Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

O Convento da Penha - O maior símbolo do Espírito Santo

Escudo do IHGES

O CONVENTO DA PENHA — O MAIOR SÍMBOLO DO ESPÍRITO SANTO

 

Oficial ou particularmente, o Convento da Penha tem sido o maior símbolo do Espírito Santo.

Proclamada a República e promulgada a Constituição do Estado, passa logo a figurar nas Armas e Selo do Espírito Santo. Vem a ditadura de Vargas e com ele caem os símbolos, as armas e as bandeiras estaduais, — mas, ao voltar o país ao regime da lei e da democracia, são eles restabelecidos e no caso particular do Estado capixaba é expedido o seguinte decreto:

"Decreto n.° 16 618 de 24 de julho de 1947.

Dispõe sobre os símbolos do Estado.

O Governador do Estado do Espírito Santo, usando de atribuição legal e tendo em vista o art. 6º, n.° V, do decreto-lei federal n.° 1202,  de 8 de abril de 1939; CONSIDERANDO que, pelo disposto no § único do art. 195 da Constituição Federal de 1946, os Estados e os Municípios podem ter símbolos próprios;

CONSIDERANDO que são eles Bandeira, Hino, Armas e Selos;

CONSIDERANDO que, respectivamente, pelos decretos ns. 455 e 456, ambos de 7 de setembro de 1939, foram estabelecidos o Selo e o Escudo das Armas;

CONSIDERANDO que, embora não definidos por ato expresso, a tradição admitira a Bandeira e o Hino — aquela com as cores azul e rosa e este sob música de Artur Napoleão e letra de Peçanha Póvoa;

CONSIDERANDO que a Assembléia Constituinte de 1947, manifestou-se pelo respeito fiel à tradição desses símbolos; CONSIDERANDO que o Instituto Histórico e Geográfico do Estado, assim igualmente, se pronunciou.

DECRETA:

Art. 1.°) — São símbolos do Estado:

a) a Bandeira;

b)  o Hino;

c) as Armas;

d) o Selo.

 

Art. 2.°) — A Bandeira do Estado terá as dimensões estabelecidas para a Bandeira Nacional, em três campos — azul, branco e rosa — retangulares, longitudinais e iguais, tendo no centro do segundo, em arco de letras azuis, a legenda: "Trabalha e Confia"

Art. 3.°) — O Hino constituir-se-á da música de Artur Napoleão e letra de Peçanha Póvoa.

Art. 4.°) — As armas serão representadas por uma grande estrela, em azul e rosa, no centro da qual se vê o Monte da Penha, com o Convento, envolvido por duas circunferências concêntricas, em cujo espaço intermediário se lê: "Trabalha e Confia" — Estado do Espírito Santo. Em forma de lira envolvem a grande estrela ramos de café e cana, ligados na base por um laço, em que se lê: 23 de maio de 1535 e 12 de junho de 1817.

Art. 5.°) — O Selo será de forma octogonal, em azul e rosa, tendo inscrito na base — Estado do Espírito Santo; no alto, 23 de maio de 1535; no centro, duas circunferências concêntricas e, inscrito no espaço intermediário, a legenda: "Trabalha e Confia"; no espaço interno do círculo, desenhado, o Convento da Penha .

Art. 6.°) — Padrões, dos símbolos do Estado, executados nos termos deste Decreto, serão depositados no Arquivo Público, para modelo obrigatório dos que se confeccionarem, por iniciativa pública ou particular.

Art. 7.°) — A Secretaria do Interior e Justiça baixará as instruções necessárias para execução deste Decreto.

Art. 8.°) — Revogam-se as disposições em contrário. Vitória, 14 de julho de 1947, 126.° da Independência c 59.° da República.

Carlos Fernando Monteiro Lindenberg

Fernando de Abreu

Napoleão Fontenele da Silveira

Erildo Martins

Antônio Barroso Gomes."

 

E não é só o Estado do Espírito Santo que incluiu o Convento da Penha em seus símbolos.

Também aparece ele no próprio selo do Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo.

Pintado em grandes telas pelos pincéis afamados de Vítor Meireles e de Benedito Calixto ou pelas tintas bem lançadas de muitos outros pintores de nomeada, lançado para diversas partes, em todas as suas facetas, em todos os tamanhos e nuances pela persistência caprichosa de Álvaro Conde, fotografado em todas as posições, inclusive por via aérea, através das máquinas de fotógrafos profissionais e amadores, dando vida aos postais da cidade, enriquecendo os álbuns dos apaixonados, levando mensagens a distâncias longínquas — o Convento da Penha tem sido e será sempre o símbolo máximo a representar o Espírito Santo.

 

Fonte: O Convento da Penha, um templo histórico, tradicional e famoso 1534 a 1951
Autor: Norbertino Bahiense
Compilação: Walter de Aguiar Filho, abril/2018

Convento da Penha

O Saque Holandês – Por Norbertino Bahiense

O Saque Holandês – Por Norbertino Bahiense

Conta ainda Frei Basílio, citando Jaboatão, que "um dos holandeses tentou tirar o anel precioso do dedo de Nossa Senhora

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

A Arquitetura do Convento da Penha, pela voz de um técnico americano

O Alpendre, que, avançando, projeta ao espaço, por assim dizer, a sobriedade das linhas retas e formas sólidas das paredes da fachada

Ver Artigo
O Roubo de 1925 ao Convento da Penha - Por Norbertino Bahiense

O Convento foi assaltado e roubado por mãos criminosas que levaram o manto, a coroa e as jóias da imagem de Nossa Senhora da Penha

Ver Artigo
Pedro Palácios – Por Solimar de Oliveira

Ave, condor da fé, que aos píncaros supremos elevastes, a arder na religiosa unção

Ver Artigo
O Saque Holandês – Por Norbertino Bahiense

Conta ainda Frei Basílio, citando Jaboatão, que "um dos holandeses tentou tirar o anel precioso do dedo de Nossa Senhora

Ver Artigo
Últimos Acontecimentos – Por Norbertino Bahiense

Isto é o que afirma a história e dessa afirmativa retirou Benedito Calixto a inspiração de belo quadro existente no Convento da Penha 

Ver Artigo