Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Iconha surge de Benevente - Por Luciana Maximo

Até 1924, a sede do município era Iconha, mas os documentos eram assinados como Município de Piúma

Até 1924, a sede do município era Iconha, mas os documentos eram assinados como Município de Piúma. Com a Lei Estadual n. 1428, de 03 de julho de 1924, o município de Piúma passou a denominar-se de Município de Iconha.

Iconha emancipou-se no dia 03 de julho de 1924, até então a sede era em Piúma

Narrar um pouco da história de Iconha é mergulhar na de Piúma, ambos eram um só município, os historiadores afirmam. Porém, Iconha teve início nas povoações de Piúma, o Orobó - eram aldeias de índios Puris, fundadas pelo Padre José de Anchieta, sendo Piúma em, 1565 e 1567 e Orobó em 1850. Orobó teve início com a construção da Capela de Nossa Senhora de Bom Sucesso, onde atualmente nada resta, nem ruínas.

O escritor, Idalgizo Simão, na obra História de uma Civilização descreve que Piúma era distrito de Anchieta, antigo Benevente, criado pela Lei Provincial n° 14 de 04/05/1883, com antigo nome de Nossa Senhora da Conceição de Piúma, cresceu tornando a sede do município do mesmo nome. Sendo porto de mar, o seu comércio se desenvolveu, recebeu grandes e ilustres visitantes e na povoação residiam pessoas cultas que mantinham relações com outras regiões do Brasil e da Europa.

Chama atenção Idalgiso, que todas as cidades brasileiras mais antigas, do interior, surgiram no terminal da navegação pelo rio, assim aconteceu a Iconha, no século passado. Ele assegura em sua obra, que o primeiro a percorrer a região central e montanhosa de Iconha foi o imigrante alemão, Henrique Francisco Christiano Bouguinon, vindo de Frankfurt, Alemanha.

Simão, assegura ainda que as primeiras concessões de terras foram feitas no reinado de D. João VI, em 1818 e a seguir outras foram feitas a Midose e à firma Inglesa Rodacanack & Cia, com sede em Londres, Inglaterra, para exploração de madeiras, pois era proprietária de uma serraria em Piúma e Monte Belo, onde ainda existem vestígios.

Na Obra Didática "Iconha: Nosso Município", dos autores: Aldieris Braz Amorim, Betraiz Valiati, Maria Helena Longue, Maria Helena Petersen, Olimar Garcia e Sonia Maria Mulinari, eles explicam que Iconha era coberta por matas e os primeiros habitantes foram os índios, mais tarde, outros povos chegaram para extrair madeira, sendo que muitos acabaram ficando e povoando o município.

Era um pequeno povoado, com casas muito simples, feitas de madeira, onde é Piúma, haviam mais pessoas. Ressaltam os escritores que, muitas famílias que vieram da Inglaterra eram protestantes e por isso, fundaram na localidade de Bom Destino, a primeira igreja Batista de Iconha, em 1905. As primeiras religiões que surgiram em Iconha foram a Católica e a Batista, a primeira trazida pelos portugueses.

Iconha não ficou apenas na extração de madeiras. As empresas que compraram os produtos da região aumentaram seus negócios e colocaram filiais em Piúma e Iconha. Um das primeiras firmas foi a empresa Natividade e, junto com ela, veio o empregado Antônio José Duarte, que bem depois acaba se tornando o coronel mais respeitado em Iconha.

Em 1873, foi construída a primeira grande construção, uma olaria. Três anos depois surgiu a primeira casa comercial de Iconha, Natividade, que comprava matéria prima da pequena população e levava para o Rio de Janeiro. Em 1879, Antônio Duarte se tornou o dono da empresa e iniciou um novo tempo, com muitas mudanças.

 

Fonte: Jornal Espírito Santo Notícias – 15/07 a 30/07 de 2015 – 2º quinzena, nº 87
Caderno Especial: Iconha – 91 anos de Emancipação Política
Autora: Luciana Maximo
Compilação: Walter de Aguiar Filho, agosto/2015

 

Cidades do ES

Itaguaçu

Itaguaçu

O município de Itaguaçu, distante 135 km de Vitória, é uma típica cidade do interior do Espírito Santo. Localizada na região serrana do Estado, mostra-se, à primeira vista, clássica: uma rua principal, outras adjacentes, uma igreja, a sede da prefeitura e uma praça, tudo muito próximo um do outro...

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Divisão administrativa do município de Vitória, 1937

São os seguintes limites do município de Vitória

Ver Artigo
Guarapari e Perocão

Atravessando uma floresta, chagava-se a Perocão, local que emprestou seu nome a uma ribeira da qual as águas correm na vizinhança

Ver Artigo
A desanexação de Viana à Domingos Martins

Hoje Domingos Martins e Viana são dois municípios distintos, o primeiro engrandecido pela sua extensão territorial, o segundo mutilado e reduzido, aguardando apenas, como Pedro II, “a Justiça de Deus na voz da história”

Ver Artigo
Iconha: Capital dos caminhoneiros no Brasil - Por Luciana Maximo

A cidade que tem 13 mil habitantes é considerada o município com o maior número de caminhões e carretas por habitantes do Brasil

Ver Artigo
Barra do Jucu

Barra do Jucu é um pequeno balneário de Vila Velha, ainda tranqüilo, localizado a 15 quilômetros do centro da cidade, que atrai muita gente por seu alto astral

Ver Artigo