Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Ano de 1869 – Por Basílio Daemon

Composição de Luiz Pizzol - logo abaixo da matéria estão as informações referentes

1869. Por decreto de 24 de março deste ano é removido da comarca de Jequitaí, em Minas Gerais, o juiz de direito bacharel Epaminondas de Souza Gouveia para a comarca dos Reis Magos nesta província,(711) entrando em exercício a 23 de agosto deste ano, sendo removido para a comarca de Viana, no Maranhão, a 4 de julho de 1874.

Idem. Por decreto de 12 de abril deste ano é removido da comarca de Santo Antônio da Patrulha, no Rio Grande do Sul, para a comarca da Vitória o juiz de direito bacharel Francisco de Souza Cirne Lima,(712) que entrou em exercício no dia 1º de novembro do mesmo ano, tendo-o deixado a 17 de abril de 1871, por ter sido nomeado chefe de Polícia do Pará.

Idem. Assume a Presidência da província em 8 de junho deste ano, o 1º vice-presidente coronel Dionísio Álvaro Resendo, por ter sido exonerado, a seu pedido, o presidente bacharel Luís Antônio Fernandes Pinheiro.

Idem. Por carta imperial de 28 de junho deste ano é nomeado presidente desta província o bacharel Antônio Dias Pais Leme, tendo prestado juramento e tomado posse do cargo a 17 de setembro do mesmo ano, sendo exonerado a 28 de dezembro de 1870.

Idem. Pela lei provincial nº 7, de 4 de setembro deste ano, e de conformidade com o título concedido pelo poder eclesiástico em ato de confirmação canônica da criação da freguesia do Alegre, fica a mesma denominada desde essa data Nossa Senhora da Penha do Alegre, e assim mudada a denominação dada em 1858 pela lei nº 22, de 23 de junho.

Idem. É criada, neste ano, pela lei provincial nº 21, de 20 de novembro, a freguesia de Santa Isabel, na colônia do mesmo nome, a qual esteve por muitos anos sem ser provida canonicamente.

Idem. É neste ano criado pela lei provincial nº 29, datada de 4 de dezembro, um estabelecimento de educação secundária para o sexo feminino, no qual se ensinasse também música, piano e prendas. Este estabelecimento teve posteriormente o título de Colégio Nossa Senhora da Penha, e a ele foi anexa a Escola Normal do sexo feminino.(713)

 

NOTAS

(711) “Por decreto de 14 de março do corrente ano foi removido para esta comarca o juiz de direito de Jequitaí, em Minas, Dr. Epaminondas de Souza Gouveia, sendo-lhe marcado o prazo de seis meses para entrar em exercício. Ainda não chegou.” [Relatório com que o Exm. Sr. presidente Dr. Luís Antônio Fernandes Pinheiro passou..., 8 de junho de 1869, Administração da Justiça, Comarca dos Reis Magos, p. 7]

(712) “Tendo sido, por decreto de 12 de abril do corrente ano declarado avulso o Dr. Dídimo Agapito da Veiga juiz de direito desta comarca foi nomeado para substituí-lo o Dr. Francisco de Souza Cirne Lima juiz de direito de Santo Antônio da Patrulha no Rio Grande do Sul...” [Relatório com que o Exm. Dr. presidente Dr. Luís Antônio Fernandes Pinheiro passou..., 1869, Administração da Justiça – Comarca de Vitória, p. 6]

(713) “Em virtude da lei provincial nº 29, de 4 de dezembro de 1869, contratou em 26 de setembro com D. Mariana Leopoldina de Freitas Carvalho, competentemente habilitada, o estabelecimento de um colégio de instrução para o sexo feminino na capital.” [Marques, Dicionário, p. 131]

 

Nota: 1ª edição do livro foi publicada em 1879
Fonte: Província do Espírito Santo - 2ª edição, SECULT/2010
Autor: Basílio Carvalho Daemon
Compilação: Walter de Aguiar Filho, janeiro/2019

 

Nota do site:

Documentação histórico-fotográfica da primeira Escola Normal do Espírito Santo: em 1882 (foto de Joaquim Ayres), em 1908, em 1912, logo depois da ampliação (fotos do governo Jerônimo Monteiro) e em foto atual (internet). A construção foi iniciada por volta de 1879, logo depois da doação do terreno em 1873 pela Família Silva Cabral, vindo a sediar o Ateneu (ou Liceu) Provincial e a Escola Normal, quando essa foi criada em 4 de junho de 1892.

Entre 1911 e 1912 foi ampliada e desde então mantem as mesmas feições arquitetônicas, em estilo eclético, com influências do neoclássico. A denominação de Escola Normal Dom Pedro II passou a vigorar em 1925 e a de Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Maria Ortiz em 1970. Prédio tombado pelo Conselho Estadual de Cultura desde 1983.

Por José Luiz Pizzol.

Fonte: Grupo Fotos Antigas do Espírito Santo, Facebok.

História do ES

A História da Revolução de 1817 – Texto de 1917

A História da Revolução de 1817 – Texto de 1917

Historiadores se deixaram levar pelas simpatias individuais e escreveram as suas narrativas eivadas de apreciações inexatas

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Palavras que vieram da África

A influência do negro na nossa cultura foi bastante expressiva. Os hábitos e costumes africanos penetraram no nosso cotidiano

Ver Artigo
Epidemias e Ameaças - Por Serafim Derenzi

Os franceses, que ameaçaram a costa em 1551, voltaram em 1558 ao Porto de Vitória, onde dormiram 

Ver Artigo
A febre amarela no Espírito Santo em 1850

A Providência Divina vela certamente sobre a população desta Província que, sem o seu auxílio, estaria hoje extinta por falta de recursos da medicina

Ver Artigo
Varíola, cólera, fome em meados do Século XIX no ES

Já em fevereiro de 1855, um ofício do barão de Itapemirim falava em mais de mil vítimas 

Ver Artigo
Porto de Cachoeiro foi marco de crescimento

“Mas o transporte fluvial era tão importante, que a sede da colônia veio para o porto das embarcações, o Porto de Cachoeiro, que hoje é Santa Leopoldina”

Ver Artigo