Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Milagres da Penha - O pedreiro que caiu do andaime

Convento da Penha - Operário no andaime - Foto: Edward Athayde dAlcântara

O PEDREIRO QUE CAIU DO ANDAIME

"Construindo-se a ermida da Penha, um operário caiu dos andaimes, e teria morrido despedaçado onde é hoje a rampa do portão, se à voz do venerável servo de Deus: Pára! e pela sua súplica não fosse detido no ar, dando tempo a ser recebido em uma colcha de algodão pegada pelas quatro pontas por homens robustos." [Maravilhas, p.284]

 

AS VELAS PARA NOSSA SENHORA

 

"Em certa monção chegou ao porto do Espírito Santo um navio de Lisboa, e topando-se o Servo de Deus com Gomes de Ávila, que ali morava, lhe perguntou se tivera boas novas do Reino (era este homem de lá natural), e dizendo-lhe que sim, acrescentou Frei Pedro: E que feito há de umas velas, que sua mãe manda para Nossa Senhora? Ao que o homem respondeu: Não sabia de tal. E Frei Pedro lhe tornou - que sua mãe mandara do Reino umas velas para a Senhora da Penha -, e assim era, porque ele as entregou depois; e adverte este mesmo, como testemunha, que o não havia dito a ninguém para que, com as mais graças e dons da sua alma, mostrasse lhe tinha Deus comunicado também o conhecimento do passado, e ainda a previsão do futuro." [Crônica, in Correio da Vitória, n. 72, 1872]

 

Autor: Guilherme Santos Neves
Fonte: História Popular do Convento da Penha - 3ª Edição ampliada, Vitória - 2008
 

 



Convento da Penha

João de Laet

João de Laet

Auguste de Saint Hilaire no seu livro “SEGUNDA VIAGEM AO INTERIOR DO BRASIL – ESPÍRITO SANTO”, registra: “João de Laet que escrevia em 1633 descreveu melhor a baía do Espírito Santo que os modernos. Eis, com efeito, como se exprime:“

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

O Convento da Penha – Por Maria Stella de Novaes

Peregrino, contempla o augusto monumento  da terra capixaba. Ali, vive a rezar, em hosanas de glória, ou rudez do tormento, o coração de um povo!

Ver Artigo
História da Festa da Penha

A Festa da Padroeira dos capixabas sempre foi o principal acontecimento religioso de Vila Velha. Segundo a Lei nº 7, de 12/11/1844, o dia da Festa da Penha passou a ser considerado feriado em toda a Província do Espírito Santo

Ver Artigo
A Festa da Penha

Segundo o historiador, já no século XVII, existia hospedagem para romeiros. Frei Basílio cita Gomes da S. Neto, historiador (1888)

Ver Artigo
A Festa da Penha

A primeira Festa da Penha foi realizada ainda em vida de Frei Pedro Palácios. Escolheu ele a segunda-feira depois da dominga de Pascoela, dia consagrado à devoção franciscana de Nossa Senhora dos Prazeres

Ver Artigo
As Festividades da Penha – Por Heribaldo Lopes Balestero

Gottfrio Alberto Anders prestou homenagem à memória de Frei Pedro Palácios, inaugurando-lhe a estátua na praça fronteira ao pórtico, na Prainha

Ver Artigo