Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Um lugar chamado Palha

Espírito Santo

Este lugarejo a que chegamos é típico da zona pioneira do Norte do Espírito Santo, embora não seja intenso aqui, como mais para leste ou mais para sudoeste, o plantio de cafezais. O próprio nome do lugar ainda não se fixou. O mapa mais recente do Departamento de Estradas de Rodagem diz “Santo Antônio da Montanha”. Para a Prefeitura de Conceição da Barra este lugar se chama “Governador Santos Neves”, nome que a população começa a adotar, dizendo às vezes “Governador”, às vezes “Santos Neves”; muita gente ainda o denomina “Comercinho de Palha” ou simplesmente “Palha”.

A primeira casa foi construída de 1949 para 1950; calcula-se que hoje existam umas 450 casas, das quais cerca de 45 de comércio. No momento estão em construção o Posto Policial, a Casa do Lavrador e a Escola Pública. A maioria da população é de baianos, parecendo vir em segundo lugar os capixabas e em terceiro os mineiros; estamos na Região Contestada, embora sob domínio exclusivamente capixaba.

A influência baiana é nítida, e aparece no nome das lojas – “Bazar Baiano”, “Casa Ruy Barbosa”, por exemplo – em alguns chapéus de couro, no uso da rede para dormir, em qualquer coisa de sertanejo que a cidadezinha tem, com os comerciantes formando na rua pilhas de bacias, dependurando mantas de carne de sol, vendendo sofrês (corrupiões) e nas próprias construções, mais rústicas do que em uma zona de lavoura antiga do Espírito Santo ou de Minas.

Pelas minhas conversas, a base da colonização é a pequena propriedade; as terras de lavoura estão divididas em fazendolas de 40 alqueires para baixo, com boa produção de café, cereais e mandioca, a farinha feita ainda pelo processo tradicional do tipiti. A zona é boa para criatório – aqui o gado não “toca”, isto é, não é atacado por certa doença comum em algumas regiões dos municípios de Conceição da Barra e São Mateus, e que parece ser uma verminose favorecida pela ausência de algum mineral no terreno. A maior fazenda de criação tem 295 alqueires, sendo as outras muito menores. Um alqueire de terra boa para a lavoura está valendo (mato a derribar) cerca de 3 contos; a maioria dos atuais proprietários “comprou a posse” a caboclos ocupantes e depois requereu a terra ao governo. A cidadezinha tem apenas um motor elétrico – o da sorveteria – e duas geladeiras, sendo uma a querosene. O prefeito prometeu para o começo do ano trazer um motor para iluminação elétrica das ruas e casas. O movimento da rua principal durante o dia é pitoresco e vivo, com muita gente, muita poeira, cavalos, caminhões, carretas de madeira.

Seguimos viagem para oeste, para Comercinho (nome que não pode durar muito porque todo começo de povoação é chamado de “comercinho”) outro lugar completamente novo, em que funcionam ao mesmo tempo polícia mineira e polícia capixaba. Chegaremos lá tarde da noite: a história fica para amanhã.

 

Fonte: Crônicas do Espírito Santo. 1984
Autor: Rubem Braga
Compilação: Walter de Aguiar Filho, dezembro/2011
Obs.: Este livro foi doado à Casa da Memória de Vila Velha em abril de 1985 por Jonas Reis

 

 

Nota do Site sobre o Município de Montanha-ES

A colonização do território do atual município de Montanha teve início por volta de 1949, quando madeireiros, procedentes da Bahia, internando-se nas matas virgens da região, à procura de madeiras para o comércio, acamparam às margens do córrego Montanha. Surgiu pequeno povoado que, mais tarde, recebeu nos nomes de Comercinho da Palha e, posteriormente Governador Jones dos Santos Neves.

Em 1953, o povoado foi elevado à categoria de sede de distrito com a denominação de Montanha, nome do córrego que nasce entre as montanhas de granito, que circundam a cidade. 

Distrito foi criado com a denominação de Montanha (ex-povoado), pela lei estadual nº 767, de 11-12-1953, subordinado ao município de Mucuricí.

Em divisão territorial datada de 01-07-1955, o distrito de Montanha figura no município de Mucuricí. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 01-07-1960.

Elevado à categoria de município com a denominação de Montanha, pela lei estadual nº 1913, de 28-12-1963, desmembrado de Mucuricí. Sede no antigo distrito de Montanha constituído do distrito sede. Instalado em 16-04-1964.

Em divisão territorial datada de 01-01-1979, o município é constituído do distrito sede.

Pela lei estadual nº 3344, de 09-05-1980, Montanha adquiriu do município de Conceição  da Barra o distrito de Vinhático. 

Em divisão territorial datada de 1988, o município é constituído de 2 distritos: Montanha e  Vinhático.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2009. 

 

Fonte: IBGE

Recantos Escondidos

Praia das Virtudes

Praia das Virtudes

Comecemos pela água. Como é possível uma água tão cristalina! Há algum tempo, quando eu dava um mergulho, a aliança caiu do meu dedo...

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Pontos turísticos em Afonso Cláudio

Pedra dos Três Pontões símbolo do município e um dos lugares mais bonitos do lugar. Com 1.100 m de altitude, fica a 10 quilômetros da sede. São usados para vôos de asa delta

Ver Artigo
Um lugar chamado Palha

Para a Prefeitura de Conceição da Barra este lugar se chama “Governador Santos Neves”, nome que a população começa a adotar, dizendo às vezes “Governador”, às vezes “Santos Neves”; muita gente ainda o denomina “Comercinho de Palha” ou simplesmente “Palha”.

Ver Artigo
Pedra da Concha - Barra do Jucu

"O valor das coisas não está no tempo em que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis"

Ver Artigo
Barra Nova

Conheça Barra Nova, o paraíso em São Mateus, norte do Espírito Santo!

Ver Artigo
Praia das Virtudes

Comecemos pela água. Como é possível uma água tão cristalina! Há algum tempo, quando eu dava um mergulho, a aliança caiu do meu dedo...

Ver Artigo