Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Revitalizando o Centro - Por Cacau Monjardim

Capa do Livro: Capixaba, sim (hoje mais do que ontem), 2006 - Autor: Cacau Monjardim

O Governo do Estado está confirmando que vai ocupar o conjunto de edifícios que abrigava a Escelsa, no final da Rua Sete de Setembro, inclusive região que no passado era conhecida por Convertidora, com a finalidade de instalar, durante o período de obras de remodelação e reforma do Palácio Anchieta, o Gabinete da Governadoria e todas as Secretarias que gravitam e complementam a estrutura administrativa do centro do poder.

Está aí uma decisão correta e profundamente significativa para o velho e discutido projeto de revitalização do centro urbano de Vitória, sem dúvida um desafio em face das características administrativas e operacionais do sistema empresarial e público, em ambos os níveis, que deixou o centro e está invadindo, cada vez mais, a Enseada do Suá.

O Palácio Anchieta que será uma obra digna das nossas tradições, sem perder sua importância histórica, poderia servir em breve para receber um Museu de grande porte e impacto social e cultural, centralizando toda a história do Estado e respeitando, planejadamente, todos os segmentos.

Claro que uma decisão deste porte deve ser tomada com tranqüilidade e competência, evitando-se após a reforma que o sítio governamental venha a ser mal utilizado. Se o Governo, com visão e coragem, descobriu parcerias válidas para o processo de reforma e recuperação do imóvel, por certo conseguirá novas parcerias para a implantação definitiva do conjunto administrativo do Governo, seja na área que atualmente o receberá, no centro, ou por respeitar novas indicações, em áreas que não mais comprometem o futuro de nosso projeto de desenvolvimento, que só perde para a inércia e falta de iniciativa de velhas administrações.

Estamos certos que o projeto de revitalização do centro, que a vida e a saudade poderão ali viabilizar, ganha força com a implantação do novo sistema de Governo na área da Convertidora. Na realidade estamos – parodiando – dando uma completa conversão no projeto.

Junte-se a isto o projeto que agora deverá deslanchar e que se volta para um novo shopping há tanto discutido e esperado, também as perspectivas de utilização do armazém do Porto de Vitória, as possibilidades que podem nascer de um novo e dinâmico sistema aquaviário, bem como o remodelação e reforma de alguns prédios de relevante significação, além, naturalmente, da implantação da nossa velha idéia de colocação de um Terminal Urbano de Pesca na curva do Saldanha e o crescimento dos aportes de navios de turismo e a gente pode bater palma para a decisão governamental.

Da mesma forma e dentro do espírito do projeto de revitalização do centro, o futuro Prefeito deveria patrocinar uma mensagem que isentasse de impostos por razoáveis períodos, a construção de edifícios-garagem. Também oferecesse isenção total de taxas a todos os proprietários de imóveis no seu circuito urbano e turístico, visando ativar a pintura dos prédios e possibilitar, também, que surgissem letreiros luminosos em locais previamente selecionados. O próprio Teatro Glória, deveria ter prioridade num projeto de revitalização do centro, além de outras sugestões que aqueles que aqui vivem e desfrutam do centro de antigamente, poderão oferecer.

Vitória, portanto, pode confiar no futuro.

Janeiro de 2005

 

Fonte: Capixaba, sim. (hoje mais do que ontem), 2006
Autor: Cacau Monjardim
Compilação: Walter de Aguiar Filho, setembro/2014

Variedades

A origem do nome Morro da Manteigueira

A origem do nome Morro da Manteigueira

A Casa da Manteigueira, um antigo solar que tinha fama de ser assombrado pelos espíritos de dois amantes...

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Presidente Castello Branco na Assembleia Legislativa do ES (1964)

Adalberto Simão Nader, discursa: "o honroso título de “Cidadão Espírito-Santense” que vos foi concedido, por iniciativa do nobre deputado Setembrino Pelissari, nos oferece a oportunidade 

Ver Artigo
Em busca de uma resposta - Partido Comunista e as outras esquerdas

O partido acreditava em seu Comitê Central; este, em Luís Carlos Prestes; o Cavaleiro da Esperança confiava em Jango. No final das contas, todos ficaram a reboque de João Goulart

Ver Artigo
Emendas constitucionais no sistema jurídico brasileiro - Por Eurico Rezende

Art. 107. É vedado ao juiz, sob pena de perda do cargo judiciário

Ver Artigo
Partido Comunista Brasileiro e as outras esquerdas

A única solução era salvar o verdadeiro partido comunista. Assim surgiu a cisão que criou o PCdoB. Em fevereiro de 1962

Ver Artigo
O ICM na Constituição Federal de 1967 – Por Eurico Rezende

Do produto da arrecadação do imposto 80% constituirão receita dos Estados e 20% dos Municípios

Ver Artigo