Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Passarinhos - Rubem Braga e Ruschi

Rubem Braga e Ruschi

Muito falei do naturalista Ruschi. É aquele homem que cria beija-flores (foi o primeiro sujeito no mundo que conseguiu isso) e que tem espalhado beija-flores pelo Brasil e pelo mundo. Visitei-o outro dia em Santa Teresa (três horas de automóvel para o norte de Vitória, no Espírito Santo) e conversamos sobre aves. Ele me contou que ficou indignado quando leu nos jornais que para aquele banquete da posse do presidente Juscelino o governo importara não sei quantas centenas de faisões da Europa. Os faisões, me explicou, são do Oriente, e é muito mais fácil criá-los no Brasil que na Europa. Já há quem crie no Brasil, ele mesmo sempre teve alguns casais. Entendeu-se com um amigo que vive em Teresópolis e organizou para ele uma criação de faisões; para o primeiro banquete de Brasília- capital promete dar de presente tantas centenas de faisões quantas forem necessárias.

Perguntei ao Ruschi se a carne do faisão é tão boa mesmo, ele disse: "é, parece a do macuco". Então começamos a conversar sobre macuco, jacu, mutum, essas aves que estão sumindo do Brasil; perguntei se não era possível criá-las, ele disse que é facílimo. A conversa passou depois para o bicudo. O bicudo, passarinho de gaiola dos mais queridos do Brasil (há uma confraria secreta de amigos do bicudo, da qual faz parte, por exemplo, o editor José Olimpo) é um bicho que nunca ninguém criou em cativeiro, mesmo porque geralmente só se caça o macho. Ruschi me explica que em gaiola bicudo não se cria mesmo, ele precisa de algum espaço para seu vôo nupcial, como acontece com outros pássaros. A espécie tende a desaparecer com rapidez inclusive porque o bicudo é... monógamo. A fêmea põe duas vezes ao ano, sempre um casal; se um dos machos morre por algum motivo, ou é caçado, as fêmeas que sobram não se reproduzem.

Por que não fazer então uma criação de bicudo? Vale a pena: por menos de três contos não se compra hoje no Brasil um bicudo já "virado" que preste. E, já que existe o Ruschi, por que não criar também corrupiões, xeréus, curiós, graúnas, tanto pássaro encantador que o Brasil tem e está se acabando? Apelo para os amantes de passarinhos brasileiros que tiverem algum espaço e algum dinheiro: escrevam para o Dr. Augusto Ruschi, Santa Teresa, Estado do Espírito Santo, peçam a ele instruções para criar passarinhos. Não é triste criar apenas pássaros mais canoros, mais engraçados e mais amigos do homem que estão ameaçados de acabar para sempre? Escrevam ao Ruschi; ele ficará danado comigo, mas, apaixonado como é por essas coisas, não terá coragem de negar ajuda a ninguém (Rubem Braga).

 

Fonte: Crônicas do Espírito Santo, 1984 - 1ª Edição
Autor: Rubem Braga
Nota: Livro doado a Casa da Memória de Vila Velha por Jonas Reis, abril/1985
Compilação: Walter de Aguiar Filho, janeiro/2012
Nota: Tiragem de 5.000 exemplares , 3.000 se destinam a distribuição gratuita, pela Secretaria da Educação e Cultura do Estado do Espírito Santo

Ecologia

Sacolas (ou Ecobags)

Sacolas (ou Ecobags)

Porque optar pelas duráveis, como faziam nossas avós.

O mundo produz sacolas plásticas desde a década de 1950. Como não se degradam facilmente na natureza, grande parte delas ainda vai continuar por mais de 300 anos em algum lugar do planeta.

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Um grito ecológico em 1925

Existia nas proximidades da casa de residência do ilustre jurisconsulto Ferreira Coelho, uma belíssima árvore, que era um atestado glorioso do que foi a nossa floresta há séculos atrás 

Ver Artigo
Dia Mundial da Água

A Assembléia Geral das Nações Unidas criou em 22 de fevereiro de 1993, o Dia Mundial das Águas, a ser comemorado em 22 de março de cada ano

Ver Artigo
Descida Ecológica do Rio Jucu

Ela foi a grande motivadora para a criação do Consórcio Jucu-Santa Maria e é o primeiro movimento do Estado a mobilizar a sociedade para discutir os problemas das águas

Ver Artigo
Empresa utiliza água da chuva captada de enxurradas da Pedra Azul

A propriedade capta a água da chuva no momento que ela cai pela Pedra Azul, na forma de enxurradas, por meio de dois lagos e quatro reservatórios

Ver Artigo
Estações biológicas de Santa Lúcia e de São Lourenço

Elas estão numa região marcada pela diversidade florística. Situadas no município de Santa Teresa

Ver Artigo