Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Prédio da Prefeitura de Vila Velha

Prédio da Prefeitura Municipal de Vila Velha em construção. Administração do prefeito Tuffy Nader

Em 1960, o prefeito Tuffy Nader construiu moderna sede para os serviços municipais do Executivo e da Câmara. Quis perpetuar o início de um novo tempo na trajetória da cidade. Com determinação própria de homem dinâmico e empreendedor, idealizou marcar essa transição com uma obra, que além de bonita, fosse útil e se constituísse num marco da cidade, que abandonava a velha imagem da pobreza para alçar vôo nos ideais do progresso e da cultura. Convidou o arquiteto capixaba Élio de Almeida Vianna para fazer o projeto, marcado pelas linhas de equilíbrio que compõem as suas quatro fachadas e por um espaço físico interno que abrigaria o Poder Executivo, além de moderno auditório e demais dependências para o Poder Legislativo.

Tendo se constituído numa importante obra para a época, início da década de 60, deve-se ressaltar o arrojo da sua cobertura em concreto armado, na forma de figura geométrica do parabolóide hiperbólico apoiado sobre quatro pilates e cuja extensão só a tornaria exequível se calculada e executada na moderna técnica conhecida nos meios calculistas como "casca". Coube essa tarefa ao engenheiro Hélio Ciryno, calculista e professor da UFES.

Posteriormente, impunha-se a independência e ampliação da Câmara Legislativa, que assim passou a ocupar, em regime de comodato, a antiga sede do então clube social Golfinho, situado na orla da Prainha e cujas atividades foram encerradas definitivamente. Por fim, ganhou sede própria, ainda na mesma Prainha, onde está hoje.

O progresso e o início do avanço cultural da cidade sugeridos pela obra de Tuffy Nader foram depois assimilados pelo governador do estado na época, Max de Freitas Mauro, que fez construir os quiosques ao longo da Praia da Costa, repetindo em miniatura, o novo símbolo da cidade contido na arrojada forma da cobertura da sede da prefeitura, apesar de alguns dizerem tratar-se de uma imitação de Asa Delta.

A partir da mudança da Câmara, a sede da Praça Duque de Caxias passou a pertencer exclusivamente ao Poder Executivo. Entre 1989 e 1992, a administração municipal deixou o prédio, que foi transformado em centro cultural do município. Para isso, dotou-o de acústica e espaço para galeria de artes e demais dependências para atividades culturais. A sede da Prefeitura passou para as esquinas das ruas Henrique Laranja e Sete de Setembro, em um prédio de três andares, no Centro da cidade.

 

Fonte: Vila Velha - Onde começou o Estado do Espírito Santo, 1999
Autor: Jair Santos
Compilação: Walter de Aguiar Filho, maio/2013



GALERIA:

📷
📷


Monumentos

Preservar a memória – Por Sebastião Pimentel

Preservar a memória – Por Sebastião Pimentel

Imóveis cuja importância histórico-social ou beleza arquitetônica sejam consideradas imprescindíveis à memória da sociedade não podem ser destruídos, ou modificados

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

A Pietà do Lixo – Dona Domingas

A Pietà do Lixo. Talvez a única escultura do mundo de uma catadora de lixo e sem uma digna biografia

Ver Artigo
100 Anos do Parque Moscoso

Em maio de 1912 era inaugurado pelo presidente Jerônimo de Souza Monteiro a praça Moscoso, no local do antigo Campinho, após as obras de drenagem e ajardinamento do local

Ver Artigo
Parque Moscoso

Originalmente denominado Mangal do Campinho, o Parque Moscoso era constituído por uma área de manguezal.

Ver Artigo
Monumento a Vasco Fernandes Coutinho (1º Donatário da Capitania)

É representado por um obelisco de granito, constituído de uma só peça inteiriça que assenta sobre quatro esferas de metal

Ver Artigo
O Farol de Santa Luzia

O farol de Santa Luzia em Vila Velha é a construção de montagem mecânica mais antiga do Espírito Santo, ganhando em muito na antigüidade de algumas pontes das estradas de ferro

Ver Artigo