Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

A Segunda Guerra

Fábrica de Chocolates Garoto, na Glória - Vila Velha ES

Enquanto a segunda guerra convulsionava a Europa, os reflexos no Brasil e Espírito Santo eram inevitáveis.

No segundo semestre de 1942, cinco navios brasileiros foram afundados em apenas 3 dias. No Baependy, um dos navios afundados, viajava o professor de Educação Física capixaba, Adão Benezath. A guerra mostrava a sua cara dentro da própria sociedade capixaba. Adão Benezath era bastante conhecido e estimado. Sua morte comoveu e enlutou toda a gente do Espírito Santo.

Artigo do jornalista Plínio Marchini, publicado na Revista Capixaba em 08 de dezembro de 1967, relembra os fatos na data que os ódios reprimidos contra alemães e italianos explodiram em atos de furor nas então pacatas Vila Velha e Vitória.

Um comício gigante, na Praça Oito, juntou a população indignada. Oradores inflamados, como os então jovens Eurico Rezende, Celso Bonfim, Carlos Miranda da Cunha, fizeram seus protestos veementes. Também Luís Simões de Jesus e Beresford Moreira, entre outros.

Foi justamente durante esse comício que chegou a notícia do afundamento do Baependy e da morte de Adão Benezath.

Os ânimos, já exaltados, mais ainda se inflamaram. O povaréu dirigiu-se à Rua Duque de Caxias, onde depredou, completamente, as instalações do Restaurante Hamburgo e o Depósito da Bayer, ambos de propriedade de alemães ou descendentes.

Saques e violências sem conta se estenderam de Santo Antônio - Fábrica de Sabão Iori - até a Praia do Canto, passando pelo centro da cidade, onde foram depredados o Empório Capixaba, a Casa Pfaff, a Sorveteria Mickey, Arens-Langen, Casa Salvador de Prá, Escola Olympia de Datilografia, entre outras casas comerciais.

Correu a notícia de que o médico de ascendência alemã, Dr. Schoroeder, era espião e agente do Eixo. Notícia Verdadeira? O ódio deturpa os fatos, recorre a estranhos estratagemas. O fato é que a clínica médica foi invadida e arrasada.

A então Fábrica de Balas Garoto, na Glória, em Vila Velha, foi preservada dos ataques e saques, graças à intervenção do Comando do 3º Batalhão de Caçadores, ao qual foram confiadas as chaves da indústria.

A multidão compunha-se de verdadeiros patriotas, indignados com os atos terríveis do Eixo. Mas era "enriquecida" também pelos ambiciosos, pelos delinquentes que roubavam e pilhavam.

Em seguida, o Brasil declarou guerra aos países do Eixo. Veio o racionamento e o blecaute. Faltava gasolina. Os automóveis particulares utilizavam o gasogênio. A guerra ensejou a racionamento e o câmbio negro do trigo, da gasolina, do querosene e do sal. Os depósitos bancários dos estrangeiros ou descendentes de alemães e italianos foram bloqueados.

A guerra terminou oficialmente com a vitória do Aliados, em maio de 1945, mas na verdade ainda prolongou-se alguns meses e só terminou com o episódio das bombas atômicas lançadas em Hiroshima e Nagasaki.

Os povos envolvidos procuraram seguir em frente, reconstruindo as cidades. As trocas, os auxílios e o comércio entre as nações se intensificarm.

A esperança é a de que jamais catátrofe semelhante atinja a humanidade.

 

Fonte: Espírito Santo - História de sua lutas e conquistas, 2002
Autora: Neida Lúcia Moraes
Compilação: Walter de Aguiar Filho, janeiro/2013

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

A Mata Virgem – Por Auguste François Biard (Parte IV)

Tinham me falado, várias vezes, desde que chegara ao Brasil, de uma terrível cobra, a maior das trigonocéfalas, conhecida pelo nome de surucucu

Ver Artigo
Por que Morro do Moreno?

Desde o início da colonização do Espírito Santo, o Morro do Moreno funcionava como posto de observação assegurando a defesa de Vila Velha e de Vitória

Ver Artigo
A Ilha de Vitória – Por Serafim Derenzi

É uma posição privilegiada para superintender, como capital e porto, os destinos políticos e econômicos do Estado de que é capital

Ver Artigo
A história do Jornal A TRIBUNA

Conheça a história do jornal A TRIBUNA, publicada na resvista da Associação Espírito-Santense de Imprensa (AEI) em 12/2008

Ver Artigo
Intervenção federal - Governo Nestor Gomes

A vinte e seis de maio de 1920 começou a luta armada na Capital, com elementos da Força Policial dividida entre as duas facções 

Ver Artigo