Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Cidade de Afonso Cláudio

Mapa de Afonso Cláudio

A origem do nome da cidade é em homenagem ao ilustre espírito-santense que foi primeiro governador do Estado de regime republicano: Dr. Afonso Cláudio.

É uma bonita cidade, cortada pelo Rio Guandú e cheia de árvores em suas redondezas. Sua colonização começou com a descoberta de ouro no lugar, nos meados do século XIX. É conhecida como a Capital Estadual do Milho.

O atual território de Afonso Cláudio pertenceu primeiramente ao município de Cachoeiro de Itapemirim, tendo sido, mais tarde, desmembrado e anexado ao de Serra, passando depois a integrar o de Santa Leopoldina, permanecendo nessa condição até 20 de Novembro de 1890, data de sua Emancipação.

O primeiro explorador do território, segundo a tradição, foi o engenheiro Frederico Wilmer que teria descoberto o Ouro no lugar denominado "Lagoa Sêca", na fazenda Santo Antônio do Alto Guandú, e no Atual distrito de Pontões, e que pertencia a Antônio de Souza Barros, conhecido por Barros Preto. Sabe-se que Frederico Wilmer contraíra febre amarela e, em consequência faleceu em Vitória no ano de 1851.

Algum tempo depois, um aventureiro de nome ignorado, vindo provavelmene de Minas Gerais, chegou a construir um rancho, no local que hoje é a Praça Adherbal Galvão, na sede municipal prosseguindo sua penetração, foi ter à casa de Antônio de Souza Barros, a quem conseguiu entusiasmar, com a descrição das terras férteis que percorrera.

Na primeira metade do século XIX, Frederico Wilmer, que viria a contrair febre a amarela e morrer em 1851, andou pela região que mais tarde constituiria o município de Afonso Cláudio, procurando ouro. Encontrou-o efetivamente no lugar denominado Lagoa, na fazenda Santo Antônio do Alto Guandu, pertencente a Antônio de Souza Barros.

Em 1885, Sabino Coimbra, Inácio Lemos, Jorge Gomes e Joaquim Galvão lançaram os fundamentos da povoação, construindo as primeiras casas. Batizaram o povoado com o nome de São Sebastião do Alto Guandu.

De 1896 a 1900, os índios que ali havia foram aos poucos desaparecendo.

A povoação progrediu rapidamente. Os primeiros caminhos carroçáveis que viriam incrementar seu desenvolvimento, ligando-a às localidades vizinhas, foram construída por Inácio Gonçalves com o auxílio dos indígenas.

Por essa época, os habitantes do lugar estavam ainda sob jurisdição de Porto do Cachoeiro de Santa Leopoldina. Em 20 de novembro de 1890, foi criado o município.

Ao novo município foi dado o nome de um republicano, Afonso Cláudio, espíritosantense, abolicionista e primeiro governador do Estado.

 

Fontes: www.citybrazil.com.br/es/regioes/afonsoclaudio/
e http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/dtbs/espiritosanto/afonsoclaudio.pdf



GALERIA:

📷
📷


Cidades do ES

Fazenda em Castelo

Fazenda em Castelo

A Fazenda do Centro, localizada no município de Castelo (ES), é uma antiga fazenda dos barões do café, que nos áureos tempos tiveram em torno de 600 escravos

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Então Vitória era assim (1908-1912) – Era Jerônimo

Um bonde a tração animal trafegava pela cidade baixa, de Vila Rubim ao Forte São João, passando pelo Largo da Conceição, Ruas do Rosário, Cristóvão Colombo e Barão de Monjardim

Ver Artigo
Itaúnas - Por Adelpho Monjardim

Situada na embocadura de importante rio, na orla marítima, possuidora de magnífico e extenso litoral, cedo desenvolveu-se, tornando-se próspera povoação, com intenso comércio com a Bahia

Ver Artigo
Roteiros de Guarapari

Três Praias: São consideradas as mais bonitas do balneário. A entrada é através de área particular e atualmente está fechada. As únicas formas de acesso a elas são através da Praia dos Adventistas ou de embarcações. 

Ver Artigo
Guarapari - Curiosidades

No início dos anos 30, a área central de Guarapari contava com cerca de 240 casas. Em 1942 foi construída a primeira casa veranista por Joaquim Gonçalves, apelidado de “Papai do Céu”

Ver Artigo
A Origem do nome Siribeira Clube de Guarapari

Árvore Siribeira, árvore - símbolo que o vendaval inclinou, como numa reverência, sem abater, contudo, através do tempo. Palavras de: Heliomar Carneiro da Cunha, no alvorecer do Siribeira Clube

Ver Artigo