Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando desde 2000 a Cultura e História Capixaba

Um grito ecológico em 1925

Na Rua Luciano da Neves, onde vê-se um bonde circulando, observa-se também a residência do Desembargador Ferreira Coelho, onde hoje está instalado o Colégio São José. Mais a frente vê-se um Jequitibá monstruoso (que pode ter sido o que foi derrubado)

A CAIPIRADA EM ACÇÃO

Existia nas proximidades da casa de residência do ilustre jurisconsulto Ferreira Coelho, nesta cidade, uma belíssima árvore, cheia de musgos em longas tranças pendentes de sua farta ramagem, que, na opinião de nossos antigos e modernos habitantes, era um atestado glorioso do que foi a nossa floresta há séculos atrás e da fertilidade do nosso solo.

O vandalismo, a falta de amor a natureza e a ignorância induziram os nossos caipiras a derrubá-la com a aquiescência criminosa do proprietário do terreno.

Não houve também, infelizmente, no momento quem advertisse aos nossos impiedosos lenhadores de capoeira que o tronco, que tão furiosamente golpeavam na ânsia de vê-lo tombar estrepitosamente, era o depositário dos queixumes e alegrias, dos planos guerreiros dos nossos famosos indígenas, que fugiam aos meandros das grutas da Penha, quando mais forte, mais intensa e heróica se tornou a luta dos nossos destemidos missionários da instrução e civilização.

Ainda hoje grande é o numero de pessoas que comentam, indignadas a selvageria de “nossos fazedores de deserto”.

Abaixo transcrevemos, de uma das primorosas produções do grande literato patrício Coelho Neto, poder-se-á avaliar o crime praticado pelos inconscientes devastadores de nossa floresta.

“A cerimônia que realizais com tão lidas hóstias verdes, infantes anunciadores da renascença florestal, é o culto da Terra criadora e a mesma árvore que plantais, crescendo, alteando a fronde, vos levará os olhos para as alturas como a ensinar-vos o caminho da Graça. As suas raízes são da terra, como nosso corpo mas suas franças são do Céu, como nossa alma. Fazei com elas o que Deus fez convosco; dai-lhes o vosso amor e elas responderão com a Força, com Fertilidade, com a Saúde, os três aspectos da Beleza ideal, que é o Amem das árvores agradecidas”.

Que o exemplo não venha a ser imitado por outros tantos vândalos que por aqui perambulam, são os votos que fazemos.

Observação: Somente o nome do jornal “Pharol”, e o título do artigo “a caipirada em acção”, mantiveram a ortografia original.

 

O Pharol - Jornal Independente

ANO II Cidade do Espírito Santo, 9 de Março de 1925 N. 7
DIRETOR: Miguel Aguiar
GERENTE: A. SIMÕES
Semestre............3$500
Trimestre............2$000


Artigo de Miguel Aguiar do jornal O PHAROL (de 1925)
Transcrito por: Edward A. D’Alcantara, 2000

Ecologia

Comboios - Roosevelt lamenta a falta de especialistas

Comboios - Roosevelt lamenta a falta de especialistas

O problema mais sério com relação à preservação do meio ambiente é a falta de técnicos  especializados

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Beija Flor - Augusto Ruschi

Entre as principais descobertas de Ruschi, a que todas as espécies de beija-flores do mundo só vivem nas Américas e estão associadas às bromélias, que também só existem no continente americano

Ver Artigo
Pau-Brasil

Dia 27 de maio comemora-se o Dia da Mata Atlântica. O site Morro do Moreno escolheu uma árvore bastante representativa do Brasil para homenagear nossa Mata: o Pau-Brasil

Ver Artigo
Dia da Árvore: 21 de setembro

Na maioria dos países, o dia da árvore se dá em 22 de abril. A data ficou registrada quando J. Morton, americano morador de Nebrasca, incentivou o plantio de árvores naquele estado

Ver Artigo
Nosso primeiro ecologista

Em 1891, Maximiliano veio para o Brasil, particularmente para o Espírito Santo, instalando-se na colônia alemã de Santa Isabel

Ver Artigo
Respeito ao Meio Ambiente

Aproveitando o Dia Mundial do Meio Ambiente, nós do site Morro do Moreno temos a obrigação de ajudar a divulgar algumas dicas de educação ambiental. Para ler e praticar, combinado?

Ver Artigo