Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Grupo Escolar Vasco Coutinho - Marco Cultural de Vila Velha

Monumento indelével da cultura de Vila Velha, semeando os princípios básicos de Educação e ensinamentos aos homens, ontem crianças, e às crianças, homens de amanhã, o Grupo Escolar “Vasco Coutinho” é o mais conceituado estabelecimento de ensino primário do Município e um dos melhores de todo o Estado.

Fundado em 1931, ainda nos primórdios do atual desenvolvimento de nossa terra, época repleta de dificuldades, cheia de obstáculos e carente de recursos, o “Vasco Coutinho” floresceu aos poucos, qual semente regada com carinho e dedicação, para alcançar nos nossos dias o apogeu de seu objetivo: oferecer o que de melhor for possível aos alunos que o freqüentam.

Inicialmente funcionando em uma casa particular situada à rua D. Jorge de Menezes, viu, no dia 23 de outubro de 1933, a concretização de uma primeira vitória: era inaugurado seu prédio próprio. Este prédio é o que ainda existe maior e com melhores instalações, porém com a mesma missão que já na época desempenhava, mesmo contando apenas com a primeira ala – a que faz face com a Praça Duque de Caxias - Esta primeira ala possuía instalações para o Diretor, cinco salas e uma cozinha.

As aulas eram ministradas em dois turnos apenas, contando com um Diretor – Professor Ernani de Souza – dez professores primários, um auxiliar e dois professores de Educação Física.

O Professor Ernani, baluarte inegável dos dias difíceis, foi o Diretor no período de 1933 a 1947, sendo esta a maior gestão, até hoje, de toda história do “Vasco Coutinho”.

Ultrapassando os limites esperados, engrandecendo a si próprio pelas inéditas conquistas, enaltecendo o trabalho de todos os que ao seu florescimento se dedicavam, já na final de 1947 o “Vasco Coutinho” marcava uma época no setor educacional vilavelhense: contava com mais de 600 alunos, funcionando em três turnos, com 15 regentes de classe. Mais ainda, já possuía várias instituições: Merenda Escolar, Caixa Escolar, Cooperativa, etc.

No decorrer de sua brilhante trajetória o “Vasco Coutinho” contou com 15 diretores, inclusive os substitutos (vide folha anexa). Personalidades idealistas e desprendidas, todos eles, através dos tempos procuraram abrilhantar a história do Grupo, ornamentando sua aparência externa, melhorando suas instalações, aumentando suas dependências e, que é mais importante, buscando forjar, nas incansáveis e silenciosas horas de trabalho, um ambiente de amor, confiança e carinho, meio ideal para a criança em formação.

Hoje o “Vasco Coutinho” impera no merecido conceito que, com tantas lutas, lhe foi erguido ao longo das datas. Ele é parte integrante da comunidade vilavelhense. Com as suas dependências bem ampliadas, uma cozinha bem montada, um gabinete acolhedor, classes muito limpas e saudáveis, os jardins que circundam o pátio interno dando mais um toque de luz à paisagem já salpicada de flores tão lindas – as crianças travessas – constitui, de fato, o tão decantado “segundo lar” que deve ser para cada criança a escola primária.

A harmonia existente na vivência dia a dia do corpo docente e discente é concreta, quase palpável, preocupando-se cada professora e demais funcionários em oferecer à criança não só a informação necessária, mas uma educação completa baseada na existência de um clima de bem estar originado no amor que aí germina a se expande.

O carinho com que os alunos são tratados, indistintamente, surpreende a muitos, mas é, inegavelmente, este carinho que gera um clima de estabilidade e confiança indispensável na formação de personalidades fortes que, no amanhã tão promissor que se anuncia, lançar-se-ão destemidas, intrépidas e tranqüilas nos duros embates da vida.

Atualmente, na indiscutível linguagem dos números, constatam-se a heróica evolução do “Vasco Coutinho”: um Diretor, cerca de 2.000 alunos, 42 regentes de classes, 6 auxiliares, 1 bibliotecária, 2 merendeiras, 1 orientador, 12 professores de Educação Física, 12 serventes e ainda um curso supletivo noturno com 10 professores e 315 anos, constituem uma alentadora estatística que nos alegra e estimula na busca constante de maiores aperfeiçoamentos.

E foi procurando esta perfeição que a atual Diretora Tia Euphélia, desenvolvendo uma das mais dinâmicas administrações já experimentadas pelo Estabelecimento, promoveu, recentemente, uma grande reforma em todo o Grupo. Agora ele se encontra todo festivo em suas novas roupagens: grandes muros o circundam, ocasionando maior segurança para as crianças; todas as salas receberam lustres; suas janelas que espreitaram na pacata morosidade dos dias passados os lances eloqüentes de nossa história sofreram algumas transformações; enfim, todo pintado de novo “Vasco Coutinho” é uma nota alegre na paisagem tranqüila desta Vila Velha histórica.

