Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Jeanne Bilich

Jeanne Bilich

Nasceu em 12 de outubro de 1948, no Rio de Janeiro. Jornalista, radialista, advogada. Mestre em História Social das Relações Políticas pela UFES. Radicou-se no Espírito Santo no início da década de 60. Iniciou sua carreira jornalística, em 1974, como repórter do jornal A Gazeta e, em 1982, passou a atuar, também, como advogada.

Com a inauguração da TV Gazeta, em 1976, estreou na televisão como apresentadora do "Jornal Hoje", edição local e, posteriormente, comandou vários programas na TV Educativa e TV Vitória. Nessa última, atuou como âncora da revista jornalística "Espaço Local", por dez anos consecutivos (1989 - 1999). Retornou à emissora, em 2001, para ocupar o cargo de Editor-Chefe.

Em 1978, estreou no rádio, tendo como marco, na sua carreira de radialista, o programa "Correio do Amor", veiculado na Rádio Espírito Santo, gênese do único longa-metragem capixaba, "O Amor está no Ar", com roteiro e direção de Amylton de Almeida.

Em 2000, estreou na mídia eletrônica nas funções de colunista e repórter especial do site noticioso www.seculodiario.com.br, além de escrever para as revistas impressas Século e Essa - Espírito Santo Sociedade Aberta.

Trabalhou também, na Rádio CBN como produtora e apresentadora do "CBN Revista" e como comentarista do "Bate e Rebate".

Desde 2004, atua como Assessora de Comunicação da Fundação Ceciliano Abel de Almeida.

Possui artigos e ensaios publicados em diversas coletâneas: Virando o XXI - Ed. Multiplicidade (1999); Escritos do Espírito Santo - Ed. Secretaria de Estado da Cultura (2006); Escritos de Vitória 24 - Rádio, org. Francisco A. Ribeiro, Ed. Academia Espírito-Santense de Letras; Secretaria Municipal de Cultura; Ed. Formar (2007); além de assinar a biografia de Amylton de Almeida no livro A Múltipla Presença - vida e obra de Amylton de Almeida, org. de Deny Gomes, edição da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (1996). Em 2005, sua tese de Mestrado foi publicada em livro com o título As Múltiplas trincheiras de Amylton de Almeida: o Cinema como Mundo, a Arte como Universo, editora GSA.

Desde agosto de 2006, escreve, quinzenalmente, crônicas dominicais para o jornal A Gazeta.

Livro: Dicionário Escritores e Escritoras do Espírito Santo, de Francisco Aurélio Ribeiro e Thelma Maria Azevedo, 2008
Compilação: Walter de Aguiar Filho, dezembro/2010 

Personalidades Capixabas

Consuelo Salgueiro (Parte III)

Consuelo Salgueiro (Parte III)

Para o filho Maurício Salgueiro, indiscutivelmente, Consuelo foi pai e mãe e a sua maior incentivadora. E nunca, diz ele, decidiu fazer alguma coisa sem o estímulo dela

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

José Luiz Pipa Silva: a gozação - Por Sérgio Figueira Sarkis

José Luiz Pipa Silva, ou Pipa, como todos o tratavam, era de rara inteligência

Ver Artigo
Jayme Fernandes Figueira - Por Sérgio Figueira Sarkis

Ficou em Recife até 1925, quando o destino o fez encontrar o senhor Anthenor Guimarães

Ver Artigo
O Dial Capixaba – Por Maria Lúcia da Silva

Nessa conjuntura, nasceu em Vitória a primeira emissora em freqüência modulada, a Cariacica FM, inaugurada em 1975 

Ver Artigo
O Tribunal de Contas – Por Eurico Rezende

Cogitada desde o início do Império, a criação de um órgão de controle orçamentário e financeiro só se verificou em 1890, mercê do gênio de Ruy Barbosa

Ver Artigo
Liberalismo e Solidarismo – Por Eurico Rezende

Estão registrados, quer em passado remoto, quer em época recente, antes de encerrar minha carreira eleitoral

Ver Artigo