Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Palácio das Águias

Igreja Nossa Senhora dos Navegantes (1872-1882) em Barra do Itapemirim

A Barra do Itapemirim, em Marataízes, é um antigo núcleo de povoação fundado no ano de 1771 pelos portugueses que exploravam as minas de Castelo, no alto Itapemirim, quando de uma fuga de um ataque de índios purys.

O Porto da Barra do Itapemirim foi a principal entrada de imigrantes portugueses, italianos, franceses, libaneses e holandeses que se instalaram e colonizaram o sul do Espírito Santo entre 1876 e 1930.

Foi também o principal escoadouro de produtos agrícolas, madeiras e minerais trazidos por tropeiros até o litoral, oriundos do interior e de Minas Gerais e levados para a corte no Rio de Janeiro e Bahia no período imperial.

Possui locais com significado histórico de dimensão regional, um precioso Patrimônio Arquitetônico remanescente da Segunda metade do século XIX e início do século XX, presente nas ruínas do Trapiche (1860-1883), casarão Palácio das Águias (1910-1926 fachadas ecléticas)- também conhecido como o casarão dos Soares, Igreja Nossa Senhora dos Navegantes (1872-1882) e prédio das Oficinas da Estrada de Ferro Itapemirim (1924-1937).

Palácio das Águias, que hospedou o Imperador D. Pedro II. na época do Império, corre atualmente o risco de ruir, tal o estado de abandono. Por toda a história que guarda esse pedaço do Espírito Santo, que sejam tomadas as devidas providências para valorizar as riquezas de nosso Estado.

 

Fontes: http: www.marataizesonline.com.br e http: www.crei.com.br/novosite/noticias.asp?nID=59, 2008
Compilação: Walter de Aguiar Filho, janeiro/2013

História do ES

Panorama do ES em 1862

Panorama do ES em 1862

Brás Rubim descreve, em forma de verbetes, suas impressões do Espírito Santo em 1862

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Palavras que vieram da África

A influência do negro na nossa cultura foi bastante expressiva. Os hábitos e costumes africanos penetraram no nosso cotidiano

Ver Artigo
Epidemias e Ameaças - Por Serafim Derenzi

Os franceses, que ameaçaram a costa em 1551, voltaram em 1558 ao Porto de Vitória, onde dormiram 

Ver Artigo
A febre amarela no Espírito Santo em 1850

A Providência Divina vela certamente sobre a população desta Província que, sem o seu auxílio, estaria hoje extinta por falta de recursos da medicina

Ver Artigo
Varíola, cólera, fome em meados do Século XIX no ES

Já em fevereiro de 1855, um ofício do barão de Itapemirim falava em mais de mil vítimas 

Ver Artigo
Porto de Cachoeiro foi marco de crescimento

“Mas o transporte fluvial era tão importante, que a sede da colônia veio para o porto das embarcações, o Porto de Cachoeiro, que hoje é Santa Leopoldina”

Ver Artigo