Prescindindo de sua aparência externa, sua existência interior - a mais importante – palpita de vida o entusiasmo: a Caixa Escolar encarrega-se de assistir aos menos favorecidos, minimizando assim as agruras tão dificilmente esquecidas de uma infância infeliz; a Biblioteca, muito bem montada, é peça fundamental e motivação constante para a aprendizagem dos pequeninos. E dos mais modernos o Método de Ensino ministrado no “Vasco Coutinho” pelo seu bem preparado corpo docente.

Aqui esta em rápidas pinceladas, o Grupo Escolar “Vasco Coutinho”. Porém não será com descoloridas palavras, num texto impessoal que se conseguirá descrevê-lo. Para alcançar-se a profundidade de seu valor na nossa sociedade, para entender-se a mais íntima contextura de sua essência social e influência humana na existência de nosso povo seria necessário penetrar nas próprias raízes de sua estrutura e conhecer a solidez de seus princípios. Ali crianças e professoras, amigos de todas as horas nas relações mestre-aluno, lutam juntas em prol de um futuro melhor, em favor de um Brasil grande, autônomo e invencível.

Atrás de seus portões, onde predomina o “slogan”: AQUI MORA O AMOR, reside a certeza do dever cumprido por cada um, a satisfação de participar de um grandioso trabalho feito em comum no sentido de conduzir a futura sociedade ao verdadeiro caminho: vereda de glórias, de conquistas, de supremacia e de paz!

 

ANEXO AO TRABALHO: GRUPO ESCOLAR VASCO COUTINHO – MARCO CULTURAL DE VILA VELHA: A MAIS ANTIGA CIDADE ESPIRITOSANTENSE

 

RELAÇÃO DOS DIRETORES DO “VASCO COUTINHO” DESDE SUA FUNDAÇÃO:

Estas pessoas são os artífices do atual destaque do Grupo Escolar “Vasco Coutinho. São elas merecedoras de toda a gratidão da sociedade vilavelhense.

 

N° DE ORDEM

NOMES

PERÍODO

1

FLÁVIO MORAES

1931/1932

2

AFRODISIO CARVALHO

1932/1933

3

ERNANI DE SOUZA

1933/1947

4

ASSISOLINA DE ANDRADE

1947/1952

5

IRACEMA SILVA DE OLIVEIRA

1952/1954

6

ORMANDINA M. DA SILVA

1954/1956

7

SOEMIS VALADARES

1956/1962

8

SULTANYA NADER VALADARES (Substituta)

1962/1962

9

ARACI BOTELHO BARBOSA

1962/1963

10

ORMY SANTANA (Substituta)

1963/1964

11

MARIA DE LOURDES SOBREIRA CALON

1964/1965

12

YEDA DE MORAIS CARVALHO

1965/1966

13

LÚCIA VEREZA MIRANDA

1966/1966

14

LENY QUINTAIS MENEZES

1966/1968

15

EUPHELIA MOREIRA VIEIRA

1968

 

(Atual Diretora)

 

 

 

Observações:

- Sultânya Nader Valadares foi Diretora no período de 05 a 13 de setembro de 1962.

- Assisolina Andrade – Período: 1947 a 29 – 7 – 52.

- Ormy Santana – Período: 03 – 10 – 63 a Julho de 1964.

- Lúcia Vereza Miranda – 2 meses no ano de 1966.

 

 

Fonte: Trabalho realizado pela diretoria da Escola no ano de 1970, na gestão de Euphelia Moreira Vieira
Participação dos alunos: Edmar Checon de Freitas, Cláudio Cometti Dias e Gilson Pimenta
Acervo: Casa da Memória de Vila Velha
Compilação: Walter de Aguiar Filho, outubro/2013



GALERIA:

📷
📷


Vila Velha

Carnaval ontem e hoje

Carnaval ontem e hoje

Os mais novos podem não acreditar, mas o quente do Carnaval de Vila Velha, há uns tempos atrás, eram os carnavais de clubes. Não existia o Clube Libanês em Vila Velha. Era a época dos Clubes Democráticos e Fenianos, que ficavam na Prainha

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Centenário da chegada do Exército em Vila Velha (2017)

O aniversário do Batalhão ficou sendo considerado o dia da data embrionária de sua fundação, 19 de abril, coincidentemente dia do Índio e do aniversário de Vargas

Ver Artigo
Carnaval antigo de Vila Velha

O Carnaval de Vila Velha também tem a sua tradição. Logo no seu início as mulheres não se fantasiavam, porém os homens caprichavam para apresentar fantasias caras ou extravagantes

Ver Artigo
O Natal e seus festejos

NATAL, festa máxima da cristandade! Como hoje, também a Vila Velha antiga se preparava para este grande dia na residência do Desembargador Ferreira Coelho 

Ver Artigo
Curiosidades de Vila Velha

Na pesca com a maré cheia, os peixes principais eram as tainhas e os robalos. Além disso, nas marés baixas, o rio era rico em caranguejos, guaiamuns, aratus, canivetes, siriobas, rerietês, berbigão e siris

Ver Artigo
Paul

Qual a origem do topônimo "Paul"?

Ver Artigo