Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Milagres da Penha - A fonte de Nossa Senhora

Convento da Penha - Foto: Alair Caliari

"Conta-se que, durante os meses de trabalho na edificação da capela, faltou água para beber-se; faltou nas fontes naturais - lagoas e rios. O frade ajoelhou-se sobre a rocha isolada que servia de base à ermida; pediu a Nossa Senhora que socorresse os fiéis. A água rebentou no meio do granito, e ainda hoje os devotos visitam o lugar e bebem dessa milagrosa água. [Maravilhas, p. 237]

"É tradicional que esta nascente desapareceu imediatamente que foram concluídas as obras da igreja e do convento. Agora [1888], debaixo da muralha que guarnece o pavimento do alpendre da igreja, existe um olho d'água muito cristalina, cujo manancial borbulha em uma das dobras nuas do rochedo. O fio corrente é tão delgado que, para encher-se uma garrafa, no pequeno cavado da terra, são precisos muitos minutos, esperando-se que o líquido avulte na estreita concha. [Maravilhas, p. 276]

Em seu livro Relicário de um povo [p. 35], escreve a Prof. Maria Stella de Novaes: "Ainda em princípios deste século [1906], vimos, em Cachoeiro de ltapemirim, vidrinhos de 'Água de Nossa Senhora da Penha', em mãos de pessoas que visitaram o Convento. Deparou-se-nos, depois, a oportunidade de observar, em 1907, um pequeno depósito, numa escavação natural da rocha, na base do edifício, quase à entrada da capela - a Fonte de Nossa Senhora, [...] O Santuário da Penha, de 15 de março de 1925, divulga uma referência ao veio líquido existente ainda, nesse tempo, 'brotando no píncaro da rocha'. Atribuía-se-lhe, igualmente, uma originalidade confirmada pelo mesmo autor do artigo - o capelão da Penha - a de secar, quando se praticavam atos ignominiosos ou profanação naquele sítio sagrado."

 

Autor: Guilherme Santos Neves
Fonte: História Popular do Convento da Penha - 3ª Edição ampliada, Vitória - 2008
 

Convento da Penha

O Roubo de 1925 ao Convento da Penha - Por Norbertino Bahiense

O Roubo de 1925 ao Convento da Penha - Por Norbertino Bahiense

O Convento foi assaltado e roubado por mãos criminosas que levaram o manto, a coroa e as jóias da imagem de Nossa Senhora da Penha

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Origem do nome Convento da Penha

Nossa Senhora da Penha era o cognome da Nossa Senhora dos Prazeres ou das Alegrias, amplamente venerada pelos fiéis que cultuavam Maria Santíssima

Ver Artigo
Visitantes Ilustres do Convento da Penha – Os Primeiros (Parte I)

Outras personagens lá estiveram e entre elas a própria Dona Luísa Grinalda, que, como Governadora da Capitania

Ver Artigo
Visitantes Ilustres do Convento da Penha – Diogo Antônio Feijó (ParteII)

Nestes cinco meses, a terra capixaba abrigou em seu seio o venerando brasileiro que foi deputado às Côrtes Portuguesas, representando o seu glorioso Estado de São Paulo, que deu o que pode em favor da Independência

Ver Artigo
Ano de 1640 - Por Basílio Daemon

Foram desembarcar no porto de Roças Velhas, que depois se chamou Porto dos Padres, e hoje rua do Comércio

Ver Artigo
Milagres e Graças da Penha – Por Norbertino Bahiense

De certo tempo para cá, foi adotado no Convento o sistema de registrar no mármore, as graças recebidas ou os milagres atribuídos à Santa

Ver Artigo