Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Milagres da Penha - A fonte de Nossa Senhora

Convento da Penha - Foto: Alair Caliari

"Conta-se que, durante os meses de trabalho na edificação da capela, faltou água para beber-se; faltou nas fontes naturais - lagoas e rios. O frade ajoelhou-se sobre a rocha isolada que servia de base à ermida; pediu a Nossa Senhora que socorresse os fiéis. A água rebentou no meio do granito, e ainda hoje os devotos visitam o lugar e bebem dessa milagrosa água. [Maravilhas, p. 237]

"É tradicional que esta nascente desapareceu imediatamente que foram concluídas as obras da igreja e do convento. Agora [1888], debaixo da muralha que guarnece o pavimento do alpendre da igreja, existe um olho d'água muito cristalina, cujo manancial borbulha em uma das dobras nuas do rochedo. O fio corrente é tão delgado que, para encher-se uma garrafa, no pequeno cavado da terra, são precisos muitos minutos, esperando-se que o líquido avulte na estreita concha. [Maravilhas, p. 276]

Em seu livro Relicário de um povo [p. 35], escreve a Prof. Maria Stella de Novaes: "Ainda em princípios deste século [1906], vimos, em Cachoeiro de ltapemirim, vidrinhos de 'Água de Nossa Senhora da Penha', em mãos de pessoas que visitaram o Convento. Deparou-se-nos, depois, a oportunidade de observar, em 1907, um pequeno depósito, numa escavação natural da rocha, na base do edifício, quase à entrada da capela - a Fonte de Nossa Senhora, [...] O Santuário da Penha, de 15 de março de 1925, divulga uma referência ao veio líquido existente ainda, nesse tempo, 'brotando no píncaro da rocha'. Atribuía-se-lhe, igualmente, uma originalidade confirmada pelo mesmo autor do artigo - o capelão da Penha - a de secar, quando se praticavam atos ignominiosos ou profanação naquele sítio sagrado."

 

Autor: Guilherme Santos Neves
Fonte: História Popular do Convento da Penha - 3ª Edição ampliada, Vitória - 2008
 

Convento da Penha

Velha glosa sobre a Penha e sua polêmica

Velha glosa sobre a Penha e sua polêmica

Nunca aceitei aquela apressada afirmação de que o poeta capixaba José Gonçalves Fraga - falecido em 1855 - fosse o autor da quadra:

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Gruta de Frei Pedro Palácios, Oratório e Frontal do Portão - Por Seu Dedê

Na época da jurisdição do capelão Padre José Ludwin, a missa do domingo, véspera da Festa da Penha, era celebrada às nove horas em frente ao oratório

Ver Artigo
Fonte Milagrosa do Convento da Penha

Localizada no terraço inferior do Convento de Nossa Senhora da Penha

Ver Artigo
O genial Vitor Meireles no Convento da Penha no ano de 1871

Os pincéis mágicos que imortalizaram as grandes telas históricas também estiveram na Penha, manejados pelo genial Vitor Meireles

Ver Artigo
A Penha do meu tempo – Por Areobaldo Lellis Horta

Via-se a senzala, em ruínas, composta de pequeno número de casebres, quase destelhados uns, outros de paredes fendidas e atacadas pela hera

Ver Artigo
O Convento da Penha – Por Maria Stella de Novaes

Peregrino, contempla o augusto monumento  da terra capixaba. Ali, vive a rezar, em hosanas de glória, ou rudez do tormento, o coração de um povo!

Ver Artigo