Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

O Megatério de Cachoeiro

Megatério

A descoberta de uma ossada de animal pré-histórico, encontrada em fevereiro de 1973, numa propriedade rural do Alto do Gironda, está despertando grande interesse e curiosidade no Espírito Santo.

Cinco dos ossos maiores, levados para estudos no Departamento Nacional de Produção Mineral, foram considerados bastantes para identificação do animal, pertencente ao grupo zoológico dos tamanduás e tatus: megatério, uma preguiça terrícola gigante, espécie que viveu na América do Sul e foi extinta há uns dez mil anos, justamente quando os primeiros homens atingiram o território brasileiro.

Corpo volumoso como o de um elefante, com mais de dois metros e meio de altura no dorso e cinco metros de extensão, da cauda à cabeça, o megatério é um mamífero desdentado. Ganhou tal classificação por apresentar apenas uns poucos dentes maiores que medem dezessete centímetros de comprimento por mais de quatro centímetros de lado. Herbívoro, alimenta-se de folhas, brotos, ramas menores e caules novos de gramíneas. Comia ereto, usando os dedos como garras para apoio nas árvores, sustentando o pesado corpo no tripé dos pés traseiros e grossa cauda. Lerdo no andar, pacato, inofensivo e indefeso, podia ser facilmente encurralado, nas cavernas, pelos caçadores, servindo como reserva de carne fresca.

Em 1889, os paleontologistas do Museu Nacional do Rio de Janeiro recolheram, numa caverna em Jacobina, na Bahia, os ossos de um exemplar completo dessa preguiça gigante e o seu esqueleto, montado, ainda se conserva para visitação pública, no referido Museu.

Sabe-se que nos tempos imediatamente anteriores à época geológica atual, os megatérios foram abundantes no Brasil. Os seus ossos têm sido encontrados desde o Acre ao Rio Grande do Sul e em todas as ocasiões despertam a curiosidade popular e dos cientistas.

A recomposição e montagem do esqueleto do Alto Gironda, no Cachoeiro, estaria muito dificultada pelas condições da escavação em terreno alagado.

E assim se perdeu valioso elemento para a cultura das nossas origens.

 

 

Fonte: De Vasco Coutinho aos Contemporâneos, 1977
Autor: Levy da Rocha
Compilação: Walter de Aguiar Filho, outubro/2011



GALERIA:

📷
📷


Curiosidades

Queima de arquivo – Por Fernando Achiamé

Queima de arquivo – Por Fernando Achiamé

Transformar essa massa amorfa de registros em serviços eficazes para o desenvolvimento econômico-social capixaba constitui grande desafio 

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

O Circo em Vila Velha no tempo do Seu Dedê

Os circos eram montados no largo destinado à Praça Duque de Caxias 

Ver Artigo
A Iluminação de Vitória no Século XIX – Por Elmo Elton

A iluminação pública a eletricidade foi inaugurada, em Vitória, a 25 de setembro de 1909

Ver Artigo
Hospedaria de Imigrantes da Pedra D’Água - Edifício Histórico de Quarentena

Para receber os imigrantes era indispensável a construção de uma hospedaria para alojá-los no período de quarentena

Ver Artigo
Inhoá – Por Edward Athayde D’Alcântara

Era uma comunidade de pescadores, vivendo harmoniosamente, embora a falta de conforto naqueles pequenos barracos

Ver Artigo
Banho na Maré – Por Edward Athayde D’Alcântara

Hoje, o local seria do outro lado onde está o Shopping da Costa. Brincávamos de “boto e tainha”

Ver Artigo