Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Domingos Martins

A cidade de DOMINGOS MARTINS, nas montanhas do Espírito Santo, possui esse nome em homenagem a Domingos José Martins, que nasceu em 1781, em Itapemirim, e foi fuzilado em 1817 na Bahia. Foi um dos líderes da Revolução Pernambucana.

Quando se pensa em Região de Montanhas capixabas, a primeira coisa que vem à mente é a cidade de Domingos Martins, que vem conseguindo, aos poucos, projeção nacional, devido às festas típicas que ocorrem anualmente.

Para alcançá-la é só seguir pela BR 262, que liga Vitória a Minas Gerais. Só o trajeto já oferece uma paisagem belíssima – cuidado com as curvas na estrada. Vá devagarinho, dando uma parada ali, outra acolá. O visual é maravilhoso! Não esqueça de levar a máquina fotográfica.

O portal de entrada para a sede, localizada a 620 metros de altitude, se encontra às margens da rodovia - seu estilo germânico é inconfundível. A distância até o centro da cidade é de 1 quilômetro, num trajeto feito sobre paralelepípedos.

Os moradores estão sempre prontos para uma “prosa”. Simpáticos, eles atendem os turistas com aquele “jeitão”, que mistura um pouco do europeu e do brasileiro – e com um português bem carregado.

Na praça central de Campinho – a sede do município – destaque para o chafariz do jardim e a torre da histórica Igreja Luterana, de 1866 – todas as manhãs os sinos tocam chamando o povo para a reza. Depois é hora de se reunir na praça. Imponente, o Hotel Imperador assiste a tudo.

Não deixe de ir à Rua de Lazer, as vitrines oferecem desde artesanato até guloseimas caseiras, tudo feito na região. E sempre tem um grupo folclórico para alegrar o passeio.

Em Domingos Martins tudo são flores. Tanto os jardins públicos como as jardineiras das residências sempre estão cheios de hortências, amores-perfeitos, rosas, margaridas, orquídeas...

Impossível sair da cidade sem experimentar sua culinária típica. Os estabelecimentos têm um estilo europeu que encanta. A maioria oferece um delicioso jantar à luz de velas.

Não deixe de visitar a Pedra Azul, às margens da BR 262. A rocha, que pode ser vista de vários lugares da rodovia, tem uma cor azulada, que deixa os visitantes intrigados. No entardecer, a paisagem é de tirar o fôlego!

Fonte: Jornal A Gazeta.

LINKS RELACIONADOS:

 Imigração no ES
 Pomeranos
 Poloneses no ES
 Imigrantes Holandeses 
 Luxemburgueses
 Tiroleses
 Os irmãos Martins  
 Orquidário em Domingos Martins 
 Pedra Azul
 Casa da Cultura 



GALERIA:

📷
📷


Cidades do ES

Marataíses – Por Maria Stella de Novaes

Marataíses – Por Maria Stella de Novaes

E o mar, com os beijos de suas vagas, foi esculpindo, no contorno gracioso da praia, o porte inesquecível da princesa goitacá

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Divisão administrativa do município de Vitória, 1937

São os seguintes limites do município de Vitória

Ver Artigo
Barra do Jucu

Barra do Jucu é um pequeno balneário de Vila Velha, ainda tranqüilo, localizado a 15 quilômetros do centro da cidade, que atrai muita gente por seu alto astral

Ver Artigo
Então Vitória era assim (1908-1912) – Era Jerônimo

Um bonde a tração animal trafegava pela cidade baixa, de Vila Rubim ao Forte São João, passando pelo Largo da Conceição, Ruas do Rosário, Cristóvão Colombo e Barão de Monjardim

Ver Artigo
Itaúnas - Por Adelpho Monjardim

Situada na embocadura de importante rio, na orla marítima, possuidora de magnífico e extenso litoral, cedo desenvolveu-se, tornando-se próspera povoação, com intenso comércio com a Bahia

Ver Artigo
Roteiros de Guarapari

Três Praias: São consideradas as mais bonitas do balneário. A entrada é através de área particular e atualmente está fechada. As únicas formas de acesso a elas são através da Praia dos Adventistas ou de embarcações. 

Ver Artigo