Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Monumento a Vasco Fernandes Coutinho (1º Donatário da Capitania)

Obelisco em homenagem a Vasco Coutinho - Foto: Lobão

O Monumento: É representado por um obelisco de granito, constituído de uma só peça inteiriça que assenta sobre quatro esferas de metal, sobre artística e trabalhada base de pedra. Nas duas faces em que assenta o obelisco, há placas de bronze, com expressivos altos-relevos, representando cenas do desembarque daquele fidalgo português, com os seus 60 companheiros.

Iniciativa e oferta da Família Oliveira Santos. Possui placas de bronze com a efígie do homenageado e com inscrições.

Inscrições:

Na face principal em alto relevo:

“A mata virgem e o homem descobridor – 1535 – Comemorativo ao IV Centenário do povo do Espírito Santo por Vasco Fernandes Coutinho”

Noutra face:

“1935 – Homenagem prestada ao Espírito Santo pelas famílias Oliveira Santos, sendo governador do Estado o Sr. Capitão João Punaro Bley – 23 de maio de 1935”.

Localização: Inicialmente colocado na Praça Oito de Setembro, foi posteriormente removido para o final da Avenida Capichaba, Hoje Jerônimo Monteiro e finalmente para Aterro da Enseada do Suá – Praia do Canto.

Personalidade: Vasco Fernandes Coutinho – foi o primeiro donatário da Capitania do Espírito Santo, doada em 1º de junho de 1934. A posse verificou-se em 23 de maio de 1535, no lugar que hoje tem o nome de Espírito Santo de Vitória ou Vila Velha, como é mais conhecido.

Era fidalgo dos mais antigos solares de Portugal e merecera a doação por serviços prestados ao seu País.

Dom Vasco Fernandes Coutinho

1º Donatário da Capitania do Espírito Santo, Brasil

 

Cronologia Provável

1490 – Nasce Vasco, 2º filho, sem direito a fidalguia,  de D. Jorge de Melo e D. Branca Coutinho

1510 – Registros dão-no como “homem bem mancebo”

1511 – Participa da tomada de Málaca

1514 – Em Goa e Ormuz

1522 – É promovido a cavaleiro, com direito a brasão

1524 – Provável visita a Tamou, porto da China, em companhia dos irmão Martim Afonso de Melo Coutinho e Duarte Coelho

1529 – Volta rico a Portugal, onde compra uma pequena Quinta em Alemquer, e um prédio de casas em Santarém (Ribatejo)

1530 – Em África, lutando contra beduínos

1532 – Casa-se com Dona Maria do Carmo, com quem tem dois filhos Jorge e Martin Afonso (Outro autor diz que sua mulher foi D. Isabel de Frois)

1.6.1534 – Recebe, em doação de João III, terras no Brasil

23.5.1535 – Inicia a colonização da Capitania do Espírito Santo

1540 – Volta a Portugal em busca de recursos para desenvolver o seu vilão farto

1549 – Reencontra a Capitania em ruínas. Há grandes lutas contra os nativos

1550.1555 – Viagem misteriosa. Neste último ano, em Pernambuco e na Bahia é excomungado pelo 1º Bispo do Brasil, D. Pedro Fernandes Sardinha, “por beber fumo de mistura com homens baixos”

1558 – Grande luta contra os índios, na margem do Cricaré, morre Fernão de Sá, filho do Governador Geral

1561 – Setembro? – Falece o 1º Donatário do Espírito Santo (outros autores dão-no falecido na Bahia)

                                                                                                                                                                                                    (Renato Pacheco)

Fonte: Catálogo dos Monumentos Históricos e Cultural da Capital – Vitória – ES
Autor: Willis de Faria (o catálago foi por ele doado à Casa da Memória em 27-03-93)
Foto: Sérgio Lobos Martins e Flávio Lobos Martins Filho
Capa: Eugênio G. Herkenhoff
Compilação e foto atual: Walter de Aguiar Filho, julho/2011

 

LINK RELACIONADO:

>> Obelisco da Praça dos Namorados oferta da Família Oliveira Santos
 



GALERIA:

📷
📷


Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Farol de Santa Luzia – Por Elmo Elton

A 07 de setembro de 1871, a luz do farol já anunciava aos nautas, antes incertos, a segurança da aproximação do porto

Ver Artigo
Chafarizes – Por Elmo Elton

A Prefeitura Municipal de Vitória anuncia que vai restaurar o velho e desativado chafariz da esplanada da Capixaba, na atual Rua Barão de Monjardim

Ver Artigo
Patrimônio ambiental: aspectos na Grande Vitória

A necessidade de intervenção no espaço físico, social e cultural levou a Fundação Jones dos Santos Neves a elaborar o Plano de Preservação do Patrimônio Ambiental Urbano e Natural

Ver Artigo
Mestre Álvaro

Desde os primeiros tempos do século XVI, observado e utilizado por navegadores que por aqui passaram, servindo de notável sinalização para navegação 

Ver Artigo
O Palácio Anchieta - Por Neida Lúcia Moraes

O Palácio do Governo do Espírito Santo, hoje denominado Palácio Anchieta, em homenagem ao Padre José de Anchieta, é uma testemunha de toda a nossa História

Ver Artigo