plano de Preservação do Patrimônio Ambiental Urbano e Natural

Ver Artigo
Mestre Álvaro

Desde os primeiros tempos do século XVI, observado e utilizado por navegadores que por aqui passaram, servindo de notável sinalização para navegação 

Ver Artigo
O Palácio Anchieta - Por Neida Lúcia Moraes

O Palácio do Governo do Espírito Santo, hoje denominado Palácio Anchieta, em homenagem ao Padre José de Anchieta, é uma testemunha de toda a nossa História

Ver Artigo
A Manteigueira - Por José Carlos da Fonseca

Mas hoje persiste na minha memória a figura da manteigueira vista lá da curva do Saldanha como uma paisagem inapagável dos meus primeiros tempos de Vitória

Ver Artigo
Obelisco da Praça dos Namorados

Discurso proferido pelo sr. Alberto de Oliveira Santos no ato da entrega do monumento que a Família Oliveira Santos, comemorando o quatri-centenáriodo Solo Espírito-Santense

Ver Artigo