Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

O soldado Santo Antônio

Igreja do Rosário em Vila Velha, restaurada em 2016

A administração, o aparelhamento bélico, os trabalhos da mineração, a luta contra os silvícolas – que nunca cessou(10) – não faziam esquecer a religião, de sabida importância na sociedade da época.

Em 1750, foi concedido o predicamento de paróquia à igreja de N. S. do Rosário, da vila do Espírito Santo, e, no ano seguinte, teve igual favor a de S. Mateus.(11)

A exemplo do que se vinha fazendo em outras capitanias, em 1752(12) o guardião do convento de S. Francisco requereu matrícula de Santo Antônio como soldado raso e as autoridades locais resolveram conceder ao taumaturgo o soldo correspondente àquele posto.(13)

 

NOTAS

(10) - JOÃO RIBEIRO diria: “A história do Espírito Santo consiste em encarniçadas lutas entre os colonos, que apenas ocupam o litoral, e os índios bravos botocudos e goitacazes, que descem de vez em quando em correrias até a costa” (Hist. do Brasil, 339).

(11) - PENA, História, 83.

(12) - MACEDO SOARES, Santo Antônio, 54.

(13) - “Certidão da matricula de Santo Antonio do Convento de S. Francisco da Villa de N. Sa. da Victoria: ‘O glorioso Santo Antonio collocado no Convento de São Francisco d’esta villa, a requerimento do Reverendo Padre Guardião Frei Amaro da Conceição, presente o Capitão mor José Gomes Borges e o doutor Provedor e Vedor deste Prezidio Bernardino Falcão de Gouvêa, a beneplacito do Capitão da Infantaria Martinho da Gama Pereira e do Ajudante supra Francisco da Costa Vieira e mais officiaes e soldados da Companhia de Infantaria paga, vence soldo de soldado, de hoje em diante, cujo soldo se lhe hade pagar dos sobreditos á razão de hum vintem por mez de cada soldado e de dous vintens de cada official athé por ordem de S. M. se lhe pague seu soldo pela Fazenda Real, sobre o que se hade fazer requerimento, do que fiz este assento que assignaram os ditos Capitão mór, o Capitão de Infantaria, Ajudante mais officiaes e o doutor Provedor, sendo na mostra de vinte e um de fevereiro de 1752’.” (apud ALMEIDA, Inventário, VIII, 439, onde se encontram referências a outros documentos alusivos ao mesmo assunto).

 

Fonte: História do Estado do Espírito Santo, 3ª edição, Vitória (APEES) - Arquivo Público do Estado do Espírito Santo – Secretaria de Cultura, 2008
Autor: José Teixeira de Oliveira
Compilação: Walter Aguiar Filho, junho/2018

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Palavras que vieram da África

A influência do negro na nossa cultura foi bastante expressiva. Os hábitos e costumes africanos penetraram no nosso cotidiano

Ver Artigo
Epidemias e Ameaças - Por Serafim Derenzi

Os franceses, que ameaçaram a costa em 1551, voltaram em 1558 ao Porto de Vitória, onde dormiram 

Ver Artigo
A febre amarela no Espírito Santo em 1850

A Providência Divina vela certamente sobre a população desta Província que, sem o seu auxílio, estaria hoje extinta por falta de recursos da medicina

Ver Artigo
Varíola, cólera, fome em meados do Século XIX no ES

Já em fevereiro de 1855, um ofício do barão de Itapemirim falava em mais de mil vítimas 

Ver Artigo
Porto de Cachoeiro foi marco de crescimento

“Mas o transporte fluvial era tão importante, que a sede da colônia veio para o porto das embarcações, o Porto de Cachoeiro, que hoje é Santa Leopoldina”

Ver Artigo