Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Domingos Martins

A cidade de DOMINGOS MARTINS, nas montanhas do Espírito Santo, possui esse nome em homenagem a Domingos José Martins, que nasceu em 1781, em Itapemirim, e foi fuzilado em 1817 na Bahia. Foi um dos líderes da Revolução Pernambucana.

Quando se pensa em Região de Montanhas capixabas, a primeira coisa que vem à mente é a cidade de Domingos Martins, que vem conseguindo, aos poucos, projeção nacional, devido às festas típicas que ocorrem anualmente.

Para alcançá-la é só seguir pela BR 262, que liga Vitória a Minas Gerais. Só o trajeto já oferece uma paisagem belíssima – cuidado com as curvas na estrada. Vá devagarinho, dando uma parada ali, outra acolá. O visual é maravilhoso! Não esqueça de levar a máquina fotográfica.

O portal de entrada para a sede, localizada a 620 metros de altitude, se encontra às margens da rodovia - seu estilo germânico é inconfundível. A distância até o centro da cidade é de 1 quilômetro, num trajeto feito sobre paralelepípedos.

Os moradores estão sempre prontos para uma “prosa”. Simpáticos, eles atendem os turistas com aquele “jeitão”, que mistura um pouco do europeu e do brasileiro – e com um português bem carregado.

Na praça central de Campinho – a sede do município – destaque para o chafariz do jardim e a torre da histórica Igreja Luterana, de 1866 – todas as manhãs os sinos tocam chamando o povo para a reza. Depois é hora de se reunir na praça. Imponente, o Hotel Imperador assiste a tudo.

Não deixe de ir à Rua de Lazer, as vitrines oferecem desde artesanato até guloseimas caseiras, tudo feito na região. E sempre tem um grupo folclórico para alegrar o passeio.

Em Domingos Martins tudo são flores. Tanto os jardins públicos como as jardineiras das residências sempre estão cheios de hortências, amores-perfeitos, rosas, margaridas, orquídeas...

Impossível sair da cidade sem experimentar sua culinária típica. Os estabelecimentos têm um estilo europeu que encanta. A maioria oferece um delicioso jantar à luz de velas.

Não deixe de visitar a Pedra Azul, às margens da BR 262. A rocha, que pode ser vista de vários lugares da rodovia, tem uma cor azulada, que deixa os visitantes intrigados. No entardecer, a paisagem é de tirar o fôlego!

Fonte: Jornal A Gazeta.

LINKS RELACIONADOS:

 Imigração no ES
 Pomeranos
 Poloneses no ES
 Imigrantes Holandeses 
 Luxemburgueses
 Tiroleses
 Os irmãos Martins  
 Orquidário em Domingos Martins 
 Pedra Azul
 Casa da Cultura 



GALERIA:

📷
📷


Cidades do ES

Iconha - Crônica de Rubem Braga (1951)

Iconha - Crônica de Rubem Braga (1951)

Mas Iconha me encanta pelo seu milagre pastoril. A pracinha é dominada por um morro alto, muito verde, cortado diante de nós por um talude de terra vermelha. E lá em cima pastam dez a doze bois brancos. Eles dominam assim o centro da cidade

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Grandes latifundiários dominavam a região de Itapemirim

Fazenda Pau Brasil de Francisco Salles Ferreira

Ver Artigo
João Neiva

A região que hoje corresponde ao município de João Neiva recebeu os primeiros imigrantes italianos em 1877. As famílias fundaram os distritos de Acioli de Vasconcelos (1887) e Demétrio Ribeiro (1891).

Ver Artigo
Ano de 1856 – Por Basílio Daemon

É criada neste ano a Colônia de Santa Leopoldina, nas margens do rio Santa Maria e ribeirões que nele deságuam, sendo por aviso do Ministério do Império 

Ver Artigo
Ano de 1847 – Por Basílio Daemon

Fundada em 1847 a Colônia de Santa Isabel, com 163 colonos chegados na sumaca Rodrigues, de propriedade de Antônio Joaquim Rodrigues 

Ver Artigo
Divisão administrativa do município de Vitória, 1937

São os seguintes limites do município de Vitória

Ver Artigo